Topo
pesquisar

As haciendas

História da América

Imagem da sede de uma antiga hacienda localizada no interior mexicano
Imagem da sede de uma antiga hacienda localizada no interior mexicano
PUBLICIDADE

Em boa parte dos livros didáticos, a questão da organização e exploração econômica das terras na América Espanhola ganha pouco ou nenhum destaque. Contudo, sendo a mineração um tipo de atividade econômica finita, devemos também falar sobre como os colonizadores espanhóis elaboraram o uso das terras no tempo em que estiveram no continente americano. Dessa forma, passamos a discutir sobre a formação das haciendas, grandes extensões de terra controladas por representantes da elite hispânica.

Inicialmente, podemos equiparar este tipo de unidade produtiva à plantation brasileira. Em ambos os casos, observamos a existência de uma grande extensão de terras tomada pela formação de monocultura de gêneros agrícolas tropicais e subtropicais. Sob o ponto de vista sócio-econômico, ainda temos que grifar a utilização do trabalho compulsório e a presença de um proprietário que controlava as atividades ali desenvolvidas.

Apesar de tantas semelhanças, devemos mostrar que a destinação da produção agrícola das haciendas era bem diferente das grandes propriedades encontradas no território colonial português. As grandes unidades agrícolas da América Hispânica tinham o interesse de suprir as necessidades de consumo regionais e intercoloniais. No entanto, havia algumas exceções, como nos casos do México e das Antilhas, onde o modelo agroexportador foi empregado para a comercialização de açúcar.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Outro ponto bastante particular das haciendas gira em torno da mão-de-obra empregada pelos colonizadores. Em poucos casos, podemos registrar a utilização de mão-de-obra escrava africana. A falta de entrepostos na costa africana e a grande presença da força de trabalho indígena motivaram os colonizadores espanhóis a não utilizarem os escravos negros. A mais conhecida exceção aconteceu em Cuba, onde o desenvolvimento da indústria açucareira e a falta de índios motivaram o uso dos escravos africanos.

Mesmo com o processo de descolonização, um grande número de haciendas foi preservado. Na Argentina e no México, este modelo produtivo foi responsável por uma grave desigualdade econômica que ainda se manifesta em ambos os países. No caso da região de Santo Domingo, hoje capital da República Dominicana, a desintegração do sistema colonial foi substituída pela organização de várias propriedades rurais de pequeno e médio porte.


Por Rainer Sousa
Graduado em História

 

 

 

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUSA, Rainer Gonçalves. "As haciendas"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historia-da-america/as-haciendas.htm. Acesso em 15 de julho de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola