Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Serotonina

A serotonina é produto da hidroxilação e carboxilação do triptofano, um aminoácido essencial que pode ser adquirido por meio da ingestão de alimentos como banana e chocolate.

Ilustração da fórmula da serotonina; ao lado, a silhueta de uma pessoa com um smile na parte de cima da cabeça.
A fórmula molecular da serotonina é C10H12N2O. Esse neurotransmissor está relacionado com a regulação do humor.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Serotonina é um neurotransmissor produzido do triptofano e que apresenta diferentes papéis no organismo, tais como regulação do sono, do humor, do apetite, da temperatura corporal e de funções cognitivas. Alterações nos níveis desse neurotransmissor estão relacionadas com diferentes problemas, por exemplo, alterações no humor, depressão e ansiedade.

A serotonina é encontrada no sistema nervoso, no trato gastrointestinal e nas plaquetas. Para garantir a síntese desse neurotransmissor, é fundamental a ingestão de seu precursor. Isso pode ser conseguindo ingerindo-se alimentos como banana, queijo, leite, ovos e chocolate amargo.

Leia também: Dopamina — neurotransmissor que atua no controle motor, na cognição, no prazer e no humor

Tópicos deste artigo

Resumo sobre serotonina

  • A serotonina é produto da hidroxilação e carboxilação do aminoácido triptofano.

  • É encontrada no trato gastrointestinal, nas plaquetas e no sistema nervoso central.

  • Regulação do sono, temperatura corpórea, apetite, humor e funções cognitivas são algumas funções desempenhadas pela serotonina.

  • Alterações comportamentais e até mesmo o aumento do desejo de ingerir doces são problemas que podem estar relacionados com alterações nos níveis de serotonina.

  • Para aumentar os níveis de serotonina no organismo, é importante adicionar à dieta alimentos ricos em triptofano.

  • O triptofano deve ser adquirido pela ingestão de alimentos como bananas, queijo e chocolate amargo.

O que é serotonina?

A serotonina, também conhecida como 5-hidroxitriptamina ou 5-HT, é encontrada no sistema nervoso, no trato gastrointestinal e nas plaquetas. Trata-se de um neurotransmissor formado da hidroxilação e descarboxilação do aminoácido triptofano, que não pode ser produzido naturalmente em nosso organismo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Formação da serotonina

Para a síntese no interior dos neurônios, inicialmente o triptofano é convertido em 5-hidroxitriptofano pela enzima triptofano hidroxilase. Ocorre então a descarboxilação do composto pela enzima 5-hidroxitriptofano descarboxilase e a formação da serotonina. A serotonina é então estocada nos grânulos secretórios e liberada na fenda sináptica por exocitose. Ela será responsável pela transmissão de impulsos nervosos por meio da ligação com receptores específicos, chamados serotoninérgicos.

Veja também: Noradrenalina — qual é a relação entre esse hormônio e a depressão?

Onde é produzida a serotonina?

Apesar de, ao nos referirmos à serotonina, focarmos, geralmente, no seu papel no sistema nervoso central, o encéfalo não é o maior produtor desse neurotransmissor. A maior parte da serotonina produzida em nosso organismo acontece nas células enteroendócrinas e nos neurônios entéricos, células presentes no trato gastrointestinal. Estima-se que 95% de toda a serotonina nos seres humanos sejam produzidos nesse local.

Para que serve a serotonina?

A serotonina é um neurotransmissor relacionado com inúmeras funções em nosso organismo. Ela participa, por exemplo, dos seguintes processos:

  • modulação da motilidade gastrointestinal;

  • função plaquetária;

  • regulação da atividade sexual;

  • ritmo circadiano;

  • funções neuroendócrinas;

  • sensibilidade à dor;

  • temperatura corporal;

  • funções cognitivas;

  • atividades motoras.

Além disso, a serotonina atua na regulação das emoções, no controle comportamental, no comportamento alimentar e no balaço energético.

Que problemas estão relacionados aos níveis de serotonina no organismo?

A serotonina participa de importantes funções no nosso organismo, e alterações em sua concentração normal podem apresentar consequências graves. Entre os problemas relacionados com a alteração nas concentrações de serotonina, estão:

  • alterações do comportamento;

  • mudanças no humor;

  • depressão;

  • agressividade;

  • fadiga.

A ansiedade é também um problema que decorre de baixos níveis de serotonina. A síndrome do intestino irritável também está relacionada com alterações no nível desse neurotransmissor. Esse problema, que provoca alterações nas características das evacuações, além de dor ou desconforto gastrointestinal, pode ser tratado com medicamentos que inibem a recaptação da serotonina.

Saiba mais: Afinal, o que é uma alimentação considerada saudável?

Serotonina e saciedade

A serotonina está diretamente relacionada com a nossa saciedade, sendo que baixos níveis do neurotransmissor ou problemas na sinalização com ele estão relacionados com o aumento da vontade de ingerir doces e carboidratos.

Quando os níveis de serotonina estão adequados no organismo, um indivíduo consegue ter maior controle sobre a ingestão de açúcares e se sente saciado com mais facilidade. É por isso que alguns medicamentos que visam tratar a obesidade se baseiam na inibição da recaptação da serotonina. Esse é o caso, por exemplo, da sibutramina.

O que comer para aumentar os níveis de serotonina?

Para manter os níveis adequados de serotonina, o primeiro passo é investir em uma alimentação adequada. Isso se deve ao fato de que os níveis adequados desse neurotransmissor dependem da ingestão de triptofano e de carboidratos.

Banana, morango, tomate, queijo, camarão, peixe, nozes, sementes e outros alimentos que aumentam os níveis de serotonina.
Uma alimentação rica em triptofano é essencial para a produção da serotonina.

O triptofano, como salientado, é o precursor da serotonina e trata-se de um aminoácido essencial, ou seja, que deve ser ingerido na nossa dieta. Vários alimentos são ricos em triptofano, sendo possível encontrá-lo, por exemplo, em alimentos como banana, queijo, mel, chocolate amargo, leite, grãos, sementes, amêndoas, nozes e arroz integral.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Serotonina"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/serotonina.htm. Acesso em 14 de abril de 2024.

De estudante para estudante