Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Trens Maglev

Protótipo em tamanho real do trem Maglev
Protótipo em tamanho real do trem Maglev
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Os avanços nas pesquisas do eletromagnetismo têm sido de fundamental importância na evolução tecnológica das últimas décadas, um exemplo disso é a evolução do transporte ferroviário.

Com seu início ainda no século XVI, as locomotivas eram movidas a vapor, através da queima de carvão. No século XIX, foram inventadas as locomotivas a diesel e à eletricidade, que vieram com o intuito de substituir as locomotivas a vapor. Porém, a aposentadoria da “Maria fumaça” só aconteceu definitivamente em 1977, quando o governo português proibiu definitivamente o uso desse tipo de comboio, alegando que esse era responsável por várias queimadas no país.

No século XX, os trens a diesel foram substituídos por trens a gás, muito mais rápidos – atingindo incríveis 570 km/h (em fase de testes) – econômicos e com menor potencial de poluição.

A nova geração promete ser ainda mais rápida. É a geração dos trens Maglev, de alta velocidade, que utilizam a levitação magnética para flutuar sobre suas vias. Eles fazem parte de um sistema mais complexo que conta basicamente com uma potente fonte elétrica, bobinas dispostas ao logo de uma linha guia e grandes imãs localizados embaixo do trem.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Ao serem percorridas por corrente elétrica, as bobinas enfileiradas ao logo da pista, chamada de linha guia, criam campos magnéticos que repelem os grandes imãs situados embaixo do trem, permitindo que flutue entre 1 cm e 10 cm sobre os trilhos.

Com a levitação do trem, outras bobinas, situadas dentro das paredes da linha guia, são percorridas por correntes elétricas que, adequadamente invertidas, mudam a polaridade de magnetização das bobinas. Estas agem nos grandes imãs, impulsionado o trem, que se desloca em um “colchão” de ar, eliminando os atritos de rolamento e escorregamento, que possuem os trens convencionais. A ausência de atritos e o perfil aerodinâmico do comboio permitem que este atinja velocidades que chegam aos 650 km/h em fases experimentais.

Ainda em fase de testes, Japão, China e Alemanha possuem protótipos em tamanho real.

Embora sua grande velocidade seja um atrativo e um potencial concorrente dos aviões, seus elevados custos de produção o limita a apenas uma única linha comercial, o transrapid de Xangai. Consta que essa máquina faz um percurso de 30 km em apenas 8 mim.

Por Kleber Cavalcante
Graduado em Física

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAVALCANTE, Kleber G. "Trens Maglev"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/fisica/trens-maglev.htm. Acesso em 02 de julho de 2022.

De estudante para estudante


Qual a primeira lei de Newton?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Qual a fórmula do sorvete?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

PUBLICIDADE

Estude agora


Cem anos de solidão | Análise Literária

Assista a nossa videoaula para conhecer um pouco mais da obra “Cem anos de solidão”, um dos romances mais...

A condição pós-moderna de Jean-François Lyotard

Jean-François Lyotard é um dos pensadores que se dedicam a entender a complexa condição pós-moderna. Entender a...