Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Festival de Parintins

O Festival de Parintins é uma celebração anual no Amazonas que destaca a tradição do boi-bumbá, com rivalidade entre o Boi Garantido e o Boi Caprichoso, desde a década de 1960.

Apresentação do Boi Caprichoso no Festival de Parintins, uma festividade folclórica tradicional do estado do Amazonas.
O Festival de Parintins é uma festividade folclórica tradicional do estado do Amazonas.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O Festival de Parintins é uma festividade folclórica que ocorre anualmente na cidade de Parintins, no estado do Amazonas, e que se baseia na tradição do boi-bumbá, apresentando elementos como música, ritual, e o emblemático auto do boi. Composto por dois bois-bumbás rivais, o Boi Garantido e o Boi Caprichoso, o festival é marcado por intensa rivalidade, mobilizando as apaixonadas torcidas vermelha e azulada. 

Ao longo de sua rica história, desde a década de 1960, o evento conquistou o status de patrimônio cultural brasileiro, preservando as tradições da região amazônica. Os resultados ao longo dos anos mostram uma alternância de vitórias, com o Boi Garantido conquistando mais títulos do que o Boi Caprichoso.

O festival transcende suas origens sendo um fenômeno cultural nacional, influenciando a música, a moda, e até mesmo participando de novelas e programas de televisão. Curiosidades como a modificação das cores dos rótulos de refrigerantes, a presença de celebridades, as inovações tecnológicas, os concursos e a crescente repercussão internacional adicionam camadas fascinantes a essa festa que se tornou um ícone da cultura popular brasileira.

Leia também: Bumba meu boi — festividade folclórica predominante no Norte e no Nordeste que encena o auto do boi

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o Festival de Parintins

  • O Festival de Parintins é uma festividade folclórica realizada anualmente em Parintins, Amazonas, e que celebra a tradição do boi-bumbá.

  • O festival é composto por elementos como a música, o ritual, o auto do boi, o apresentador, a cunhã-poranga, a sinhazinha da fazenda, o porta-estandarte, o levantador de toadas, o amo do boi, a marujada, o pajé, o caboclo de lança, os guardiões do boi, a batucada, as alegorias e os adereços, a porta-bandeira, os fogos de artifício e as torcidas organizadas.

  • O festival transcende as fronteiras locais sendo parte integrante da cultura popular brasileira.

  • Destaca-se pela intensa rivalidade entre o Boi Garantido e o Boi Caprichoso, mobilizando torcedores conhecidos como vermelhos (do Boi Garantido) e azulados (do Boi Caprichoso).

  • O Festival de Parintins tem uma rica história que remonta à década de 1960.

  • Ao longo dos anos, consolidou-se como uma manifestação cultural significativa e foi reconhecido como patrimônio cultural brasileiro, preservando tradições e valores da região amazônica.

O que é o Festival de Parintins?

Boi Garantido, um dos bois-bumbás característicos do Festival de Parintins.
O Boi Garantido é um dos bois-bumbás característicos do Festival de Parintins.[2]

O Festival de Parintins é uma das maiores festas populares do Brasil, ocorrendo anualmente na cidade de Parintins, no estado do Amazonas. Essa celebração tem como destaque a disputa entre dois bois-bumbás, o Boi Garantido e o Boi Caprichoso, que representam duas agremiações culturais e folclóricas rivais. A festa é reconhecida nacional e internacionalmente, atraindo milhares de turistas todos os anos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Componentes do Festival de Parintins

Torcida vermelha, a torcida organizada do Boi Garantido, um dos componentes do Festival de Parintins.
Torcida vermelha, do Boi Garantido.[3]

O Festival de Parintins é conhecido por sua rica e diversificada apresentação, composta por diferentes elementos que envolvem música, rituais, danças e encenações. Cada boi-bumbá tem seus próprios componentes, contribuindo para a singularidade de suas performances. Alguns dos elementos mais marcantes incluem:

  • Música: a trilha sonora do festival é composta por toadas, músicas que contam a história do boi e expressam a identidade cultural de cada agremiação. Elas são interpretadas por cantores específicos, conhecidos como levantadores de toadas.

  • Ritual: o festival incorpora diversos rituais que remetem à cultura indígena e às tradições locais. Esses rituais são fundamentais para a construção da atmosfera única do evento, conectando os participantes e o público com as raízes culturais da região.

  • Auto do boi: uma das partes mais emocionantes e dramáticas do festival, trata-se de uma representação teatral que narra a morte e a ressurreição do boi, elemento central da festa.

  • Apresentador: desempenha um papel crucial, guiando o público e explicando os diferentes momentos da apresentação. Ele interage diretamente com a plateia, criando uma atmosfera de envolvimento e participação.

  • Cunhã-poranga: é a rainha da festa, representando a beleza e a cultura feminina. Sua presença é marcada por coreografias elaboradas e trajes exuberantes.

  • Sinhazinha da fazenda: também representa a figura feminina, destacando-se por sua conexão com a vida no campo e suas tradições.

  • Porta-estandarte: carrega o estandarte do boi, desfilando com graciosidade e sendo uma figura importante na composição visual da apresentação.

  • Levantador de toadas: é o cantor que interpreta as toadas durante a apresentação, sendo um elemento central para transmitir a emoção e a história por meio da música.

  • Amo do boi: conduz o boi durante as apresentações, demonstrando habilidade e destreza na dança e no manejo do animal.

  • Marujada: grupo que participa ativamente das apresentações dançando e celebrando em conjunto com os demais elementos.

  • Pajé: figura que representa a espiritualidade e a conexão com as tradições indígenas.

  • Caboclo de lança: personagem que simboliza a coragem e a bravura, muitas vezes portando lanças e desempenhando papel de destaque nas apresentações.

  • Guardiões do boi: grupo que protege e acompanha o boi durante todo o festival.

  • Batucada: a percussão que dá ritmo às apresentações, criando a base musical para as danças e encenações.

  • Alegorias e adereços: elementos visuais que compõem os carros alegóricos e a decoração do local, contribuindo para a estética e o impacto visual do festival.

  • Porta-bandeira: carrega a bandeira do boi, acrescentando elementos visuais à apresentação.

  • Fogos de artifício: utilizados para criar efeitos especiais durante as apresentações, contribuindo para a atmosfera festiva.

  • Torcidas organizadas: os vermelhos (torcedores do Boi Garantido) e os azulados (torcedores do Boi Caprichoso) participam ativamente, torcendo e vibrando por suas agremiações.

Acesse também: Carnaval — detalhes sobre a principal festa popular brasileira

Resultados do Festival de Parintins

Ano

Campeão

2° lugar

1966

Garantido

Caprichoso

1967

Garantido

Caprichoso

1968

Garantido

Caprichoso

1969

Caprichoso

Garantido

1970

Garantido

Caprichoso

1971

Garantido

Caprichoso

1972

Caprichoso

Garantido

1973

Garantido

Caprichoso

1974

Caprichoso

Garantido

1975

Garantido

Caprichoso

1976

Caprichoso

Garantido

1977

Caprichoso

Garantido

1978

Garantido

Campineiro

1979

Caprichoso

Garantido

1980

Garantido

Caprichoso

1981

Garantido

Caprichoso

1982

Garantido

Caprichoso

1983

Garantido

Caprichoso

1984

Garantido

Caprichoso

1985

Caprichoso

Garantido

1986

Garantido

Caprichos

1987

Caprichoso

Garantido

1988

Garantido

Caprichoso

1989

Garantido

Caprichoso

1990

Caprichoso

Garantido

1991

Garantido

Caprichoso

1992

Caprichoso

Garantido

1993

Garantido

Caprichoso

1994

Caprichoso

Garantido

1995

Caprichoso

Garantido

1996

Caprichoso

Garantido

1997

Garantido

Caprichoso

1998

Caprichoso

Garantido

1999

Garantido

Caprichoso

2000

Garantido

Caprichoso

2001

Garantido

Caprichoso

2002

Garantido

Caprichoso

2003

Caprichoso

Garantido

2004

Garantido

Caprichoso

2005

Garantido

Caprichoso

2006

Garantido

Caprichoso

2007

Caprichoso

Garantido

2008

Caprichoso

Garantido

2009

Garantido

Caprichoso

2010

Caprichoso

Garantido

2011

Garantido

Caprichoso

2012

Caprichoso

Garantido

2013

Garantido

Caprichoso

2014

Garantido

Caprichoso

2015

Caprichoso

Garantido

2016

Garantido

Caprichoso

2017

Caprichoso

Garantido

2018

Caprichoso

Garantido

2019

Garantido

Caprichoso

2020

Não houve disputa

Não houve disputa

2021

Não houve disputa

Não houve disputa

2022

Caprichoso

Garantido

2023

Caprichoso

Garantido

Festival de Parintins na cultura popular

Vista aérea do Festival de Parintins.
O Festival de Parintins está presente em diversos aspectos da cultura popular.[4]

O Festival de Parintins transcende os limites da arena onde é realizado, ganhando espaço na cultura popular por meio de diversas formas de expressão. Livros, músicas, novelas, filmes e outros meios artísticos muitas vezes incorporam elementos característicos do festival. Alguns exemplos são:

  • Música e toadas: as toadas do festival têm grande destaque na cultura popular, sendo reproduzidas em rádios, festas e eventos ao redor do Brasil. Muitas vezes, as músicas contam as histórias dos bois e se tornam hits populares.

  • Livros e documentários: diversos livros e documentários foram produzidos para registrar e explorar a rica história e as tradições do Festival de Parintins. Essas obras contribuem para disseminar a cultura e o significado por trás do evento.

  • Programas de TV: o festival frequentemente é tema de programas de televisão, tanto em coberturas ao vivo quanto em programas especiais que exploram os bastidores e a preparação das agremiações.

  • Participação em novelas: em algumas produções televisivas, o festival é incorporado às tramas, proporcionando uma representação artística da festa amazônica e seus personagens.

  • Influência na moda: os trajes coloridos e exuberantes dos personagens do festival, muitas vezes, inspiram estilistas e designers, influenciando a moda brasileira e regional.

  • Referências em canções nacionais: artistas brasileiros frequentemente fazem referências ao festival em suas músicas, incorporando elementos como os bois, as cores vibrantes e a cultura amazônica em suas composições.

  • Presença em eventos culturais: o festival é frequentemente mencionado e homenageado em diversos eventos culturais, reforçando sua importância como uma das manifestações mais significativas da cultura popular brasileira.

  • Escolas de samba e desfiles: o tema do festival já serviu como inspiração para desfiles de escolas de samba no Carnaval, levando a atmosfera vibrante e folclórica para o cenário do samba no Rio de Janeiro e em outras cidades.

  • Presença na publicidade: empresas, muitas vezes, utilizam elementos do festival em campanhas publicitárias, associando a festividade a valores como alegria, tradição e diversidade cultural.

  • Eventos temáticos e exposições: em diferentes regiões do Brasil, eventos temáticos e exposições dedicados ao festival proporcionam ao público a oportunidade de mergulhar na cultura amazônica, explorando seus símbolos e tradições de forma interativa.

Acesse também: Quais são as principais danças folclóricas?

Rivalidade entre Boi Garantido e Boi Caprichoso

Boi Caprichoso, um dos bois-bumbás característicos do Festival de Parintins.
O Boi Caprichoso é um dos bois-bumbás característicos do Festival de Parintins.[5]

A rivalidade entre o Boi Garantido e o Boi Caprichoso é uma característica marcante do Festival de Parintins, sendo uma das maiores rivalidades do folclore brasileiro. Essa competição se manifesta não apenas nas apresentações da arena mas também na paixão dos torcedores, conhecidos como vermelhos (torcedores do Garantido) e azulados (torcedores do Caprichoso).

A rivalidade vai além do palco, permeando a vida cotidiana das comunidades locais, onde as cores dos bois são usadas com orgulho e fervor. As diferenças entre os bois, tanto em termos de estilos de apresentação quanto de suas histórias, contribuem para a intensidade dessa rivalidade que, longe de ser apenas uma competição, é uma expressão viva da identidade cultural da região.

História do Festival de Parintins

O Festival de Parintins teve seu início em 1965, quando um grupo de amigos decidiu organizar um evento para animar a cidade durante o período de Festas Juninas. A partir de uma brincadeira simples, a festa foi ganhando popularidade e se transformou no grandioso espetáculo que conhecemos hoje.

A história do festival está intrinsecamente ligada à cultura amazônica e às tradições locais. Ao longo dos anos, o evento foi se consolidando como um dos maiores representantes da cultura popular brasileira, atraindo não apenas moradores da região mas também visitantes de todo o país e do exterior.

→ Festival de Parintins como patrimônio cultural

O Festival de Parintins foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil em 2015 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Essa importante conquista reconhece a relevância e a preservação das tradições culturais presentes no festival, garantindo sua continuidade e valorização ao longo das gerações.

O título de Patrimônio Cultural Imaterial destaca a importância do Festival de Parintins como uma manifestação única, representativa das expressões populares e folclóricas presentes na região amazônica.

Curiosidades sobre o Festival de Parintins

Além dos aspectos tradicionais e históricos, o Festival de Parintins tem curiosidades que contribuem para a singularidade do evento. Entre elas, estão:

  • Cores dos rótulos de refrigerantes: as marcas de refrigerantes Coca-Cola e Pepsi modificam as cores de seus rótulos para se alinharem com as cores dos bois Garantido e Caprichoso. A Coca-Cola adota o vermelho, característico do Boi Garantido, enquanto a Pepsi assume o azul, emblemático do Boi Caprichoso. Essa adaptação reflete a influência cultural e a importância do festival no cenário nacional.

  • Presença de celebridades: celebridades brasileiras, muitas vezes, participam das festividades como convidados especiais. A presença delas contribui para aumentar a visibilidade do evento e destacar sua importância cultural.

  • Inovações tecnológicas nos espetáculos: ao longo dos anos, o festival incorporou inovações tecnológicas em suas apresentações, utilizando efeitos especiais, iluminação avançada e projeções para criar espetáculos ainda mais impactantes. Essas atualizações buscam manter a tradição folclórica ao mesmo tempo que introduzem elementos contemporâneos.

  • Homenagens e temas sociais: algumas edições do festival incluíram homenagens e abordagens de temas sociais relevantes, buscando conscientizar o público. Essas abordagens ampliam o alcance cultural do evento, conectando-o às preocupações contemporâneas da sociedade brasileira.

  • Interação com o público: os participantes, especialmente os apresentadores, buscam envolver os espectadores, criando uma atmosfera única de celebração e participação coletiva.

  • O auto do boi e suas variações: uma das partes mais tradicionais do festival, esse auto vem sendo encenado em diferentes versões ao longo dos anos. Essas variações enriquecem a experiência do público, proporcionando novas interpretações da tradição folclórica.

  • Venda de produtos temáticos: uma variedade de produtos temáticos, como camisetas, souvenires e artesanatos, é disponibilizada para os espectadores. Esses produtos, muitas vezes elaborados manualmente, se tornam lembranças populares do evento.

  • Concursos de fotografia e vídeo: são realizados para incentivar a participação do público e promover a divulgação do festival. Essas competições buscam capturar a essência única do evento por meio das lentes dos participantes.

  • Participação de grupos folclóricos locais: grupos folclóricos locais também participam do festival apresentando danças e performances tradicionais. Essa inclusão destaca a diversidade cultural da região amazônica.

  • Repercussão internacional: o festival tem conquistado uma crescente repercussão internacional, atraindo a atenção de turistas estrangeiros e sendo cada vez mais reconhecido como um evento cultural de relevância global. Essa projeção destaca a singularidade e a importância do festival no cenário mundial.

Créditos de imagem

[1]Lia de Paula / Ministério da Cultura / Wikimedia Commons (reprodução)

[2]Yesydrodriguez / Wikimedia Commons (reprodução)

[3]Clara Angeleas / Ministério da Cultura / Wikimedia Commons (reprodução)

[4]Ricardo Stuckert / Agência Brasil / Wikimedia Commons (reprodução)

[5]Wilson Dantas de Brito Neto / Wikimedia Commons (reprodução)

Fontes

FERNANDES, Ana Rúbia Figueiredo. Festival folclórico: o que muda em Parintins? v. 2, n. 2, 2002: Edição Especial. Disponível em: https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/somanlu/article/view/264.

MELO, J. J. M. de; ARAÚJO-MACIEL, A. P.; FIGUEIREDO, S. J. de L. Eventos Culturais como estratégia de fomento do turismo: análise do Festival Folclórico de Parintins/AM. Revista Brasileira de Ecoturismo (RBEcotur), [S. l.], v. 8, n. 2, 2015. DOI: 10.34024/rbecotur.2015.v8.6424. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/ecoturismo/article/view/6424.

Escritor do artigo
Escrito por: Tiago Soares Campos Bacharel, licenciado e doutorando em História pela USP. Bacharel em Direito e pós-graduado em Direito pela PUC. É professor de História e autor de materiais didáticos há mais de 15 anos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAMPOS, Tiago Soares. "Festival de Parintins"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/folclore/festival-de-parintins.htm. Acesso em 23 de fevereiro de 2024.

De estudante para estudante