Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Cinco conceitos sobre MVP

Reunimos para você as principais vantagens de trabalhar com um MVP (mínimo produto viável) e como isso pode potencializar seus negócios.

Nova Educa
Autor(a):
Nova Educa
Aqui você confere cinco vantagens de trabalhar com MVP.
Aqui você confere cinco vantagens de trabalhar com MVP.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Todas as empresas do mercado buscam a perfeição do negócio, ou seja, o equilíbrio financeiro, lucros relevantes, reconhecimento da marca, etc. Mas alcançar o estágio de sucesso para um empreendedor tem outro tipo de visão, ou seja, lançar um produto perfeito é praticamente um erro. Aprender com a curva de aprendizado e melhoria contínua são fundamentais para quem está começando.

Para seguir esse método, é importante construir uma versão mais simples e resumida de um produto, empregando o mínimo possível de recursos para entregar a principal proposta de valor da ideia, concluindo: trabalhar com um MVP (Minimum Viable Product ou mínimo produto viável). Esse conceito surgiu muito forte no mercado de inovação e startups, focando em testar o produto e ir aprendendo conforme vai se desenvolvendo a solução. A seguir, vamos apresentar alguns conceitos importantes para trabalhar nesse formato.

Leia também: 5 termos importantes para jovens empreendedores

Tópicos deste artigo

1. Buscar a melhoria contínua

Implementando seu produto com clientes no mercado, é possível avaliar a demanda e as necessidades existentes, ou seja, fica clara a viabilidade do negócio. Mesmo que o produto ainda não esteja completamente pronto, testar possibilidades é fundamental para alcançar o sucesso. Monitorar o uso da solução traz uma curva de aprendizagem e identificação e mostra se vale a pena persistir com a ideia, assim como perceber o que precisa ser melhorado conforme os usuários utilizam.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

2. Controle do investimento

Lançar um produto inicial tem um custo menor e estrategicamente traz uma experiência de usabilidade do usuário. Com essas condições, é mais simples perceber onde é importante investir e quais mudanças devem ser realizadas.

3. Benefícios de trabalhar com MVP

As vantagens são:

  • o produto pode ser lançado para o mercado em um menor tempo;

  • é possível testar a demanda sobre o produto, antes de lançar a versão totalmente completa;

  • os custos de implementação são mais baratos;

  • minimiza-se a perda de capital em casos de falha;

  • o teste serve para tirar conclusões sobre o que vem funcionando bem e o que pode ser melhorado;

  • acompanhar mais de perto os clientes e analisar seus comportamentos e preferências em relação ao produto.

Leia também: 5 características fundamentais para jovens empreendedores

4. MVP x Protótipo

MVP tem um foco no negócio, enquanto o protótipo tem foco no entendimento técnico do produto. Em resumo, trabalhar com o MVP traz a possibilidade de identificar a viabilidade do negócio e melhorar conforme planejamento e estratégia. Quando passamos a ter um produto pronto e o objetivo é avaliar o funcionamento dele de forma técnica, começamos a trabalhar com protótipo. O MVP é um produto ou serviço com poucas características e que mesmo assim os clientes podem utilizar, mas essa regra nem sempre se aplica aos protótipos.

5. MVP nas grandes empresas

  • Amazon

Atualmente, a Amazon é a gigante do varejo mundial, mas é claro que a empresa de Jeff Bezos não começou assim. Na verdade, no início, o negócio era apenas um site de venda de livros por preços acessíveis. Além de o próprio modelo de negócio já ser um MVP para o e-commerce gigantesco em que a Amazon se tornou, o design do site também foi lançado como um Mínimo Produto Viável, com um formato simples que apresentava algumas informações dos livros e um campo para o cliente finalizar a comprar. Hoje a Amazon reúne um portfólio de milhares de produtos, vendendo para o mundo todo em um site com foco na experiência do usuário.

  • Airbnb

O primeiro produto da maior empresa de aluguel de imóveis do mundo foi o aluguel de um sofá em um apartamento em São Francisco. Com esse MVP, os fundadores da startup puderam testar e avaliar se havia demanda por aluguel de casas, quartos e apartamentos. Logo que disponibilizaram o seu apartamento para hóspedes, Brian Chesky e Joe Gebbia receberam interessados e, em pouco tempo, perceberam que a ideia de negócio tinha demanda.

 

Por Nova Educa

SOBRE O AUTOR

A Nova Educa é uma consultoria educacional com foco em desenvolver projetos nas escolas envolvendo a Tecnologia Apple, com implementação de iPads e treinamento de professores. Além disso, também realiza o podcast Nova Educa Debate, om entrevistas a respeito do mercado educacional e a BNCC sobre conteúdos de empreendedorismo e inovação. Teremos diversos consultores colaborando com esta coluna, que será liderada pelo diretor de inovação, Carlos Coelho, entusiasta da educação com experiências em multinacional, na Singularity University (Califórnia), como professor e gestor escolar; e teremos a Priscila Coelho, diretora de operações, especialista em treinamentos de tecnologia educacional, criatividade e inovação.

De estudante para estudante


PUBLICIDADE

Estude agora


A condição pós-moderna de Jean-François Lyotard

Jean-François Lyotard é um dos pensadores que se dedicam a entender a complexa condição pós-moderna. Entender a...

Variabilidade genética

Sempre que falamos de variabilidade genética, analisamos genótipos e fenótipos, observamos novas características,...