Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Egito Antigo

A civilização egípcia impressiona pela grande variedade de invenções e descobertas
A civilização egípcia impressiona pela grande variedade de invenções e descobertas
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Há aproximadamente quatro mil anos antes de Cristo, o aprimoramento das técnicas de plantio e o desenvolvimento das atividades comerciais permitiram o surgimento de grandes civilizações em diferentes regiões do planeta. Europa, Ásia e África passaram a abrigar povos que buscaram nas proximidades de grandes rios e mananciais de água o conforto necessário para sua garantia de sobrevivência. Entre outras regiões, podemos citar o fértil Vale do Rio Nilo, lugar onde a civilização egípcia constituiu sua história.

Situado na porção nordeste do continente africano, o Egito integrava os limites do antigo Crescente Fértil. Ironicamente, boa parte dessa localidade é tomada por deserto de clima extremamente árido. Atualmente, as terras cultiváveis são controladas por um grupo de latifundiários que produzem algodão para suprir as demandas do mercado externo. Tal realidade está bem distante da diversificada e imponente potência agrícola que um dia foi o Egito no tempo dos faraós.

Com quase 6.700 quilômetros de extensão, o Rio Nilo foi chave fundamental para que essa imensa civilização fosse formada no continente africano. Por meio de um interessante sistema de cheias, os povos nômades que primeiramente chegaram àquela região puderam suportar as intempéries de um dos lugares de clima mais seco do planeta. Entre os meses de junho e outubro, a elevação das águas do Nilo cobria suas margens com um material orgânico (húmus) responsável pela fertilização das terras.

Toda essa benesse oferecida pelo meio ambiente acabou influenciando fortemente a constituição do pensamento religioso dos povos egípcios. Boa parte dos mitos e divindades egípcias tinha algum tipo de relação com a natureza. Muito provavelmente, influenciados pela observância dos ciclos naturais, os egípcios deram origem à crença na imortalidade, que os instigava a ter um cuidado especial com todos aqueles que faleciam.

Além de acreditar na forte influência que os deuses possuíam na organização da vida terrena, os egípcios também foram capazes de produzir conhecimento em diferentes áreas. Para ampliar a disponibilidade de terras cultiváveis, foram capazes de criar canais de irrigação e diques que potencializavam o uso das águas do Rio Nilo. Além disso, desenvolveram uma medicina própria que contava com a utilização de diversos remédios e, até mesmo, de cirurgias realizadas com o uso de anestesia.

Por contar com uma população bastante numerosa, os egípcios desenvolveram uma sociedade complexa dividida em várias camadas sociais. No topo dessa hierarquia estava o faraó, um deus encarnado que também era responsável pelas principais decisões políticas da civilização. Sem dúvida, uma breve investigação sobre os egípcios nos leva a crer que suas conquistas e mistérios quebram com aquela impressão arcaica que geralmente temos ao pensar nas populações da Antiguidade.  

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Rainer Sousa
Mestre em História

Escritor do artigo
Escrito por: Rainer Gonçalves Sousa Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUSA, Rainer Gonçalves. "Egito Antigo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/egito.htm. Acesso em 03 de março de 2024.

De estudante para estudante


Videoaulas


Lista de exercícios


Exercício 1

(Instituto Access – adaptado) A religiosidade egípcia era um traço importante de sua estrutura social e política. Assim, é correto afirmar que

a) os antigos egípcios eram politeístas, e seus deuses poderiam ter somente a forma antropomórfica.

b) os antigos egípcios mumificavam todos os seus mortos; a mumificação era uma técnica de conservação do corpo para a vida após a morte, independentemente da condição social e econômica.

c) os antigos egípcios mumificavam seus mortos, e a mumificação era uma técnica de conservação do corpo para a vida após a morte; contudo, devido ao seu alto custo, somente a aristocracia conseguia realizar o processo.

d) os antigos egípcios eram monoteístas e, durante sua história, negaram a existência de vários deuses.

e) Todas as alternativas acima.

Exercício 2

(Copese) A civilização egípcia resultou da unificação dos nomos, que eram antigos povoados. O governo constituído por meio de tal unificação foi uma monarquia teocrática. Isso significa que os egípcios

a) eram monoteístas.

b) eram cristãos.

c) promoviam cultos aos deuses considerados donos legítimos do solo e antigos governantes das terras.

d) eram ateus, pois não professavam nenhuma fé.

e) eram críticos da astrologia, a qual definiam como mera crendice.