Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Aliteração

Gramática

PUBLICIDADE

A aliteração é uma figura de som na qual se cria um enunciado utilizando-se repetidamente o mesmo som de alguma consoante, causando um jogo de sons e de sentidos. É bastante comum na linguagem poética e em trava-línguas.

Leia também: Hipérbato – figura de linguagem em que ocorre a inversão sintática

Conceito de aliteração

A aliteração é uma figura de linguagem caracterizada pela repetição de fonemas consonânticos, ou seja, de sons de consoantes. Utilizam-se repetidamente os mesmos sons de consoantes no enunciado para transmitir uma ideia por meio de tal sonoridade. Vejamos alguns exemplos:

“Sino de Belém bate bem-bem-bem” (Manuel Bandeira)

Nesse exemplo, há repetição do som da consoante “b”, que remete ao badalar dos sinos.

Sussurras sempre segredos soltos

A repetição do som da consoante “s” no enunciado acima também é feita propositalmente para criar um jogo sonoro relacionado ao som de sussurros.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Veja outros exemplos de aliteração:

“Como uma onda no mar” (Lulu Santos)

“Quem com ferro fere com ferro será ferido”

Chove chuva, chove sem parar” (Jorge Ben)

Aliteração e assonância

A assonância é uma figura de linguagem similar à aliteração, porém se caracteriza pela repetição de sons vocálicos, especialmente das sílabas tônicas, para gerar o efeito discursivo. Portanto, trata-se de uma figura sonora equivalente à aliteração, mas que utiliza as vogais.

A palavra “aliteração” vem do latim “littera”, que significa “letra”, enquanto “assonância”, que vem do latim “sonus”, significa “som”.

Leia também: Hipérbole – figura de linguagem que se caracteriza pelo exagero proposital

A aliteração consiste na repetição de sons consonantais.
A aliteração consiste na repetição de sons consonantais.

Exercícios resolvidos

Questão 1 - (FIP – adaptada) Observe a sequência de frases abaixo e responda a seguir.

(1) E no dia lindo vi que vinhas vindo, minha vida. (Guilherme de Almeida)

(2) Conhecer as manhas e as manhãs. (Almir Sater e Renato Teixeira)

(3) E as cantilenas de serenos sons amenos fogem fluidas. (Eugênio de Castro)

O(s) enunciado(s) que apresenta(m) aliteração é(são):

A) 1.

B) 2.

C) 3.

D) 1 e 2.

E) 2 e 3.

Resolução

Alternativa C. As palavras “sereno” e “sons” repetem o som da consoante “s”, enquanto “fogem” e “fluidas” repetem o som da consoante “f”. Nos outros enunciados, embora também haja alguma repetição sonora, não são apenas das consoantes, por isso são outras figuras de som (no primeiro enunciado, temos assonância com a vogal “i” e, no segundo enunciado, temos paronomásia com as palavras “manhas” e “manhãs”).

Questão 2 - Em qual das opções há erro de identificação das figuras?

A) “se entretendendo para todos, no toldo…” (aliteração)

B) “Minha foz do Iguaçu/Polo sul, meu azul/Luz do sentimento nu” (assonância)

C) “Ó Formas alvas, brancas, Formas claras” (assonância)

D) “E fria, fluente, frouxa claridade / Flutua…” (aliteração)

E) “Anule aliterações altamente abusivas” (aliteração).

Resolução

Alternativa E. No enunciado, há assonância pela repetição do som vocálico “a”.

 

Por Guilherme Viana
Professor de Gramática

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Aliteração"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/aliteracao.htm. Acesso em 26 de julho de 2021.

Artigos Relacionados
Aprenda mais sobre o anacoluto e veja exemplos de seu uso. Entenda também a diferença entre anacoluto e hipérbato.
Aprenda o que é hipérbato e como atua na sintaxe do enunciado. Entenda a diferença entre hipérbato, anacoluto, anástrofe e sínquise.
Saiba o que é a hipérbole e veja exemplos dessa figura de linguagem, além de resolver alguns exercícios para fixar o conteúdo.
Saiba o que é ironia e conheça quais são os tipos existentes. Veja alguns exemplos dessa figura de linguagem e resolva os exercícios propostos.
Saiba o que é metáfora. Veja alguns exemplos dessa figura de linguagem. Entenda a diferença entre metáfora e comparação.