Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Diferenças entre anti-inflamatórios e antibióticos

A diferença entre anti-inflamatórios e antibióticos é que esses medicamentos agem de maneiras distintas: um combate inflamações, e o outro, infecções bacterianas.

Comprimidos brancos representando anti-inflamatórios e antibióticos.
Os mecanismos de ação dos anti-inflamatórios e dos antibióticos são distintos.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Você sabe a diferença entre anti-inflamatórios e antibióticos? Anti-inflamatórios e antibióticos são medicamentos que, apesar do nome semelhante, apresentam grandes diferenças. Enquanto os antibióticos são usados no tratamento de doenças bacterianas, os anti-inflamatórios são usados para o alívio de sintomas provocados por inflamações. Vale destacar que algumas inflamações estão associadas a infecções por bactérias, sendo, em algumas situações, recomendado o uso dos dois medicamentos em associação. Nem antibióticos, nem anti-inflamatórios devem ser usados sem recomendação médica.

Leia também: Penicilina — tudo sobre a descoberta do primeiro antibiótico

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a diferença entre anti-inflamatórios e antibióticos

  • Antibióticos são medicamentos usados no tratamento de doenças bacterianas.

  • O uso inadequado de antibióticos pode favorecer o desenvolvimento de resistência bacteriana.

  • Anti-inflamatórios são medicamentos usados para tratar inflamações e os seus sintomas.

  • O uso inadequado de anti-inflamatórios pode provocar danos à saúde, como problemas renais.

Antibióticos e anti-inflamatórios

Antibióticos e anti-inflamatórios, apesar da semelhança entre os nomes, são medicamentos diferentes e que apresentam mecanismos de ação distintos. Tanto antibióticos quanto anti-inflamatórios devem ser usados apenas com prescrição médica, devendo-se sempre respeitar as formas e o tempo de utilização recomendado pelo profissional.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que são antibióticos?

Antibióticos são medicamentos, produzidos naturalmente (quando produzidos por seres vivos, como fungos) ou artificialmente, que são usados no tratamento de infecções por bactérias, eliminando-as ou impedindo a sua multiplicação. Recebem a denominação de bactericidas quando provocam a morte da bactéria e de bacteriostáticos quando inibem o crescimento bacteriano.

Diferentes doenças podem ser tratadas com o uso de antibióticos, sendo esse o caso, por exemplo, das chamadas infecções urinárias, pneumonias, amigdalites, tuberculose e erisipela. É importante destacar que doenças virais não podem ser tratadas com esses medicamentos, portanto em caso de gripes e resfriados, o uso de antibióticos não é recomendado. São exemplos de antibióticos a penicilina, amoxicilina e cloxacilina.

Veja também: Qual a diferença entre gripe e resfriado?

Uso de antibióticos e a resistência bacteriana

O uso indiscriminado e de forma inadequada de antibióticos está relacionado com um fenômeno conhecido como resistência bacterina. Para explicar o que é e como ocorre a resistência bacteriana, imaginemos uma pessoa com infecção urinária que começa a fazer uso de um antibiótico.

O antibiótico inicia sua ação eliminando algumas bactérias, porém nem todas as bactérias são iguais, e a dose inicial não provocou efeito imediato em algumas delas, as quais apresentavam características que as permitiam sobreviver à ação do medicamento em baixas doses.

O paciente, ao se sentir melhor, interrompe o ciclo do remédio, e aquelas bactérias que apresentavam características que as tornavam mais resistentes permanecem no organismo, reproduzindo-se e dando origem a outras bactérias também resistentes e mais difíceis de serem tratadas. O paciente volta então a sentir sintomas, entretanto o antibiótico utilizado anteriormente não apresenta mais o mesmo efeito, uma vez que em seu corpo estão apenas as bactérias mais resistentes.

Além do uso por tempo menor do que o recomendado pelo médico, outros fatores que podem contribuir para a seleção de bactérias resistentes são o uso de antibióticos para tratar problemas causados por outro organismo e o uso de antibiótico não recomendado para a bactéria específica.

Luva de boxe formada por bactérias combatendo um antibiótico.
O uso incorreto de antibióticos torna as bactérias resistentes à ação do medicamento.

O que são anti-inflamatórios?

Anti-inflamatórios são medicamentos usados, geralmente, com o intuito de tratar sintomas decorrentes de processos inflamatórios. Podem ser divididos em anti-inflamatórios esteroidais e não esteroidais.

Os anti-inflamatórios chamados de esteroidais são mais conhecidos como corticoides, sendo muito utilizados para tratar problemas como asma e rinite. Além disso, esses medicamentos, por terem ação imunossupressora, são muito usados em pacientes transplantados para evitar a rejeição do órgão recebido.

Os chamados anti-inflamatórios não esteroidais, por sua vez, são usados para problemas de saúde considerados mais simples, como cólicas menstruais e artrite. Nesse grupo de anti-inflamatórios temos medicamentos muitos conhecidos, como é o caso do ibuprofeno e o ácido acetilsalicílico.

Saiba mais: O que são superbactérias e por que elas são tão perigosas?

Uso incorreto de anti-inflamatórios

É importante salientar que, diferentemente dos antibióticos, muitos anti-inflamatórios podem ser vendidos sem receita médica, o que faz com que muitas pessoas acreditem que se tratem de medicamentos com poucos riscos à saúde. Entretanto, assim como antibióticos e outros medicamentos, o uso de anti-inflamatórios deve ser feito sempre seguindo as recomendações médicas e obedecendo ao tempo de uso solicitado.

O uso abusivo desses medicamentos pode provocar o desenvolvimento de problemas de saúde graves, como gastrite, úlceras, insuficiência renal e até mesmo hepatite medicamentosa. Para saber mais sobre esse tópico, clique aqui.

Qual a diferença entre anti-inflamatórios e antibióticos?

Como vimos ao longo do texto, antibióticos e anti-inflamatórios são medicamentos muito diferentes. Enquanto o antibiótico é usado no tratamento de infecções bacterianas, os anti-inflamatórios são usados para tratar inflamações.

Entretanto, é importante deixar claro que em algumas situações o paciente poderá utilizar os dois medicamentos ao mesmo tempo, pois algumas bactérias podem desencadear inflamações. O antibiótico, nesse caso, tentará eliminar as bactérias ou inibir o crescimento bacteriano, enquanto o anti-inflamatório aliviará os sintomas da inflamação.

Fontes

GUIMARÃES, Denise Oliveira; MOMESSO, Luciano da Silva; PUPO, Mônica Tallarico. Antibióticos: importância terapêutica e perspectivas para a descoberta e desenvolvimento de novos agentes. Química Nova, abr. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/qn/a/dhKT3h4ZxxvsQdkzyZ4VnpB/?lang=pt.

OPAS. Organização Pan-Americana da Saúde. Resistência antimicrobiana. Disponível em: https://www.paho.org/pt/topicos/resistencia-antimicrobiana.

SUPERBACTÉRIAS: de onde vêm, como vivem e se reproduzem? CRFMG. Conselho Regional de Farmácia do Estado de Minas Gerais, 13/11/2028. Disponível em: https://www.crfmg.org.br/site/noticias/Superbacterias-de-onde-vem-como-vivem-e-se-reproduzem-.

USO indiscriminado de anti-inflamatórios pode causar danos à saúde. Atualidades: Jornal da USP, 30/09/2019. Disponível em: https://jornal.usp.br/atualidades/uso-indiscriminado-de-anti-inflamatorios-pode-causar-danos-a-saude/.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Diferenças entre anti-inflamatórios e antibióticos"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/antiinflamatorios-antibioticos.htm. Acesso em 29 de fevereiro de 2024.

De estudante para estudante