Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Gal Costa

Gal Costa foi uma cantora e um dos grandes símbolos da música popular brasileira. Obteve grande sucesso de vendas e lançou dezenas de discos ao longo de sua carreira.

Gal Costa cantando em fundo escuro
Gal Costa foi uma das maiores cantoras da música popular brasileira. Seu talento musical é considerado magistral, tanto dentro quanto fora do país.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Gal Costa foi uma cantora baiana que é considerada um dos grandes ícones da música popular brasileira. Lançou dezenas de discos de sucesso e gravou canções que marcaram gerações. Iniciou sua carreira na década de 1960. Na década seguinte, tornou-se uma das grandes representantes do tropicalismo e foi considerada também uma musa hippie.

Realizou trabalhos em parceria com músicos consagrados do Brasil, como Gilberto Gil, Tim Maia, Caetano Veloso, Maria Bethânia, entre outros. Em 2018, lançou o 40º disco de sua carreira. E faleceu, em 2022, vítima de um infarto.

Leia mais: Marília Mendonça — foi uma cantora e compositora goiana famosa por ter criado o subgênero musical feminejo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Gal Costa

  • Gal Costa nasceu em Salvador, na Bahia, em 1945.

  • Iniciou sua carreira profissionalmente com gravações realizadas em 1965 para o primeiro disco de Maria Bethânia.

  • Teve em Caetano Veloso um dos seus grandes amigos e parceiros profissionais.

  • Participou do disco-manifesto do movimento tropicalista.

  • Faleceu em 2022, aos 77 anos de idade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Origem de Gal Costa

Maria da Graça Costa Penna Burgos, popularmente conhecida como Gal Costa, nasceu em Salvador, no dia 26 de setembro de 1945. Era filha de Mariah Costa Penna e de Arnaldo Burgos, e foi criada exclusivamente por sua mãe, já que seu pai foi ausente durante a infância e parte da adolescência de Gal (ele morreu quando ela tinha 14 anos).

Relatos contam que a mãe de Gal teria passado uma parte da gestação ouvindo canções clássicas para que sua filha nascesse com habilidades musicais. O apreço de Gal pela música fez com que o seu primeiro emprego fosse como balconista em uma loja de discos na capital baiana.

Carreira musical de Gal Costa

Gal Costa cantando enquanto toca violão
Gal Costa iniciou sua carreira nos anos 1960.[2]

Gal Costa iniciou sua carreira musical no começo dos anos 1960, embora seu nome artístico ainda não tivesse surgido à epoca. Nessa momento, ela era chamada pelas pessoas de Maria da Graça, Gracinha ou Gau. Uma das grandes influências musicais sobre Gal Costa foi João Gilberto, cantor que ela ouviu pela primeira vez em 1959.

Em 1963, Gal Costa foi apresentada a Caetano Veloso por uma amiga em comum chamada Dedé Gadelha (futura esposa do cantor baiano). Gal Costa e Caetano Veloso tornaram-se grandes amigos e iniciaram suas carreiras musicais juntos ao participarem de um espetáculo de apresentações de músicos amadores, em 1964.

Em 1965, Gal Costa fez sua primeira gravação ao participar de canções de um álbum lançado por Maria Bethânia, amiga da cantora e irmã de Caetano Veloso. Gal Costa participou de três canções, uma delas cantando junto de Caetano Veloso. Nessa altura de sua vida, Gal já havia se mudado para o Rio de Janeiro para investir em sua carreira artística.

Em 1967, Gal lançou o seu primeiro álbum, Domingo. Foi no lançamento desse LP que seu nome artístico tornou-se oficialmente Gal, e isso aconteceu por uma sugestão do produtor Guilherme Araújo, que achava o nome Maria da Graça pouco atrativo artisticamente. A canção de maior sucesso desse primeiro álbum foi “Coração vagabundo”.

Em 1968, foi lançado o disco que inaugurou o movimento tropicalista no Brasil, o Tropicália ou Panis et Circencis. O disco é considerado o manifesto musical desse movimento e contou com a participação de outros cantores, como Tom Zé, Gilberto Gil e Caetano Veloso. Uma canção de sucesso interpretada por Gal nesse álbum é “Baby”.

Ao longo da década de 1970, Gal Costa tornou-se a tropicalista de maior relevância no país porque Caetano Veloso e Gilberto Gil se exilaram devido à Ditadura Militar. Nesse período gravou sucessos como “Índia”, “Barato total”, “Flor de maracujá”, “Desafinado”, “Pérola negra”, entre outras. Foi considerada musa dos hippies, mas, ao final dessa década, seu estilo musical se modificou, aproximando-se do pop.

Na década de 1980, Gal Costa era uma cantora consolidada no cenário musical, sendo um dos grandes nomes da música popular brasileira. Sua carreira musical nessa época ficou marcada como um período de gravação de discos de muito sucesso e de boa recepção na crítica especializada. Entre eles estão Aquarela do Brasil, Fantasia, Minha voz, Profana e Bem bom.

Esse último álbum, lançado em 1985, é um dos maiores sucessos da carreira de Gal Costa, tendo alcançado mais de 600 mil vendas no Brasil. Algumas músicas de sucesso dele são “Sorte”, cantada com Caetano Veloso, e “Um dia de domingo”, cantada com Tim Maia.

Nas décadas seguintes, Gal Costa seguiu com sua carreira musical, embora parte de seu trabalho tenha sido focada em regravações ou apresentações de sucessos do seu passado. Isso não significa que novos álbuns não foram lançados, porque ela lançou discos como Mina d’água do meu canto e Aquele frevo a, por exemplo.

Entrando no século XXI, Gal Costa foi incluída no Hall of Fame do Carnegie Hall, uma casa de concertos musicais em Nova York, nos Estados Unidos. É a única brasileira a ter recebido essa homenagem. Outro feito recente dela foi o lançamento de seu 40º álbum, intitulado A pele do futuro, em 2018.

Leia mais: Chico Buarque — nascido no Rio de Janeiro, é um dos principais nomes da música popular brasileira

Vida pessoal de Gal Costa

Gal Costa manteve uma vida privada reservada e nunca se casou oficialmente, embora tenha tido alguns relacionamentos estáveis e tenha se casado não oficialmente com um violinista chamado Marco Pereira no começo da década de 1990. A cantora, no entanto, mantinha um relacionamento estável com Wilma Petrillo desde 1998. Além de companheira de Gal Costa, Wilma também cuidava da carreira da cantora baiana.

A cantora baiana já havia assumido, em diversas entrevistas, que um dos sonhos de sua vida era ser mãe, no entanto, ela nunca conseguiu engravidar. Após anos de tentativas, a cantora adotou uma criança de dois anos no Rio de Janeiro.

Seu filho foi adotado após ela tê-lo encontrado em um abrigo, onde estava sofrendo de raquitismo. Foi nomeado Gabriel depois de concluída a adoção. Nos últimos anos, Gal Costa dedicou parte de seu tempo nos cuidados com Gabriel, colocando sua carreira musical em segundo plano. Em 2014, eles se mudaram para São Paulo.

Morte de Gal Costa

Em 9 de novembro de 2022, Gal Costa faleceu em São Paulo. Ela se recuperava de uma cirurgia para retirada de um nódulo na fossa nasal direita. Segundo a assessoria da cantora, a causa da morte foi um infarto.

Créditos da imagem:

[1] Commons | Teca Lamboglia

[2] Arquivo Nacional

 

Por Daniel Neves
Professor de História

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Gal Costa"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biografia/gal-costa.htm. Acesso em 23 de fevereiro de 2024.

De estudante para estudante