Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Glaucoma

Doenças e patologias

Glaucoma é uma doença que afeta os olhos e pode provocar cegueira irreversível. Apresenta como principal fator de risco o aumento da pressão nos olhos.
Fazer consultas regulares com o oftalmologista pode ajudar no diagnóstico precoce do glaucoma.
Fazer consultas regulares com o oftalmologista pode ajudar no diagnóstico precoce do glaucoma.
PUBLICIDADE

O glaucoma é uma doença grave e que pode levar à cegueira caso não seja tratada adequadamente. De acordo com a Sociedade Brasileira de Glaucoma, o glaucoma é a maior causa de cegueira irreversível do mundo. A doença apresenta como principal fator de risco o aumento da pressão intraocular. Seus sintomas são percebidos apenas em fases mais avançadas da doença, sendo, portanto, fundamental a realização de exames periódicos a fim de diagnosticá-la precocemente. Apesar de não ter cura, o glaucoma pode ser controlado.

Leia mais: Olhos humanos – esse órgão complexo é formado por várias partes que garantem a captação das imagens

Resumo sobre glaucoma

  •  Pode levar à cegueira.
  • Pode ter diferentes causas, como traumas e uso de certos medicamentos.
  • Pode acometer qualquer pessoa.
  • Não apresenta sintomas em suas fases iniciais.
  • Pode ser classificado em: glaucoma primário de ângulo aberto, glaucoma primário de ângulo fechado, glaucoma de pressão normal, glaucoma congênito e glaucoma secundário.
  • Pode ser diagnosticado em consultas de rotina. O principal exame para se confirmar a doença é o exame de fundo de olho.
  • É uma doença crônica e sem cura.
  • O tratamento, que inclui colírios e cirurgias, visa a impedir a perda da visão.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é glaucoma?

O glaucoma é uma doença ocular crônica grave caracterizada pelo surgimento de lesão do nervo óptico, sendo, geralmente, acompanhada de pressão intraocular elevada. O glaucoma ocorre quando as fibras do nervo óptico, responsável por levar as informações dos olhos até nosso cérebro para que elas possam ser interpretadas, atrofiam. A atrofia das fibras impede que as informações sejam transmitidas, o que leva à perda de visão.

As fibras nervosas são danificadas, geralmente, devido à pressão elevada no interior do olho. A pressão eleva-se como consequência de uma redução no escoamento do humor aquoso, um líquido que circula continuamente no interior do olho. É importante salientar que estudos indicam que a pressão intraocular normal está entre 10 mmHg e 21 mmHg, porém os indivíduos podem responder de maneira diferente a um mesmo nível de pressão.

Causas do glaucoma

Quando falamos em glaucoma, sempre relacionamos a doença com a pressão elevada no olho. Apesar de esse ser um dos maiores fatores de risco para o desenvolvimento da doença, ela pode ocorrer mesmo sem a elevação da pressão intraocular. O glaucoma pode ser também congênito ou secundário a alguma doença, cirurgia, algum medicamento ou trauma.

Fatores de risco para o glaucoma

Alguns dos fatores de risco conhecidos para o desenvolvimento de glaucoma são:

  • Pressão intraocular elevada;
  • Idade (indivíduos com mais de 40 anos);
  • História familiar de glaucoma;
  • Alto grau de miopia;
  • Raça negra;
  • Diabete mellitus.

Sintomas do glaucoma

Representação da visão de alguém que tem glaucoma.
Observe que, nessa situação, apenas a visão central é percebida.

O glaucoma é uma doença ocular que progride lentamente, podendo se desenvolver por meses, e até mesmo anos, sem que nenhum sintoma seja percebido. Inicialmente o paciente com glaucoma observa a perda gradativa do seu campo de visão, ou seja, aos poucos o indivíduo observa a perda da sua visão periférica.

É comum que o paciente não consiga perceber as alterações no seu campo de visão de maneira rápida, sendo a perda da visão notada somente quando apenas a visão central é percebida (visão tubular). Nesse momento, é comum que o paciente esbarre em objetos e tropece devido ao comprometimento da visão periférica. Sem o devido tratamento, de maneira lenta e gradual, o campo de visão se torna cada vez menor, até que a cegueira total se instale.

Leia mais: Dor nos olhos – lista de algumas doenças que podem provocá-la

Tipos de glaucoma

Esquema ilustrativo sobre como ocorre o glaucoma no olho humano.
Observe como o glaucoma pode se desenvolver no olho humano.

Existem diferentes tipos de glaucoma, sendo possível classificá-lo da seguinte maneira:

  • Glaucoma primário de ângulo aberto: é a forma mais comum de glaucoma. Nesse caso, o paciente apresenta pressão intraocular maior que 21 mmHg em associação com dano ao nervo óptico, ou alteração no campo visual compatível com glaucoma e ausência de anormalidades que podem ser responsáveis por provocar a elevação da pressão intraocular.
  • Glaucoma primário de ângulo fechado: nesse tipo o sistema de drenagem é bloqueado, geralmente, pela íris.
  • Glaucoma de pressão normal: nesse tipo, como o nome indica, a pressão intraocular é considerada normal, entretanto, verifica-se dano no nervo óptico ou no campo visual. Anormalidades oculares ou sistêmicas que podem levar ao aumento da pressão intraocular estão ausentes.
  • Glaucoma congênito: ocorre devido a uma anormalidade no desenvolvimento do olho que leva a uma obstrução da drenagem do humor aquoso.
  • Glaucoma secundário: nesse tipo há a pressão intraocular e dano ao nervo óptico ou no campo visual devido a outros problemas, como doenças oculares, traumas ou uso de medicamentos, como colírios de corticoide por tempo prolongado e sem o devido acompanhamento médico.

Leia mais: Defeitos da visão humana – miopia, astigmatismo, presbiopia e estrabismo são alguns exemplos

Diagnóstico do glaucoma

O glaucoma pode ser diagnosticado em consultas de rotina ao oftalmologista. O principal exame realizado a fim de se diagnosticar a doença é o exame de fundo de olho, no qual o médico será capaz de observar a retina e o nervo óptico. Além disso, a doença pode ser suspeitada com base na medição da pressão ocular. Contudo, é importante salientar que nem todos os pacientes com glaucoma possuem pressão intraocular aumentada.

O diagnóstico precoce é importante para que o tratamento tenha maior sucesso e a cegueira seja impedida. Por isso, consultas de rotina são importantes. Vale salientar que pessoas que possuem histórico de glaucoma na família devem se submeter à avaliação médica, pelo menos, uma vez ao ano.

Glaucoma tem cura?

O glaucoma é uma doença incurável, porém existe tratamento, cujo objetivo é controlar a doença e, desse modo, evitar a perda de visão. O principal tratamento do glaucoma consiste em reduzir a pressão intraocular, sendo esta reduzida por meio da realização de cirurgias ou uso de medicamentos, como colírios específicos, os quais devem ser utilizados seguindo rigorosamente a prescrição médica. Apenas um oftalmologista poderá indicar o melhor tratamento em cada situação.

 


Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Glaucoma"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/glaucoma.htm. Acesso em 24 de setembro de 2021.

Artigos Relacionados
Descubra por que é importante ficar atento à dor nos olhos para evitar problemas graves de visão.
Aprenda mais sobre o olho humano, uma estrutura complexa que garante a percepção do meio.
Conheça os principais riscos dos anticoncepcionais orais para a saúde da mulher.
Veja aqui sobre a relatividade do tamanho da imagem de objetos distintos situados a distâncias diferentes.
Aprenda mais sobre a visão, um dos órgãos dos sentidos!