Topo
pesquisar

Osmose na Medicina – Hemodiálise

Química

A hemodiálise é um tipo de osmose, porém tanto o solvente quanto as partículas do soluto passam pela membrana semipermeável utilizada.
A osmose é usada na medicina no processo de hemodiálise
A osmose é usada na medicina no processo de hemodiálise
PUBLICIDADE

A osmose é uma propriedade coligativa que funciona da seguinte maneira:

Ocorre a passagem do solvente para uma solução ou a passagem do solvente de uma solução diluída para outra mais concentrada, por meio de uma membrana semipermeável.

Abaixo podemos observar uma representação com cores-fantasia da passagem do solvente puro para uma solução.

Processo de osmose no sentido do solvente puro para a solução

Já no caso a seguir, temos a passagem do solvente (moléculas de água) de uma solução diluída para outra mais concentrada:

Processo de osmose no sentido da solução mais diluída para a mais concentrada

É o que ocorre, por exemplo, quando colocamos uma cenoura em um frasco com solução concentrada de água e sal. Depois de aproximadamente dois dias, nota-se que a cenoura apresenta menor volume e aspecto enrugado e murcho, porque as moléculas de água em suas células são transferidas para a salmoura, que é mais concentrada. As moléculas de água passam através das membranas celulares da cenoura.

A ideia desse processo é utilizada na medicina, na hemodiálise. Porém, a diferença consiste no fato de que na osmose comum, através das membranas semipermeáveis, ocorre a passagem somente do solvente e o soluto é retido. Na hemodiálise, no entanto, tanto o solvente (água) quanto as partículas do soluto (entre elas, os resíduos tóxicos produzidos em nosso organismo) passam pela membrana semipermeável utilizada.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A membrana filtrante do rim artificial é formada por filtros capilares, que são um conjunto de tubos finos.

A diálise é um processo lento que tem grande aplicação terapêutica, principalmente para pacientes que apresentam mau funcionamento renal, agudo ou crônico. Por meio dos rins nós eliminamos os resíduos tóxicos produzidos no organismo, como a ureia, os compostos nitrogenados e a creatina. Quem tem esse problema, porém, precisa se submeter a sessões de hemodiálise de 4 a 7 horas por dia. E pode ser pela vida toda da pessoa, se ela não conseguir um transplante.

O processo é o seguinte: o sangue da pessoa é bombeado para um tubo, que é revestido de uma membrana semipermeável (membrana dialisadora). Esse tubo fica imerso em uma solução com componentes do plasma sanguíneo. Assim, ocorre a osmose: as partículas dos resíduos tóxicos presentes no sangue da pessoa passam através da membrana, sendo eliminados. E o sangue limpo volta para o corpo da pessoa.

Esquema de um tubo formado por membrana dialisadora usado em hemodiálise

As células sanguíneas, as proteínas e outros componentes do sangue não participam da osmose porque o tamanho de suas partículas é maior que os poros da membrana.

Esquema da hemodiálise


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Osmose na Medicina – Hemodiálise"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/quimica/osmose-na-medicina-hemodialise.htm>. Acesso em 15 de agosto de 2018.

Assista às nossas videoaulas
A hemodiálise é feita através de uma máquina que filtra artificialmente o sangue
Doenças e patologias Hemodiálise
  • SIGA O BRASIL ESCOLA