close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Babaçu

O babaçu é uma palmeira conhecida principalmente pelo fruto que produz.

O babaçu pode ser utilizado na alimentação, indústria farmacêutica e até mesmo como matéria-prima para a produção de biocombustível
O babaçu pode ser utilizado na alimentação, indústria farmacêutica e até mesmo como matéria-prima para a produção de biocombustível
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

O babaçu é um tipo de palmeira encontrado em diversas áreas da América Latina, sendo que, no Brasil, ocorre principalmente no Mato Grosso, Tocantins, Maranhão e Piauí. Essa planta, pertencente à família Arecaceae, é muito comum em ambientes perturbados.

O babaçu (Orbignya phalerata) caracteriza-se pelos seus frutos (cocos) que começam a ser produzidos apenas quando a planta tem idade superior aos oito anos de vida. Esses cocos aparecem em cachos, que podem apresentar até 500 frutos. Normalmente a planta floresce entre os meses de janeiro e abril.

Esse fruto é usado das mais variadas maneiras, sendo aproveitadas praticamente todas as partes dele. A camada mais externa (epicarpo), por exemplo, pode ser usada para a fabricação de xaxim, estofados, embalagens, vasos e até mesmo como adubo orgânico. A camada logo abaixo ao epicarpo (mesocarpo) é usada na fabricação de uma farinha, uma vez que é rica em amido. O endocarpo, região mais resistente localizada logo abaixo do mesocarpo, é usado para a fabricação de artesanatos, além de servir como substituto da lenha. Por fim, temos as amêndoas, que são utilizadas para os mais variados fins, tais como alimentação e fabricação de cosméticos.

A farinha produzida a partir do mesocarpo do coco de babaçu é amplamente vendida e possui como principais propriedades a atividade anti-inflamatória, imunomoduladora, analgésica e antipirética. O óleo de babaçu é um dos produtos que despertam maior interesse, sendo utilizado amplamente pelas comunidades onde se encontram os babaçuais. Esse óleo é comestível, porém a principal utilização é na produção de sabão e cosméticos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Para se obter o óleo, inicialmente, trituram-se as amêndoas. Após esse momento, as amêndoas são cozidas para facilitar a liberação do óleo. Esse material é então prensado, e o óleo é separado. Por fim, ele passa por processos de decantação e filtragem.

Diversos trabalhos indicam o grande potencial do óleo também como um produto que pode ser usado na fabricação de biodiesel, demonstrando, mais uma vez, a grande versatilidade dessa planta.

Por sua diversidade de produtos e subprodutos, é grande seu extrativismo. As coletas são feitas normalmente quando se iniciam a queda dos frutos. É muito importante destacar que o ideal é não retirar os cachos inteiros, uma vez que muitas vezes o cacho não está com todos os cocos maduros.

A quebra de coco ocorre geralmente de maneira manual em método tradicional. Comumente, as mulheres que vivem nessas áreas quebram o coco no chão próximo às palmeiras. Essas mulheres ficaram conhecidas como “quebradeiras”.


Por Vanessa dos Santos
Graduada em Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Babaçu"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/babacu.htm. Acesso em 25 de maio de 2022.

De estudante para estudante


Um homen tipo O filho de pais A+ pretende se casar com uma jovem A-filha de pai O-e mãe AB+.Qual a probabilidade do casal ter filhos com o mesmo fenótipo tipo do pai??

Por Elem Cristina
Responder
Ver respostas

Como se explica wue Durante a reprodução sexuada a uniform de gãmetas não alteram o número de chromosomes?

Por Sara Ito Godinho Ferreira
Responder
Ver respostas

Estude agora


Terra sonâmbula | Análise literária

Assista à nossa videoaula para conhecer um pouco mais da obra “Terra sonâmbula”, romance do importante escritor...

Força centrípeta

Força centrípeta é a força que aponta para o centro de uma trajetória curvilínea, fazendo com que a direção e o...