Topo
pesquisar

Tipos de intertextualidade

Redação

A intertextualidade é um importante elemento para a compreensão textual. Pode ocorrer em diversos tipos de texto de maneira explícita ou implícita.
A intertextualidade depende de um conhecimento linguístico que extrapole o código, ressaltando assim a importância das relações textuais
A intertextualidade depende de um conhecimento linguístico que extrapole o código, ressaltando assim a importância das relações textuais
PUBLICIDADE

  A intertextualidade, tema estudado pela Linguística Textual, é um elemento recorrente na escrita de textos. Mesmo quando não temos a intenção de utilizá-la, o fazemos inconscientemente, resgatando modelos e parâmetros estabelecidos nos chamados textos fontes, considerados fundamentais em uma determinada cultura por fazerem parte da memória coletiva de uma sociedade.

Você já deve ter percebido que as relações dialógicas entre textos é um conceito inerente à intertextualidade e que, quanto mais lemos e conhecemos os textos fontes, mais inferências somos capazes de realizar. Um texto pode apresentar diversas vozes, para as quais damos o nome de polifonia, que nada mais é do que as referências presentes nas entrelinhas do texto. Muitos escritores e compositores utilizaram esse recurso na construção de paródias, paráfrases ou citações. Como é um conceito amplo e passível de classificações, a intertextualidade pode ser classificada em dois tipos principais: intertextualidade explícita e intertextualidade implícita.

Na intertextualidade explícita ocorre a citação da fonte do intertexto, encontrada principalmente nas citações, nos resumos, resenhas e traduções, além de estar presente também em diversos anúncios publicitários. Nesse caso, dizemos que a intertextualidade localiza-se na superfície do texto, pois alguns elementos nos são fornecidos para que identifiquemos o texto fonte. Observe um exemplo:

A intertextualidade, quando explícita, fornece ao leitor diversos elementos que o remetem ao texto fonte
A intertextualidade, quando explícita, fornece ao leitor diversos elementos que o remetem ao texto fonte

No anúncio publicitário utilizado no exemplo, há uma forte referência ao texto fonte, facilmente identificada pelo leitor através dos elementos fornecidos pela linguagem verbal e pela linguagem não verbal. A composição do anúncio nos transporta imediatamente para o filme “Tropa de Elite”, do cineasta José Padilha, e isso só é possível em razão do forte apelo popular da produção, que ganhou grande projeção em nossa sociedade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Já a intertextualidade implícita ocorre de maneira diferente, pois não há citação expressa da fonte, fazendo com que o leitor busque na memória os sentidos do texto. Geralmente está inserida nos textos do tipo paródia ou do tipo paráfrase, ganhando espaço também na publicidade. Observe o exemplo:

A intertextualidade implícita depende da construção de sentidos feita pelo leitor a partir da busca de inferências em sua própria memória
A intertextualidade implícita depende da construção de sentidos feita pelo leitor a partir da busca de inferências em sua própria memória

No anúncio há um elemento verbal que permite a retomada do texto fonte, mas essa inferência depende de um conhecimento prévio do leitor: se ele não souber que há uma referência à música “Mania de você”, da cantora Rita Lee, provavelmente o texto não será compreendido em sua totalidade.

Portanto, a intertextualidade é um elemento muito importante para a constituição de sentidos do texto, colaborando em muito para a coerência textual ao reforçar a ideia de que a competência linguística não depende apenas do conhecimento do código linguístico, mas também do conhecimento das relações intertextuais.


Por Luana Castro
Graduada em Letras
  

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PEREZ, Luana Castro Alves. "Tipos de intertextualidade"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/redacao/tipos-intertextualidade.htm. Acesso em 19 de agosto de 2019.

Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios
Questão 1

Sobre o conceito de intertextualidade, podemos afirmar:

I. Introdução de novos elementos no texto. Pode-se também retomar esses elementos para introduzir novos referentes;

II. Operação responsável pela manutenção do foco nos objetos de discurso previamente introduzidos;

III. Elemento constituinte do processo de escrita e leitura, trata-se das relações dialógicas estabelecidas entre dois ou mais textos;

IV. Pode ocorrer de maneira implícita ou explícita;

V. Responsável pela continuidade de um tema e pelo estabelecimento das relações semânticas presentes em um texto.

Estão corretas as proposições:

a) Todas estão corretas.

b) Apenas I, II e V estão corretas.

c) Apenas III e IV estão corretas.

d) III, IV e V estão corretas.

e) I e II estão corretas.

Questão 2

(ENEM) Quem não passou pela experiência de estar lendo um texto e defrontar-se com passagens já lidas em outros? Os textos conversam entre si em um diálogo constante. Esse fenômeno tem a denominação de intertextualidade. Leia os seguintes textos:

I. Quando nasci, um anjo torto

Desses que vivem na sombra

Disse: Vai Carlos! Ser “gauche” na vida.

(ANDRADE, Carlos Drummond de. Alguma poesia. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1964)

II. Quando nasci veio um anjo safado

O chato dum querubim

E decretou que eu tava predestinado

A ser errado assim

Já de saída a minha estrada entortou

Mas vou até o fim.

(BUARQUE, Chico. Letra e Música. São Paulo: Cia das Letras, 1989)

III. Quando nasci um anjo esbelto

Desses que tocam trombeta, anunciou:

Vai carregar bandeira.

Carga muito pesada pra mulher

Esta espécie ainda envergonhada.

(PRADO, Adélia. Bagagem. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986)

Adélia Prado e Chico Buarque estabelecem intertextualidade, em relação a Carlos Drummond de Andrade, por

a) reiteração de imagens.

b) oposição de ideias.

c) falta de criatividade.

d) negação dos versos.

e) ausência de recursos.

Mais Questões
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola