Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Robert Oppenheimer

Robert Oppenheimer foi um físico norte-americano que ficou conhecido por ter sido o chefe do Projeto Manhattan, que criou as primeiras bombas atômicas da história.

Fotografia de Robert Oppenheimer segurando um cachimbo
Robert Oppenheimer foi um físico norte-americano que liderou o projeto de construção das primeiras bombas atômicas da história.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Robert Oppenheimer foi um cientista norte-americano e um dos grandes físicos da história recente. Oppenheimer ficou mundialmente conhecido por ter sido o chefe do Projeto Manhattan, o projeto do governo norte-americano que construiu as primeiras bombas atômicas da história.

O trabalho de Oppenheimer e de sua equipe, em Los Alamos, viabilizou a criação das bombas atômicas. Uma delas foi detonada em um teste no deserto, e as outras duas foram lançadas sobre duas cidades japonesas em 1945. Posteriormente, Oppenheimer sofreu com as consequências do que o seu trabalho possibilitou.

Leia mais: Bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki — a forma como os EUA forçaram a rendição no Japão na Segunda Guerra

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Robert Oppenheimer

  • Robert Oppenheimer foi um cientista norte-americano e um dos grandes físicos do século XX.

  • Atuou no Projeto Manhattan chefiando o laboratório que pesquisava como construir uma bomba atômica.

  • Conduziu com sucesso o projeto, construindo três bombas, das quais duas foram lançadas sobre cidades japonesas.

  • Depois da Segunda Guerra, sofreu ao ver as consequências do seu trabalho.

  • Foi perseguido publicamente nos Estados Unidos por ter proximidade com pessoas de ideologia comunista.

  • Faleceu em consequência de um câncer de garganta.

Biografia de Oppenheimer

  • Origem de Oppenheimer

Julius Robert Oppenheimer nasceu na cidade de Nova York, em 22 de abril de 1904. Veio de uma família bem-sucedida e de ascendência judaica. Seu pai, Julius Seligmann Oppenheimer, foi um alemão que havia prosperado nos Estados Unidos no ramo têxtil, e sua mãe, Ella Friedman, era uma artista.

Oppenheimer passou a sua infância em um apartamento de luxo da família. Teve acesso a uma boa educação e demonstrou ser um bom estudante, e foi nesse período que ele desenvolveu o seu interesse pela Química.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Formação de Oppenheimer

Oppenheimer se matriculou em Harvard, em 1922, e concluiu os seus estudos em 1925, graduando-se em Química. Posteriormente, ele se matriculou em Cambridge para dar continuidade aos seus estudos, mas foi infeliz lá, e decidiu abandonar a universidade inglesa. Em 1926, ele se matriculou na Universidade de Göttingen, na Alemanha.

Lá ele foi orientado por Max Born, um renomado físico do período. Oppenheimer teve problemas de relacionamento com seus colegas de curso, mas finalizou sua especialização em 1927, obtendo o título de doutor em Física.

  • Atuação profissional de Oppenheimer

Depois de obter o seu doutorado, Oppenheimer foi convidado a trabalhar como pesquisador no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech). O convite veio em 1927, mas, no mesmo ano, ele recebeu convite para atuar em Harvard, e então ele passou a trabalhar em Harvard, em 1927, e em Caltech, em 1928.

Posteriormente foi convidado a trabalhar como professor na Universidade da Califórnia, em Berkeley. Em 1936, tornou-se professor titular em Berkeley, precisando diminuir consideravelmente seu tempo em Caltech. Além do trabalho como professor, ele seguiu pesquisando e realizando grandes contribuições em áreas como Física nuclear, Física quântica, astronomia teórica, entre outras.

Projeto da bomba atômica

Em 1938, dois cientistas alemães descobriram a fissão nuclear, identificando que ela poderia ser usada para produzir uma bomba com grande poder de destruição. Essa descoberta fez com que o governo alemão desse início a um programa com o objetivo de construir uma bomba atômica, o chamado Uranverein (clube do urânio).

Quando o governo norte-americano descobriu que os alemães estavam desenvolvendo uma bomba atômica, deu-se a necessidade de criar um programa norte-americano para produzir uma bomba atômica antes dos alemães. Nascia, assim, o Projeto Manhattan.

Projeto Manhattan

O Projeto Manhattan foi criado, em outubro de 1941, por ordem direta do presidente norte-americano Franklin D. Roosevelt. Oppenheimer foi convidado a atuar no projeto, e, em 1942, ele foi entregue às mãos dos militares. O comandante militar do projeto foi Leslie R. Groves Jr.

Groves e Oppenheimer escolheram um local para que o projeto pudesse ser desenvolvido de maneira secreta, e assim foi escolhida a região de Los Alamos, no Novo México. Além disso, Oppenheimer foi nomeado por Groves para comandar o laboratório do projeto. O convite a Oppenheimer surpreendeu muitos, uma vez que o cientista era acusado de ser próximo de núcleos comunistas nos Estados Unidos.

Oppenheimer montou uma equipe com especialistas para auxiliá-lo no trabalho de fabricação de uma bomba atômica, logo o projeto que ele chefiava passou a contar com o envolvimento de mais de seis mil pessoas. Muitos relatos apontam que seu trabalho como cientista e como administrador de toda a equipe que atuava em Los Alamos foi fundamental para o sucesso do projeto.

Em 1945, o trabalho de Oppenheimer e sua equipe demonstrou ser um sucesso, mas faltava um teste para garantir que tudo havia feito com exatidão. Foram fabricadas três bombas atômicas, e, em 16 de julho de 1945, uma delas foi testada na Experiência Trinity. A bomba foi detonada às 5:29 da madrugada, sendo um sucesso.

A explosão da primeira bomba atômica da história pôde ser sentida a 160 quilômetros de distância, criando um cogumelo atômico de 12 quilômetros de altura. Os relatos contam que Oppenheimer estava apreensivo pouco antes do teste, mas uma sensação de alívio tomou conta dele quando o teste ocorreu com sucesso. Além disso, teve a potência de 21 mil toneladas de TNT.

Posteriormente, as duas bombas atômicas restantes foram lançadas contra duas cidades japonesas. A cidade de Hiroshima foi bombardeada em 6 de agosto de 1945, e Nagasaki foi bombardeada três dias depois. Estima-se que as duas bombas juntas causaram cerca de 120 mil mortes imediatamente após sua explosão. Outras milhares de pessoas morreram nos dias seguintes ou sofreram com sequelas.

Confira nosso podcast: As consequências da Segunda Guerra Mundial para o Japão

Legado de Oppenheimer

Robert Oppenheimer foi um dos grandes cientistas do século XX, e contribuiu para que houvesse um significativo avanço em áreas da Física, principalmente. O trabalho que ele liderou na fabricação da bomba atômica é considerado um dos grandes feitos científicos do século passado, mas questionamentos foram feitos a esse respeito.

Muitos cientistas questionaram a falta de ética do trabalho científico no desenvolvimento armas de destruição em massa, como foi feito por Oppenheimer. Muitos historiadores, biógrafos e pessoas próximas a Oppenheimer relatam que o cientista foi assombrado pela culpa do que o seu trabalho científico criou.

Publicamente, Oppenheimer defendeu que seu trabalho foi realizado de maneira responsável. Ainda assim, ele se tornou um defensor contra o uso de armas nucleares. Suas críticas à proliferação de armas nucleares fez com que ele fosse investigado pelo governo norte-americano e perdesse sua autorização para trabalhos científicos de cunho político.

Leia mais: Albert Einstein — foi um dos maiores físicos da história e suas contribuições mudaram a ciência do século XX

Obras de Oppenheimer

Oppenheimer também publicou alguns trabalhos escritos. Veja a lista de algumas publicações do cientista norte-americano:

  • Sciente and the Common Understanding (1954);

  • The Open Mind (1955);

  • The Flying Trapeze: Three Crises for Physicists (1964).

Filme Oppenheimer

Imagem do file Oppenheimer
A obra de Oppenheimer foi retratada no filme “Oppenheimer”, lançado em 2023.[1]

Em julho de 2023, foi lançado mundialmente o filme Oppenheimer, que conta um pouco da vida do cientista norte-americano. O filme fala do trabalho que ele realizou no Projeto Manhattan, mas também aborda sua vida pessoal, seu envolvimento político com movimentos progressistas e o julgamento que ele enfrentou nos Estados Unidos por suas posições consideradas “comunistas”.

Robert Oppenheimer é interpretado pelo ator Cillian Murphy e o filme foi dirigido por Christopher Nolan, sendo considerado um grande sucesso e alcançando uma receita de quase um bilhão de dólares. Além disso, o filme recebeu 13 indicações para o Oscar de 2024, incluindo Melhor Filme, Melhor Ator e Melhor Direção.

Últimos anos de Oppenheimer

Na década de 1950, a histeria anticomunista nos Estados Unidos voltou-se contra Oppenheimer. As críticas que ele fazia à proliferação de armas nucleares, e os laços que ele tinha com pessoas comunistas ou próximas de comunistas foram usados por J. Edgar Hoover, chefe do FBI, como forma de perseguição política e pessoal ao cientista.

Oppenheimer perdeu sua licença para trabalhar como cientista em programas governamentais e foi acusado publicamente de deslealdade aos Estados Unidos, sendo tachado como um risco à segurança norte-americana por sua proximidade com os ideais comunistas. Ele foi inocentado, mas sofreu as consequências da acusação.

Oppenheimer foi boicotado em algumas universidades norte-americanas e proibido de palestrar em alguns locais. Ele seguiu pesquisando e palestrando fora dos Estados Unidos.

Em 1965, Oppenheimer foi diagnosticado com câncer de garganta, e ele faleceu em 18 de fevereiro de 1967, em consequência da doença.

Créditos da imagem

[1]SCA Studio Can Aksoy | Shutterstock

Fontes

HASTINGS, Max. Inferno: o mundo em guerra 1939-1945. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2012.

BEEVOR, Antony. A Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Record, 2015.

PLATTS-MILLS, Ben. Quem foi o verdadeiro Robert Oppenheimer, criador da bomba atômica. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/articles/c51dxvv1jgzo

RODRÍGUEZ, Héctor. Afinal, quem foi Robert Oppenheimer? Disponível em: https://www.nationalgeographic.pt/historia/robert-oppenheimer-o-pai-da-bomba-atomica_3782

SCHWARTZ, Shelly. The Manhatta Projec and the invention of the atomic bomb. Disponível em: https://www.thoughtco.com/history-of-the-atomic-the-manhattan-project-1991237

SCHWALLER, Fred. Quão perto o 3º Reich chegou perto de construir uma bomba atômica? Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/qu%C3%A3o-perto-o-3%C2%BA-reich-chegou-de-construir-uma-bomba-at%C3%B4mica/a-66550410

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Robert Oppenheimer"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biografia/robert-oppenheimer.htm. Acesso em 15 de abril de 2024.

De estudante para estudante