close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Trajetória do raio de luz no prisma

Um prisma é um sólido geométrico formado por uma face superior e uma face inferior, paralelas e congruentes (também chamadas de bases), ligadas por arestas.

Esquema geral da trajetória descrita por um raio de luz atravessando o prisma
Esquema geral da trajetória descrita por um raio de luz atravessando o prisma
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Ao estudarmos Óptica vimos que um prisma nada mais é do que um sólido geométrico constituído por três meios homogêneos e transparentes, basicamente em formato de um triângulo. Vimos também que quando a luz incide sobre uma das faces de um prisma, sofrerá duas refrações.

Sendo assim, quando uma luz policromática (duas ou mais cores) incide sobre um prisma ocorre o fenômeno que conhecemos como dispersão da luz, ou seja, ocorre o fenômeno idêntico ao que forma o arco-íris. Ao conjunto das cores que compõem uma luz policromática damos o nome de espectro da luz. Fica a pergunta: como o raio de luz se comporta no interior do prisma? Responderemos essa pergunta conhecendo a trajetória do raio de luz no prisma.

Vejamos a figura acima. Vamos supor que um prisma esteja imerso no interior de um meio transparente e homogêneo. Para esse meio vamos adotar que o material que compõe o prisma seja mais refringente, ou seja, o índice de refração desse meio é maior que o índice de refração do meio inicial. Podemos ver que a figura nos mostra um esquema geral da trajetória adotada por um raio de luz monocromática que atravessa o prisma.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Podemos ver que o raio de luz R incidente chega até o ponto I de uma das faces do prisma. Em seguida, podemos ver que esse mesmo raio de luz R sofre uma refração. No esquema, i e r são os ângulos de incidência e refração. Logo após a primeira refração, vemos que o raio de luz propaga-se através do prisma e incide sobre a outra face do prisma exatamente no ponto I’. Sendo assim, R’ é o raio emergente, i’ e r’ são os ângulos de incidência e emergência, respectivamente, da segunda face do prisma.

Para a trajetória do raio de luz no prisma nas duas faces também podemos usar a equação de Snell-Descartes. Sendo assim, temos:

Face de incidência: n1.sen i = n2.sen r

Face de emergência: n2.sen r'=n1.sen i'


Por Domiciano Marques
Graduado em Física

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Domiciano Correa Marques da. "Trajetória do raio de luz no prisma"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/fisica/trajetoria-raio-luz-no-prisma.htm. Acesso em 25 de maio de 2022.

De estudante para estudante


1)Transformando a temperatura de 30 ºC para a escala Fahrenheit e, em seguida, convertendo-a para escala Kelvin,
quais as temperaturas registradas nas respectivas escalas?

Por Vitor Lampert
Responder
Ver respostas

1)Transformando a temperatura de 30 ºC para a escala Fahrenheit e, em seguida, convertendo-a para escala Kelvin,
quais as temperaturas registradas nas respectivas escalas?

Por Vitor Lampert
Responder
Ver respostas

Estude agora


Tempos derivados

São derivados os tempos verbais que se originam de outros primitivos. Assista a esta videoaula para aprender um pouco...

Zumbi dos Palmares

Assista à nossa videoaula para conhecer a história de Zumbi dos Palmares. Confira também no nosso canal outras...