Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Pacto Germano-Soviético

Também chamado de Pacto de Não Agressão e de Pacto Molotov-Ribbentrop, o Pacto Germano-Soviético foi assinado entre alemães e soviéticos antes da Segunda Guerra Mundial.

Fotografia mostrando soldados nazistas na fronteira com a Polônia pouco tempo após a assinatura do Pacto Germano-Soviético.
Nove dias após assinar o Pacto Germano-Soviético, a Alemanha invadiu a Polônia e iniciou a Segunda Guerra Mundial. [1]
Crédito da Imagem: Shutterstock.com
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O Pacto Germano-Soviético foi assinado entre a Alemanha Nazista e a União Soviética em 23 de agosto de 1939, nove dias antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial. No pacto, as duas nações se comprometeram a não se atacar e a não apoiar uma terceira nação que entrasse em guerra com uma das nações signatárias do pacto. Além da não agressão entre Alemanha e União Soviética, o pacto estabeleceu secretamente a área de influência desses dois países no Leste Europeu e a partilha da Polônia entre eles.

Também chamado de Pacto de Não Agressão e de Pacto Molotov-Ribbentrop, o pacto foi posto em prática no dia 1 de setembro de 1939, quando tropas da Alemanha invadiram o território polonês pelo Oeste e tropas soviéticas pelo Leste. O fato levou o Reino Unido e a França declararem guerra à Alemanha, iniciando a Segunda Guerra Mundial. No início do conflito a União Soviética se manteve neutra. Em junho de 1941, um ano e dez meses após a assinatura do pacto, Hitler invadiu a União Soviética, e esse fato pôs fim ao Pacto Germano-Soviético.

Leia também: Como foi a Segunda Guerra Mundial?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o Pacto Germano-Soviético

  • O Pacto Germano-Soviético foi assinado entre alemães e soviéticos nas vésperas da Segunda Guerra Mundial.

  • Foi assinado em 23 de agosto de 1939 pelo representante alemão Ribbentrop e pelo representante soviético Molotov.

  • Ao elaborar o Pacto Germano-Soviético, Hitler objetivava evitar abrir duas frentes de batalha em caso de guerra com a França e a Grã-Bretanha.

  • Já Stalin tinha como objetivo não se envolver no conflito entre Alemanha, Itália, França e Inglaterra que parecia que ia acontecer a qualquer momento.

  • O Pacto Germano-Soviético foi dividido em duas partes: uma que foi tornada pública pela Alemanha e União Soviética e outra mantida em sigilo pelas duas nações.

  • Hitler conseguiu seu principal objetivo com o Pacto Germano-Soviético e pôde usar toda sua força militar na Europa Ocidental.

  • Ao iniciar a Operação Barbarossa, o Pacto Germano-Soviético foi desfeito e União Soviética e Alemanha entraram em guerra.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que foi o Pacto Germano-Soviético?

O Pacto Germano-Soviético foi um acordo assinado entre a Alemanha nazista e a União Soviética stalinista no dia 23 de agosto de 1939, nove dias antes do início da Segunda Guerra Mundial. O pacto foi assinado pelo representante alemão Joachim Von Ribbentrop e pelo representante soviético Viatcheslav Molotov; por esse motivo ele também é chamado de Pacto Molotov-Ribbentrop.

Molotov (soviético) e Ribbentrop (alemão) em fotografia realizada durante a assinatura do Pacto Germano-Soviético.
Molotov (soviético) e Ribbentrop (alemão) em fotografia realizada durante a assinatura do Pacto Germano-Soviético.

Ele ainda é popularmente conhecido como Pacto de Não Agressão, pois ele estabelecia que as duas nações não se atacariam por um período de, no mínimo, dez anos.

Contexto histórico do Pacto Germano-Soviético

Em 1918 a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) se encerrou com a rendição incondicional do Império Alemão (considerado por Hitler o Segundo Reich). No ano seguinte, foi imposto aos germânicos o Tratado de Versalhes, pelo qual a Alemanha perdeu todas as suas colônias, parte do seu território, teve seu exército reduzido para 100 mil voluntários e foi obrigada a pagar pesadas indenizações aos vencedores do conflito. O país também não poderia ter força aérea e marinha de guerra.

As cláusulas do tratado e a instabilidade política da Alemanha no pós-guerra provocaram uma crise econômica no país que se agravou profundamente após a Crise de 1929.

Na década de 1920, o Partido Nazista passou a se popularizar na Alemanha, e Hitler se tornou seu principal líder. Nas eleições de 1933, após a crise econômica se aprofundar, Hitler se tornou chanceler após o Partido Nazista vencer as eleições parlamentares. No seu governo ele passou a ignorar o Tratado de Versalhes e a fortalecer militarmente a Alemanha.

A Primeira Guerra Mundial também provocou uma grande crise política e econômica no Império Russo, que ainda era uma monarquia absolutista e no qual a servidão ainda era praticada. Em 1917, durante a guerra, eclodiu a Revolução Russa, a qual levou ao poder os bolcheviques, que tornaram a Rússia o primeiro Estado socialista da história. Em 1922, foi fundada a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, e Stalin se tornou na mesma década o ditador do país.

No final da década de 1930 a Alemanha nazista era novamente uma potência militar, e Hitler iniciou uma política expansionista. Em outubro de 1938 os nazistas ocuparam a região dos Sudetos, na Checoslováquia, região com grande porcentagem de população germânica; muitos checos foram expulsos da região. Em março do ano seguinte a Alemanha ocupou o restante do país. As conquistas de Hitler incomodaram a França e o Reino Unido, que viam a Segunda Guerra Mundial muito próxima do início. Foi nesse contexto em que o Pacto Germano-Soviético foi assinado.

Objetivos do Pacto Germano-Soviético

Hitler e Stalin tinham objetivos bem definidos com o Pacto Germano-Soviético:

  • Hitler: o principal objetivo de Hitler com o Pacto Germano-Soviético foi o de evitar duas frentes de batalha na guerra que se aproximava. Na Primeira Guerra Mundial o Império Alemão batalhou em duas frentes de batalha – na ocidental, combateu tropas britânicas, francesas e estadunidenses; na oriental, tropas russas. A luta em duas frentes enfraqueceu as forças armadas alemãs. Selando a paz no Oriente, Hitler poderia empregar toda sua força militar no Ocidente.

  • Stalin: o principal objetivo de Stalin com o Pacto Germano-Soviético era se manter fora de um conflito. Stalin via como inevitável uma guerra envolvendo a Alemanha, Itália, França e Inglaterra. Com o pacto, ele se manteria fora do conflito e veria seus adversários capitalistas ocidentais se enfraquecerem.

Cláusulas e acordos do Pacto Germano-Soviético

Podemos dividir o Pacto Germano-Soviético em duas partes, a parte pública, que foi divulgada para toda a mídia mundial, e a parte secreta, que não foi divulgada e foi chamada pelos signatários de “Protocolo Adicional Secreto”. Na parte pública, Alemanha e União Soviética deixaram claro ao mundo, e principalmente aos britânicos e franceses, que a União Soviética não declararia guerra à Alemanha. Na parte secreta, foi estabelecida a área de influência da Alemanha e da União Soviética no Leste Europeu e a partilha da Polônia entre as duas nações. A seguir, as duas partes do pacto.

Pacto Germano-Soviético de 1939 – (parte divulgada)

O Governo do Reich Alemão e o Governo da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, desejosos de fortalecer a causa da paz entre a Alemanha e a URSS, e partindo das disposições fundamentais do Acordo de Neutralidade concluído em abril de 1926 entre a Alemanha e a URSS, chegaram ao seguinte acordo:

Artigo I. Ambas as Altas Partes Contratantes se obrigam a renunciar a qualquer ato de violência, qualquer ação agressiva e qualquer ataque mútuo, seja individualmente ou em conjunto com outras Potências.

Artigo II. Caso uma das Altas Partes Contratantes se torne objeto de ação beligerante por parte de uma terceira Potência, a outra Alta Parte Contratante não deverá de forma alguma prestar o seu apoio a esta terceira Potência.

Artigo III. Os Governos das duas Altas Partes Contratantes manterão, no futuro, contactos contínuos entre si para fins de consulta, a fim de trocar informações sobre problemas que afectem os seus interesses comuns.

Artigo IV. Caso surjam disputas ou conflitos entre as Altas Partes Contratantes participarão de qualquer agrupamento de Poderes que seja direta ou indiretamente dirigido à outra parte.

Artigo V. Caso surjam disputas ou conflitos entre as Altas Partes Contratantes sobre problemas de um tipo ou de outro, ambas as partes resolverão essas disputas ou conflitos exclusivamente através de troca amigável de opiniões ou, se necessário, através do estabelecimento de comissões de arbitragem.

Artigo VI. O presente Tratado é celebrado por um período de dez anos, com a ressalva de que, na medida em que uma das Altas Partes Contratantes não o avance um ano antes do término desse período, a validade deste Tratado será automaticamente prorrogada por mais cinco anos.

Artigo VII. O presente tratado será ratificado no mais curto espaço de tempo possível. As ratificações serão trocadas em Berlim. O Acordo entrará em vigor assim que for assinado.

Moscou, 23 de agosto de 1939.

Pelo Governo do Reich Alemão v. Ribbentrop

Plenipotenciário do Governo da URSSV Molotov |1|

Protocolo Adicional Secreto

Artigo I. Em caso de reorganização territorial e política nas áreas pertencentes aos Estados Bálticos (Finlândia, Estónia, Letónia, Lituânia), a fronteira norte da Lituânia representará a fronteira das esferas de influência da Alemanha e da URSS. Neste contexto, o interesse da Lituânia na região de Vilna é reconhecido por cada uma das partes. Neste contexto, o interesse da Lituânia na área de Vilna é reconhecido por cada parte.

Artigo II. No caso de um rearranjo territorial e político das áreas pertencentes ao Estado polaco, as esferas de influência da Alemanha e da URSS serão limitadas aproximadamente pela linha dos rios Narev, Vístula e San.

A questão de saber se os interesses de ambas as partes tornam desejável a manutenção de um Estado polaco independente e como tal Estado deve ser delimitado só pode ser definitivamente determinada no decurso de futuros desenvolvimentos políticos.

Em qualquer caso, ambos os governos resolverão esta questão através de um acordo amigável.

Artigo III. No que diz respeito ao Sudeste da Europa, o lado soviético chama a atenção para o seu interesse na Bessarábia. O lado alemão declara o seu total desinteresse político nestas áreas.

Artigo IV. Este protocolo será tratado por ambas as partes como estritamente secreto.

Moscou, 23 de agosto de 1939.

Pelo Governo do Reich Alemão v. Ribbentrop

Plenipotenciário do Governo da URSSV Molotov. |2|

Fim do Pacto Germano-Soviético

Conforme o protocolo secreto do Pacto Germano-Soviético, a Polônia foi invadida pela Alemanha e União Soviética em setembro de 1939, evento inicial da Segunda Guerra Mundial. Após a conquista da Polônia, Hitler atingiu o seu objetivo militar com o pacto e pôde utilizar todas as suas forças militares para conquistar a Noruega e, posteriormente, a França e os Países Baixos.

Após atingir a maior parte dos seus objetivos na Europa Ocidental, Hitler decidiu quebrar o Pacto Germano-Soviético e invadir a União Soviética. A maior parte dos especialistas afirma que ele tomou essa decisão pois precisava de recursos para manter a Alemanha na guerra, sobretudo mão de obra, petróleo e alimentos, recursos abundantes no território soviético. O início da Operação Barbarosa, em 22 de junho de 1941, marcou o fim do Pacto Germano-Soviético.

Acesse também: O que foi a Operação Barbarossa?

Consequências do fim do Pacto Germano-Soviético

A primeira consequência do pacto recaiu sobre a Polônia, que perdeu sua independência e teve seu território invadido por alemães e soviéticos. Parte da população do Oeste polonês, controlada pelo Reich, foi forçada a migrar para o Leste. Na região controlada pelos soviéticos, grande parte dos opositores foram executados, como no Massacre de Katyn.

Mapa mostrando o Pacto Germano-Soviético sendo colocado em prática pelos soviéticos e pelos alemães.
Em de setembro de 1939, soviéticos e alemães colocaram em prática o Pacto Germano-Soviético, invadindo a Polônia e iniciando a Segunda Guerra Mundial.

Apesar de ter sido avisado diversas vezes por seu serviço secreto, Stalin foi pego de surpresa pela Operação Barbarossa, e isso fez com que a blitzkrieg alemã avançasse rapidamente pelo território soviético em três frentes diferentes. Mas, ao contrário do que Hitler imaginou, a conquista da União Soviética não foi rápida o suficiente para evitar a chegada do inverno russo.

Os três exércitos alemães foram barrados em três frentes, em Leningrado, Stalingrado e nas proximidades de Moscou. A derrota em Stalingrado em 1942 marcou um momento de inversão na guerra. Até então os alemães atacaram seus adversários, e a partir do fim da batalha em Stalingrado a Alemanha passou a se defender dos ataques soviéticos e a recuar em direção ao seu território. Isso ocorreu de forma gradativa até a derrota final alemã em 8 de maio de 1945.

Notas

|1| e |2| Jewish Virtual Library: a project of AICE. World War II: The Molotov-Ribbentrop Pact. Disponível em: https://www.jewishvirtuallibrary.org/the-molotov-ribbentrop-pact-august-1939.

Crédito de imagem

[1] meunierd / Shutterstock

Fontes

BEEVOR, Antony. A Segunda Guerra Mundial. Editora Record, São Paulo, 2015.

FERRAZ, Francisco Cesar. A Segunda Guerra Mundial. Editora Contexto, São Paulo, 2022.

MASSON, Phillippe. A Segunda Guerra Mundial: História e estratégias. Editora Contexto, São Paulo, 2010.

Escritor do artigo
Escrito por: Jair Messias Ferreira Junior Pós-graduado em História pela Unicamp e professor da Educação Básica há mais de 20 anos. Também é formador de professores e produtor de materiais didáticos há mais de 10 anos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

JUNIOR, Jair Messias Ferreira. "Pacto Germano-Soviético"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/guerras/pacto-germanosovietico.htm. Acesso em 23 de julho de 2024.

De estudante para estudante