Topo
pesquisar

Inquilinismo

Biologia

PUBLICIDADE

O inquilinismo é uma relação ecológica interespecífica harmônica em que apenas uma das partes obtém benefício, sem prejuízo da outra.

Geralmente essa associação ocorre como mecanismo de proteção, vivendo uma espécie (inquilina) sobre a superfície ou no interior da outra (hospedeira).

Esse termo é normalmente empregado para associações de espécies vegetais, contudo também aplicável a organismos animais.

São exemplos de inquilinismo:

Em vegetais, especialmente entre as epífitas (plantas que vivem sobre outras plantas: as bromélias, as samambaias e as orquídeas), se desenvolvem sobre os galhos das árvores de grande porte. Esse posicionamento favorável permite a considerável captação luminosa necessária ao processo de fotossíntese.

A existência dessas plantas, encontradas em extratos arbóreos elevados, ocorre a partir de eventos naturais relacionados à dispersão das estruturas de reprodução (sementes ou gêmulas), por meio do hábito nutricional de alguns animais ou através do vento.

Nesta relação não ocorre parasitismo com fornecimento de seiva elaborada ou bruta. Contudo, as espécies inquilinas absorvem os nutrientes (partículas suspensas no ar e dissolvidas na chuva), armazenados em adaptações foliares (receptáculos) ou também através de raízes absorventes.

Nos animais, uma interação bem evidente, é a situação de inquilinismo existente entre o peixe-agulha e os pepinos-do-mar (Equinodermos). Quando em perigo, esses pequenos peixes procuram abrigo no aparelho digestório desses equinodermos.

Ainda no meio aquático marinho, também é possível a observação de quimeras (peixes cartilaginosos), fixados no dorso dos tubarões e arraias.

Por Krukemberghe Fonseca
Graduado em Biologia
Equipe Brasil Escola

Ecologia - Biologia - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

ARAGUAIA, Mariana. "Inquilinismo"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/biologia/inquilinismo.htm>. Acesso em 30 de agosto de 2016.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA