Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Cevada

A cevada é um cereal muito cultivado em todo o mundo e destaca-se pela sua utilização na produção do malte, um dos ingredientes usados no preparo da cerveja.

Ramos de cevada
A cevada é considerada o quarto cereal de maior importância no mundo.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A cevada é um cereal de grande importância econômica no Brasil e em todo o mundo. Em geral, esse cereal tem sua produção associada, principalmente, ao mercado de malte para a cerveja. Entretanto, também pode ser usada na alimentação animal e até mesmo na humana. Recentemente, a cevada foi considerada um alimento funcional, o que significa que apresenta benefícios à saúde humana. Esses benefícios estão associados, principalmente, à ingestão de β-glucanas da cevada, um polissacarídio associado, entre outros benefícios, com a redução dos níveis de colesterol e redução dos riscos de doença cardíaca.

Leia também: Como a cerveja é produzida?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a cevada

  • A cevada é um cereal muito cultivado em todo o mundo.

  • Trata-se de um cereal menos exigente em relação à água, porém intolerante ao alagamento e exigente quanto à fertilidade do solo.

  • É usada, principalmente, para a indústria do malte, mas pode também ser utilizada na fabricação de ração animal.

  • É uma importante fonte de fibra alimentar.

  • É considerada um alimento funcional devido à presença de β-glucanas, compostos que regulam as concentrações de colesterol no sangue e ajudam a diminuir os riscos de doença cardiovascular.

O que é cevada?

Cevada (Hordeum vulgare) é o nome dado a uma espécie de cereal da família Poaceae. É uma planta que exige boa fertilidade do solo para o seu desenvolvimento, sendo intolerante ao alagamento e muito suscetível à acidez do solo. Em relação à água, é uma espécie menos exigente que outros cereais, destacando-se também por ser uma planta mais precoce.

Trata-se de uma espécie de clima frio, mas que atualmente é cultivada em diferentes partes do mundo, inclusive no Brasil. Isso foi conseguido graças a processos de modificação genética, os quais permitiram que a cevada fosse cultivada e apresentasse considerável produtividade também em outras condições ambientais.

A parte da cevada utilizada para consumo é o grão. Ele é formado pelo embrião, o endosperma e o envoltório. O envoltório, como o nome sugere, envolve todo o grão e apresenta como função proteger o embrião que está em seu interior. O endosperma é o tecido de reserva do grão, sendo rico em amido, um tipo de carboidrato. O embrião é a parte viva da planta, sendo ele o responsável por dar origem a uma nova cevada.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Qual o uso da cevada?

Grãos da cevada
O grão da cevada pode ser usado na fabricação de malte para a produção cerveja e na alimentação humana e animal.

A cevada é uma planta já utilizada pelo ser humano desde a Antiguidade. A espécie originou-se na Ásia e atualmente é considerada o quarto cereal em ordem de importância, sendo plantada em aproximadamente 55 milhões de hectares, com produção da ordem de 150 milhões de toneladas, representando 10% do total de grãos produzidos mundialmente, segundo a Embrapa.

No Brasil, o uso da cevada está voltado, principalmente, para a industrialização do malte, um dos componentes da cerveja. O malte é produzido a partir da germinação artificial do grão de cevada e relaciona-se com o sabor mais intenso da cerveja, bem como sua coloração. O grão da cevada pode ser ainda utilizado na composição de farinhas usadas na panificação, como substituto do café e para a produção de ração animal. A cevada também é utilizada na rotação de culturas.

De acordo com o fim a que se destina, a cevada pode ser classificada em:

  • Cevada cervejeira: deve cumprir padrões de qualidade específicos que permitem a produção de um malte de qualidade para ser usado nas cervejarias.

  • Cevada forrageira: não cumpre os padrões exigidos para a produção de malte e é utilizada na produção de ração animal.

É importante destacar que tanto a cevada cervejeira quanto a forrageira são grupos que incluem diferentes variedades de cevada.

Benefícios do consumo da cevada

Recentemente a cevada passou a ser mais consumida pela população brasileira, sendo usada, por exemplo, para fazer receitas como saladas e sopas. Esse aumento do consumo está associado com o reconhecimento dos benefícios à saúde relacionados ao grão, sendo a cevada hoje considerada um alimento funcional.

Entre os componentes que apresentam benefícios à saúde, destacam-se as chamadas β-glucanas, polissacarídios naturais que estão presentes nas fibras solúveis da cevada. Entre os benefícios das β-glucanas, podemos citar:

  • redução dos níveis de colesterol no sangue e, consequentemente, redução dos riscos de problemas cardiovasculares;

  • melhoria da fisiologia intestinal e redução do risco do câncer de cólon;

  • amento da biodisponibilidade de vitaminas e sais minerais.

Fontes:

EMBRAPA. Cevada alimento funcional – Alternativa para a diversificação e agregação de valor na cadeia produtiva de cereais. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/1132148/1/BPD-98-online.pdf

PORTO, Paula de Donati. Tecnologia de fabricação de malte: Uma revisão. Monografia. Curso de Engenharia de Alimentos. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 2011. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/56455/000857950.pdf

BIAZUS, V. Produtividade e valor nutritivo de grãos de cevada superprecoce no outono em diferentes épocas de semeadura, doses de nitrogênio e espaçamentos. Dissertação. Programa de Pós-graduação em Agronomia. Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo. Passo Fundo. 2015. Disponível em http://tede.upf.br/jspui/bitstream/tede/1300/2/2015ValderiaBiazus.pdf

FONTANA, Ana Clara; FURONI, Gustavo César; MELO, Aila Maria Rodrigues; SABUNDJIAN, Michelle Traete. A cultura da cevada. 6. Disponível em: http://fait.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/WyTvVot9U6aZ0Vg_2020-7-29-17-1-41.pdf  

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Cevada"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude/cevada.htm. Acesso em 16 de abril de 2024.

De estudante para estudante