Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Órgãos análogos e homólogos

Órgãos análogos e homólogos permitem conhecer a história evolutiva dos organismos. A homologia diz respeito à ancestralidade, e a analogia relaciona-se à evolução convergente.

Asas de insetos e de pássaros apresentam a mesma função, mas não a mesma origem embrionária
Asas de insetos e de pássaros apresentam a mesma função, mas não a mesma origem embrionária
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Ao analisar os seres vivos, verificamos, com certa frequência, estruturas que nos fazem crer em alguma ancestralidade em comum e no processo de evolução. Entretanto, nem sempre essas características refletem as relações evolutivas entre os organismos.

Órgãos homólogos

Os órgão homólogos são aqueles que podem ou não realizar a mesma função, porém apresentam uma estrutura básica igual e mesmo desenvolvimento embrionário. Isso quer dizer, portanto, que os indivíduos que apresentam esses órgãos possuem ancestralidade compartilhada.

Como exemplo de homologia, podemos citar os membros dos tetrápodes. Analisando os membros de anfíbios, répteis, aves e mamíferos, percebemos que o número e a disposição dos ossos são bastante semelhantes, o que nos mostra a relação de parentesco ali presente (Veja figura abaixo). Nesse caso, temos uma estrutura semelhante, porém com funções distintas, as quais refletem os diferentes estilos de vida.


Estrutura dos membros dos tetrápodes

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como as homologias são semelhanças resultantes de um ancestral em comum, a análise delas fornece informações importantes sobre a relação existente entre as espécies. Sendo assim, consideramos as homologias uma das evidências da evolução biológica.

Órgãos análogos

Os órgãos análogos, por sua vez, não refletem as relações de ancestralidade e dizem respeito apenas às funções semelhantes. Essas semelhanças ocorrem devido à evolução convergente, que leva ao surgimento de características semelhantes mesmo em indivíduos de grupos bastante diferentes. Isso se deve ao fato de que essas características favoreceram a sobrevivência em ambientes similares, representando, portanto, adaptações ao ambiente.

Como exemplo de analogias, podemos citar as asas de aves e insetos. Esses animais apresentam asas que garantem seu voo, entretanto, as estruturas são bastante diferentes. Sendo assim, as funções são similares, mas não possuem a mesma origem embrionária, nem indicam ancestralidade.

Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Órgãos análogos e homólogos"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/Orgaos-analogos-homologos.htm. Acesso em 14 de agosto de 2022.

De estudante para estudante


Qual a função da célula?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Qual o animal mais perigoso do mundo?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Videoaulas


Lista de exercícios


Exercício 1

Alguns organismos de espécies diferentes possuem órgãos que exercem a mesma função, mas que possuem origem embrionária diferenciada. A asa de uma borboleta e a de uma ave, por exemplo, obedecem a esse princípio.

Analise as alternativas a seguir e marque aquela que indica corretamente o nome dado a esses órgãos.

a) homólogos.

b) análogos.

c) vestigiais.

d) divergentes.

e) convergentes. 

Exercício 2

A nadadeira dos golfinhos e as asas dos morcegos, apesar de serem bastante distintas e serem adaptadas para funções diferentes, possuem origem embrionária semelhante. Por essa razão, podemos dizer que se trata de órgãos:

a) homólogos.

b) análogos.

c) vestigiais.

d) divergentes.

e) convergentes. 

PUBLICIDADE

Estude agora


Revolução Federalista (1893-1895)

Assista a nossa videoaula para conhecer a história da Revolução Federalista ou Guerra das Degolas...

Guerra do Afeganistão (1979 à atualidade)

Assista à videoaula e conheça a geopolítica conflituosa do Afeganistão. Entenda as questões que levaram esse país...