Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Que: ora conjunção integrante, ora pronome relativo

Gramática

A palavra “que” pode atuar ora como pronome relativo ora como conjunção integrante, bastando para isso uma análise mais apurada.
Dependendo da situação, o “que” pode atuar ora como conjunção integrante ora como pronome relativo.
Dependendo da situação, o “que” pode atuar ora como conjunção integrante ora como pronome relativo.
PUBLICIDADE

Muitas são as vezes que confundimos o emprego de determinadas palavras, principalmente quando o assunto faz referência à análise sintática. Para ilustrar tal ocorrência, entra em cena o “que”. Nesse sentido, ocupemo-nos agora em sanar esses possíveis equívocos, a título de nos mantermos bem informados acerca dos aspectos que nutrem a língua como um todo. Para tanto, vejamos alguns exemplos:

Era necessário que você viesse logo.

Temos duas orações: a primeira, também chamada de principal, e a segunda, representada por uma oração subordinada substantiva subjetiva. Mas como chegamos a esta conclusão?

Simples, pois ao fazermos a pergunta ao verbo: o que era necessário? Logo descobrimos que “que você viesse logo” representa o sujeito da oração em evidência. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dessa forma, esse “que” se classifica como uma conjunção integrante pelo fato de introduzir uma oração subordinada substantiva.

Vejamos, pois, este outro exemplo:

Os alunos, que obtiveram boas notas, estão de férias.

Notamos que a palavra “que”, desta vez, cumpre um importante papel: o de substituir o substantivo “alunos”. Por tal razão é que ele se classifica como um pronome relativo, haja vista que introduz uma oração subordinada adjetiva restritiva.

E aí vai uma dica importantíssima: para saber se ele realmente é um pronome relativo, basta substituí-lo por “o qual, os quais, a qual, as quais”. Logo, o porquê de tal classificação.

Por Vânia Duarte
Graduada em Letras 

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DUARTE, Vânia Maria do Nascimento. "Que: ora conjunção integrante, ora pronome relativo "; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/que-ora-conjuncao-integrante-ora-pronome-relativo.htm. Acesso em 28 de outubro de 2021.

Lista de Exercícios
Questão 1

Analisando os enunciados que seguem, explique a diferença de funções demarcadas por meio do vocábulo “que”:

a ─ Desejamos que você seja feliz.
b – Chegaram os alunos que participaram das competições.

Questão 2

(TJ-SP) Assinale o item que classifica a oração subordinada destacada:

“Outros estudos mostraram que o suco de frutas cítricas ajuda a reduzir o colesterol em até 70%”.

a) subordinada adverbial causal
b) subordinada substantiva objetiva direta
c) subordinada substantiva subjetiva
d) subordinada substantiva predicativa
e) coordenada sindética explicativa

Mais Questões
Artigos Relacionados
Aprenda quais são as diferentes funções sintáticas exercidas pela palavra “que” na construção dos enunciados e seus respectivos significados.
Venha saber mais a respeito do período composto por coordenação e tire todas as suas dúvidas sobre o tema!