Topo
pesquisar

Irrigação e economia de água

Geografia

Para realizar, ao mesmo tempo, a irrigação e a economia de água, é preciso conhecer e aplicar os métodos mais eficientes na utilização sustentável dos recursos hídricos.
PUBLICIDADE

O Brasil, mesmo sendo uma potência no que se refere à disponibilidade de água em seu território, vem encontrando problemas com a escassez hídrica, em muitos casos causada pelo incorreto manejo de seus recursos, pela poluição e, também, pela utilização de forma não sustentável. No país, cerca de 72% de todo o consumo é realizado por sistemas de irrigação na agricultura, um número um pouco acima da média global (70%), mas muito abaixo da média dos países subdesenvolvidos (82%). Por isso, se adotadas medidas para a economia de água na irrigação, a preservação dos recursos hídricos poderá perpetuar-se com maior facilidade.

É importante lembrar, antes de tudo, que não se pode ver a irrigação como uma “vilã” do consumo de água no Brasil, haja vista que esse método é de suma importância para a produção de alimentos e também de produtos voltados para a exportação, além das matérias-primas. A grande questão é: como manter ou até aumentar os índices de produtividade atuais diminuindo o consumo de recursos hídricos? Há, portanto, a necessidade de se pensar a relação entre irrigação e economia de água.

Umas das formas de reduzir o gasto de água na agricultura é a adoção de métodos de irrigação voltados para isso, dos quais o mais conhecido é a irrigação por gotejamento. Trata-se de um tipo de irrigação em que, tal como o próprio nome sugere, a distribuição da água sobre a plantação é feita pelo derramamento de algumas gotas, que são suficientes para o atendimento das necessidades da plantação.

No sistema de gotejamento, a água corre por meio de tubos de polietileno sob pressão, de modo a se dirigir diretamente à raiz da planta, tendo um nível de aproveitamento de cerca de 95%. Com essa técnica, o desperdício de água em razão da evaporação ou pelo uso desmedido é praticamente nulo, o que ajuda a manter a produtividade das lavouras de maneira sustentável, ao menos sob o viés hídrico. Além disso, o impacto sobre os solos é mínimo, pois não há escoamento superficial da água e o nem impacto da queda no chão.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Irrigação por gotejamento em uma lavoura de mirtilo (blueberry)
Irrigação por gotejamento em uma lavoura de mirtilo (blueberry)

Cultivo de vegetais realizado por gotejamento
Cultivo de vegetais realizado por gotejamento

Geralmente, a irrigação por gotejamento é aliada à fertirrigação, que é a fertilização combinada com a irrigação por meio da adição de nutrientes, geralmente sais ou adubos minerais, tais como o nitrato de cálcio, o potássio e outros. Assim, como o gotejamento permite um fornecimento gradual de água para o solo, sua absorção acontece mais facilmente, propiciando um melhor aproveitamento dos recursos.

Ainda existem outros sistemas de irrigação localizada, realizados próximo ao solo, que também permitem a economia de água, embora não tanto quanto a técnica do gotejamento. Um deles é a microaspersão, em que pequenos microaspersores de água são posicionados para distribuir água por um espaço próximo. Existem modelos que também permitem o uso em áreas maiores, embora o gasto seja inevitavelmente maior.

Além disso, o uso da tecnologia também pode favorecer a economia de água na agricultura. Em vários casos, programas de computadores são elaborados para fornecer informações sobre a umidade dos solos e do ar, a temperatura, entre outros fatores. Assim, consegue-se calcular mais precisamente a quantidade de água a ser utilizada na irrigação, o que diminui consideravelmente o desperdício.

Portanto, podemos perceber que existem diversas formas de economizar água na irrigação, o que pode ser importante para a preservação dos recursos hídricos tanto regionalmente quanto em termos globais. Estudos realizados pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) revelam que uma economia de 10% na irrigação seria o suficiente para abastecer por duas vezes a população mundial.


Por Me. Rodolfo Alves Pena

A irrigação é responsável pela maior parte do gasto de água no mundo
A irrigação é responsável pela maior parte do gasto de água no mundo

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PENA, Rodolfo F. Alves. "Irrigação e economia de água"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/irrigacao-economia-agua.htm. Acesso em 22 de setembro de 2019.

Lista de Exercícios
Questão 1

À medida que a população, o consumo, a produção industrial e as cidades crescem, aumenta-se também a demanda pela água, que é necessária no uso doméstico, nas indústrias, na produção agropecuária etc. No que diz respeito ao consumo de recursos hídricos, assinale a alternativa que expõe onde a água é requerida em maior quantidade.

a) Na criação de animais, para o consumo e para a higienização dos criatórios.

b) Na agricultura, em especial para a irrigação de lavouras.

c) Nas residências, para higiene pessoal, limpeza doméstica e lazer.

d) Na atividade industrial, em especial para controlar temperatura de motores a combustão.

e) No setor de serviços, para irrigar campos de golfe, futebol e manter parques aquáticos.

Questão 2

(Unesp)

Desde 1957 o mar de Aral, localizado entre o Cazaquistão e o Uzbequistão, teve uma redução de 50% de área e de mais 66% de volume, em boa parte por causa do desvio dos rios Amu Darya e Syr Darya para prover

a) a indústria pesada.

b) o setor terciário.

c) a irrigação de lavouras.

d) a zona urbana.

e) o complexo industrial.

Mais Questões
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola