Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Guerra Franco-Prussiana

A Guerra Franco-Prussiana foi travada entre Prússia, nação germânica que protagonizava o processo de unificação alemã, e França, que era contrária à unificação.

Pintura retratando a prestação de homenagem aos soldados franceses derrotados na Guerra Franco-Prussiana.
Na obra “Oficiais alemães prestam homenagem aos prisioneiros franceses feridos”, é retratada a homenagem aos soldados da Guerra Franco-Prussiana.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A Guerra Franco-Prussiana foi um dos eventos finais do processo de unificação da Alemanha, em curso desde o início do século XIX. O conflito ocorreu entre os anos de 1870 e 1971 e ocorreu entre Prússia, nação germânica que protagonizava o processo de unificação alemã, e França, que era contrária à unificação. Chegou ao fim em 1871 com a assinatura do Tratado de Frankfurt.

Leia também: Como foi a Guerra de Unificação da Itália?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a Guerra Franco-Prussiana

  • A Guerra Franco-Prussiana foi travada entre Prússia e França entre os anos de 1870 e 1871.
  • Foi um dos eventos finais do processo de unificação da Alemanha, em curso desde o início do século XIX.
  • O desmembramento do Sacro Império Romano Germânico, em 1806, fez com que os territórios a ele pertencentes se reunificassem sob novos estados nacionais.
  • O motivo que levou à Guerra Franco Prussiana foi a oposição francesa à unificação da Alemanha.
  • O exército francês foi derrotado pelas tropas prussianas, e o imperador francês foi capturado, rendido e forçado a abdicar o trono da França.
  • A Guerra Franco-Prussiana chegou ao fim em 1871 com a assinatura do Tratado de Frankfurt.
  • Como consequências da Guerra Franco-Prussiana pode-se apontar a vitória alemã, que pôde concluir com sucesso seu processo de unificação nacional, e a derrota francesa.

Antecedentes históricos da Guerra Franco-Prussiana

A Guerra Franco-Prussiana (1870-1871) foi um dos eventos finais do processo de unificação da Alemanha, em curso desde o início do século XIX. Em 1806, o Sacro Império Romano Germânico (existente desde o século X) foi invadido e desmembrado por Napoleão Bonaparte, o que gerou a necessidade de os territórios a ele pertencentes se reunificarem sob novos estados nacionais. O nacionalismo germânico foi fundamental para agregar os diversos territórios sob o projeto de formação da Alemanha.

Retrato de Otto von Bismarck, o responsável pelo sucesso da unificação alemã, uma das causas da Guerra Franco-Prussiana.
Otto von Bismarck (1815–1898) foi um político e chancelar alemão, responsável pelo sucesso da unificação alemã.

Esse projeto de formação da Alemanha teve início em 1834 com a criação de uma união aduaneira, ou seja, uma zona de alianças econômicas com o objetivo de facilitar o trânsito de produtos, chamada Zollvenrein. Liderados por Otto von Bismarck, os territórios germânicos empreenderam guerra contra nações adversárias à unificação, como a Dinamarca (Guerra dos Ducados, 1864), a Áustria (Guerra Austro-Prussiana ou Guerra das Sete Semanas, 1866) e a França (Guerra Franco-Prussiana, 1870 a 1871). A Prússia, nação germânica que protagonizava o processo de unificação alemã, travou guerra contra a França, que era contrária à unificação do país.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Motivos da Guerra Franco-Prussiana

A motivação da Guerra Franco Prussiana foi a oposição francesa, à época liderada pelo imperador Napoleão III, à unificação da Alemanha. Napoleão III temia que a unificação gerasse um grande império, que se convertesse em uma potência europeia e rivalizasse com a França, o que, de fato, ocorreu.

Napoleão III, imperador da França durante a unificação alemã, uma das causas da Guerra Franco-Prussiana.
Napoleão III, nascido Luís Bonaparte, sobrinho de Napoleão Bonaparte, foi imperador da França durante a unificação alemã.

Guerra Franco-Prussiana (1870–1871)

A Prússia era a nação germânica protagonista do processo de unificação alemã, liderada por Guilherme I, seu monarca, sob a liderança militar de Helmut von Moltke e a liderança política e diplomática de Otto von Bismarck. Por isso, a França, com o intuito de se opor à unificação, empreendeu guerra contra a Prússia.

As tropas prussianas invadiram a França e foram bastante eficientes na empreitada, pois os prussianos conquistaram os territórios da Alsácia e avançaram sobre o território francês. A principal batalha da guerra foi a Batalha de Sedan, ocorrida entre 1 e 2 de setembro de 1870. O exército francês, liderado pelo próprio Napoleão III, foi derrotado pelas tropas prussianas, e o imperador francês foi capturado, rendido e forçado a abdicar o trono da França. Com isso, ocorreu a consequente queda do Segundo Império Francês e estabelecimento da Terceira República Francesa em um tenso processo histórico dotado de peculiaridades.

O exército prussiano era composto por 200 mil homens, enquanto o francês contava com 120 mil. Ao total, mais de 100 mil soldados franceses foram capturados, incluindo o imperador Napoleão III.

Pintura retratando Otto von Bismarck e Napoleão III após a Batalha de Sedan, ao fim da Guerra Franco-Prussiana.
Na obra “Bismarck e Napoleão III após a Batalha de Sedan”, são retratadas a rendição do imperador francês e a consolidação do projeto de Bismarck.

Fim da Guerra Franco-Prussiana

A Guerra Franco-Prussiana chegou ao fim em 1871 com a assinatura do Tratado de Frankfurt. Por meio desse tratado, a França, derrotada, foi penalizada com a perda do território da Alsácia-Lorena, além do pagamento de indenizações à Alemanha.

Consequências da Guerra Franco-Prussiana

Como consequências da Guerra Franco-Prussiana, pode-se apontar a conclusão efetiva do processo de unificação nacional promovido pela Alemanha, possível por ter ela sido vitoriosa na guerra, e a perda dos territórios da Alsácia-Lorena por parte da França, territórios esses que se tornaram motivos para o “Revanchismo Francês”, sentimento de inimizade que gerou desdobramentos políticos e militares, culminando na oposição de França e Alemanha na Primeira Guerra Mundial (1914–1918).

Acesse também: Como se deu o processo de reunificação da Alemanha?

Exercícios resolvidos sobre a Guerra Franco-Prussiana

Questão 1

(Cecierj) A Guerra Franco-Prussiana foi um conflito ocorrido entre o Império da França e o Reino Prussiano no final do século XIX. Muitos monumentos espalhados pela França homenageiam os mortos dessa guerra. Assinale a opção que melhor identifica a Guerra Franco-Prussiana.

A) Revelou-se como uma política expansionista dos ingleses sobre a Rússia.

B) Correspondeu ao avanço das forças francesas contrárias à unificação alemã.

C) Expressou a vitória de Napoleão sobre a região prussiana.

D) Disseminou o fracasso da política de unificação de Bismark.

Resolução:

Alternativa B.

A Guerra Franco-Prussiana pode ser interpretada como os esforços franceses contrários à unificação da Alemanha.

Questão 2

A unificação alemã foi articulada pelo reino da:

A) Prússia, após a derrota da Comuna de Paris na Guerra Franco-Prussiana, apoiado em uma aliança com a aristocracia austríaca e a burguesia prussiana.

B) Áustria, devido à sua superioridade industrial e militar dentro da Confederação Germânica, apoiado em uma aliança com a aristocracia prussiana.

C) Áustria, como resposta à ameaça prussiana de unificação após a instituição do Zollverein na Confederação Germânica, apoiado em uma aliança com a aristocracia austríaca.

D) Prússia, devido a seu poderio militar e força econômica dentro da Confederação Germânica, apoiado em uma aliança entre a aristocracia e a alta burguesia.

E) Prússia, devido à mobilização nacionalista da Confederação Germânica durante a Guerra Franco-Prussiana, apoiado em uma aliança com a grande burguesia austríaca.

Resolução:

Alternativa D.

A Unificação da Alemanha foi articulada pela Prússia, graças a seu poderio militar, apoiada pela aliança entre aristocracia e burguesia.

Fontes

HOBSBAWN, Eric J. A Era dos Impérios. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

KITCHEN, Martin. História da Alemanha Moderna: dos 1800 aos dias de hoje. São Paulo: 2015.

Escritor do artigo
Escrito por: Tiago Soares Campos Bacharel, licenciado e doutorando em História pela USP. Bacharel em Direito e pós-graduado em Direito pela PUC. É professor de História e autor de materiais didáticos há mais de 15 anos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAMPOS, Tiago Soares. "Guerra Franco-Prussiana"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/guerras/guerra-francoprussiana.htm. Acesso em 16 de abril de 2024.

De estudante para estudante