Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Gravidez na adolescência

A gravidez na adolescência é uma questão social e de saúde pública que ocorre quando jovens entre 10 e 19 anos engravidam.

Jovem segurando um teste de gravidez, uma alusão à gravidez na adolescência.
A gravidez na adolescência afeta milhares de jovens no Brasil e no mundo.
Crédito da Imagem: Shutterstock
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A gravidez na adolescência é uma questão social e de saúde pública que ocorre quando jovens entre 10 e 19 anos engravidam.|1| Esse fenômeno é frequentemente associado a pressões sociais e culturais, falta de acesso a informações e métodos contraceptivos, e contextos de vulnerabilidade socioeconômica. As adolescentes grávidas enfrentam riscos aumentados de complicações de saúde para si e para o bebê, além de impactos negativos em suas oportunidades educacionais e profissionais. A prevenção eficaz inclui acesso à educação sexual e a serviços de saúde reprodutiva e suporte comunitário.

Leia também: Gravidez — saiba tudo sobre esse acontecimento

Tópicos deste artigo

Resumo sobre gravidez na adolescência

  • A gravidez na adolescência é um fenômeno que envolve jovens geralmente entre 10 e 19 anos.|2|

  • As causas da gravidez precoce são multifatoriais, abrangendo falta de educação sexual adequada, baixa acessibilidade a métodos contraceptivos, e pressões sociais.

  • As adolescentes grávidas enfrentam maiores riscos de complicações de saúde, como parto prematuro e baixo peso ao nascer, além de impactos psicológicos e sociais.

  • Também é comum que essas jovens interrompam os estudos, o que pode limitar suas oportunidades futuras.

  • Programas de apoio e educação são essenciais para prevenir e lidar com as consequências da gravidez na adolescência.

  • A Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência busca ampliar o acesso a medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução de gravidez na adolescência.

Causas da gravidez na adolescência

A gravidez na adolescência é uma questão social e de saúde pública que ocorre quando jovens entre 10 e 19 anos engravidam.|3| As causas da gravidez na adolescência envolvem aspectos familiares, biológicos, sociais, psicológicos, entre outros, e que devem ser analisados como um todo. Eles incluem:

  • Falta de acesso à educação sexual adequada, tanto em casa quanto na escola, o que pode levar à ausência de conhecimento sobre métodos contraceptivos e práticas sexuais seguras.

  • Pressões sociais e culturais, como a necessidade de buscar afeto e aceitação.

  • Incentivo, cada vez mais cedo, de iniciação sexual pela mídia.

  • Fatores socioeconômicos, como falta de oportunidades educacionais e de acesso a políticas públicas de saúde e de assistência social que atuem pelos jovens.

  • Ausência do uso de métodos contraceptivos por receio de que os pais descubram que os filhos estão tendo relações sexuais.

  • Presença de violência sexual, como estupro.

  • Ocorrência de gestação na adolescência em familiares e/ou pessoas próximas tidas como modelos sociais.

  • Abuso de drogas lícitas e ilícitas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Sintomas de gravidez na adolescência

Os sintomas de gravidez na adolescência podem variar, mas alguns dos mais comuns incluem:

  • atraso menstrual;

  • náuseas ou enjoos matinais;

  • aumento da sensibilidade e tamanho dos seios;

  • fadiga;

  • mudanças de humor;

  • aumento da frequência urinária.

É importante observar que esses sintomas podem ser semelhantes a outras condições médicas, como estresse ou síndrome pré-menstrual, e nem todas as adolescentes grávidas experimentarão todos esses sintomas.

Riscos da gravidez na adolescência

A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que a gravidez na adolescência pode acarretar uma série de riscos para a saúde física e emocional da adolescente e do bebê, como:

  • Riscos físicos: complicações durante a gravidez e o parto, como pré-eclâmpsia (aumento da pressão arterial da grávida), aborto e parto prematuro, além de maior probabilidade de baixo peso ao nascer e de problemas de desenvolvimento para o bebê.

  • Riscos emocionais e sociais: estresse, depressão, isolamento social e problemas de autoestima para a jovem mãe.

Impactos da gravidez na adolescência

Os impactos da gravidez na adolescência podem ser significativos e duradouros. Além dos riscos à saúde física e mental da adolescente e do bebê, a gravidez precoce pode afetar a vida educacional, profissional e pessoal da jovem mãe. Muitas adolescentes grávidas enfrentam discriminação, falta de apoio da família e da comunidade, e dificuldade em concluir os estudos e ter acesso a empregos.

Cuidados no pré-natal na adolescência

Os cuidados no pré-natal são essenciais para garantir uma gravidez saudável e segura para adolescentes, como:

  • consultas médicas regulares;

  • realização de exames pré-natais;

  • orientação sobre nutrição adequada;

  • prática de exercícios físicos;

  • ausência de consumo de drogas lícitas e ilícitas;

  • apoio psicológico.

Além disso, é importante que os serviços de saúde sejam acessíveis e sensíveis às necessidades das adolescentes, fornecendo informações claras e precisas sobre a gravidez e o parto, bem como opções de contracepção para o futuro.

Veja também: Pré-natal — detalhes sobre esse acompanhamento médico que toda gestante deve ter

Prevenção da gravidez na adolescência

Diversos métodos contraceptivos sobre uma superfície plana cor-de-rosa.
O acesso à educação sexual e a métodos contraceptivos contribui para reduzir os casos de gravidez na adolescência.

A educação sexual tem um papel muito importante na prevenção da gravidez na adolescência, especialmente ao criar um ambiente seguro para que o adolescente receba informações e se expresse sobre sexo seguro, consentimento, contracepção e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Além disso, é importante a presença e a formulação de políticas públicas que auxiliem tanto na promoção da atenção integral à saúde em todos os níveis de complexidade, como no acesso a contraceptivos e a serviços de saúde reprodutiva e de apoio familiar e comunitário.

Acesse também: Quais são os principais métodos contraceptivos?

Gravidez na adolescência no Brasil

No Brasil, a gravidez na adolescência é um desafio significativo de saúde pública, com taxas ainda relativamente altas em comparação com outros países. Em média, ocorrem 400 mil casos por ano no país.

O governo brasileiro implementou várias iniciativas e programas para enfrentar essa questão, incluindo políticas de planejamento familiar, distribuição gratuita de contraceptivos e programas de educação sexual nas escolas.

A Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, instituída em 2019, ocorre anualmente na semana que incluir o dia 1º de fevereiro. A data busca disseminar informações sobre medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução da ocorrência da gravidez na adolescência.

Notas

|1|, |2| e |3| BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE. Ministério da Saúde. 01 a 08/02 – Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/01-a-08-02-semana-nacional-de-prevencao-da-gravidez-na-adolescencia/.

Fontes

BENINCASA, M. et al. 2008. Sexo desprotegido e adolescência: fatores de risco e de proteção. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 10(2): 121-134.

BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE. Ministério da Saúde. 01 a 08/02 – Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/01-a-08-02-semana-nacional-de-prevencao-da-gravidez-na-adolescencia/.

CARVALHO, C. C. de. 2013. Gravidez na adolescência: principais causas e consequências. Monografia (Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família). Universidade Federal de Minas Gerais, [S. l.], 26 p. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUOS-AAWN49/1/clara_coelho.pdf.

SOUZA, A. X. A. et al. 2012. Representações Sociais de Adolescentes Grávidas Sobre a Gravidez na Adolescência. Revista Psicologia & Sociedade, 24(3): 588-596.  

Escritor do artigo
Escrito por: Heloísa Fernandes Flores Bacharela, licenciada e mestre em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é doutoranda em Entomologia e cursa uma especialização em Gestão Escolar na mesma instituição. Desenvolve pesquisas com análise de conteúdo de livro didático e evolução de insetos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FLORES, Heloísa Fernandes. "Gravidez na adolescência"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/gravidez-adolescencia.htm. Acesso em 13 de julho de 2024.

De estudante para estudante


Lista de exercícios


Exercício 1

Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 11% das crianças nascidas no mundo são resultado de uma gravidez na adolescência. Esse problema é extremamente grave, uma vez que a gravidez em mulheres com idade entre 10 e 19 anos pode trazer danos à saúde. Entre as alternativas abaixo, marque a única que se refere a uma ação que não é adequada na luta pela diminuição do número de adolescentes grávidas.

a) Campanhas informativas sobre os riscos da gravidez na adolescência.

b) Abordagem do tema “gravidez na adolescência” em sala de aula.

c) Distribuição gratuita de métodos contraceptivos.

d) Campanhas educativas sobre a relação entre drogas, álcool e o comportamento de risco.

e) Campanhas educativas sobre métodos contraceptivos voltadas exclusivamente para mulheres.

Exercício 2

A gravidez na adolescência não é um processo fácil, sendo geralmente marcado por problemas de saúde, psicológicos e até mesmo de ordem econômica. Levando em consideração o foco da saúde, analise as alternativas a seguir e marque a INCORRETA.

a) Adolescentes com menos de 15 anos possuem maiores chances de óbito na gestação ou parto do que mulheres acima dos 20 anos.

b) Adolescentes possuem maiores chances de terem bebês com baixo peso.

c) Adolescentes possuem maiores chances de terem partos prematuros.

d) Crianças nascidas de mães adolescentes correm menos riscos de morrer logo após o parto.