Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Regência do verbo “permitir”

A regência do verbo “permitir” provoca dúvidas. Por ser transitivo indireto, esse verbo exige complementação de um objeto indireto, que pode ser substituído pelo pronome “lhe”.

Regência verbal
Regência verbal
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Observe a seguinte frase:

A comunicação é uma característica inerente a todos os seres, permitindo-os viver em sociedade.

À primeira vista, não há nada de errado com a frase, mas se você é um leitor atento e estudioso da língua portuguesa, possivelmente percebeu que nela existe um desvio linguístico relacionado com a regência verbal. Esse tipo de deslize é muito comum na modalidade escrita e na modalidade oral (sem prejuízos para comunicação nessa última), haja vista que a regência é um capítulo, digamos, um pouco complicado da nossa gramática.

Para seguirmos adiante com nossa explicação, vamos à correção da frase:

A comunicação é uma característica inerente a todos os seres, o que lhes permite viver em sociedade.

Se você não observou o erro antes, certamente o fez agora. A dificuldade gira em torno da regência do verbo “permitir”. Na primeira frase (aquela que apresenta o desvio), o pronome oblíquo átono 'os' substituiu o também pronome oblíquo 'lhes', ocasionando um sério erro de regência. Analisemos a frase:

A comunicação permite algo ou alguma coisa a alguém. No caso, a comunicação permitirá alguma coisa, ou seja, os seres humanos viverem em sociedade. Portanto, o verbo permitir é transitivo indireto, exigindo, dessa forma, um objeto indireto. Para os verbos transitivos indiretos, devemos empregar o pronome oblíquo átono 'lhe' (que atua como objeto indireto) e deixar o pronome oblíquo átono 'o' apenas para os verbos que exigem um objeto direto. Veja os exemplos:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os alunos terão aulas sobre educação no trânsito, o que lhes permitirá um melhor comportamento ao volante.
Suas crônicas estão entre as mais conhecidas pelos leitores. Luis Fernando Veríssimo as escreve com humor e inteligência.
Devemos ouvir nossos pais, devendo-lhes obediência e respeito.
Amo meus filhos. Amo-os com ternura.

Sintetizando:

Os verbos transitivos indiretos recebem complementos, os chamados objetos indiretos. Eles exigirão uma preposição, que será responsável pela regência verbal. Os pronomes pessoais do caso oblíquo de terceira pessoa 'lhe' e 'lhes' podem atuar como objetos indiretos, substituindo pessoas. Exemplo: O professor permitiu a saída do aluno / O professor lhe permitiu a saída.


Por Luana Castro
Graduada em Letras

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PEREZ, Luana Castro Alves. "Regência do verbo “permitir”"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/regencia-verbo-permitir.htm. Acesso em 06 de julho de 2022.

De estudante para estudante


Qual a diferença entre os “porquês”?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Qual a diferença entre frase e oração?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Videoaulas


PUBLICIDADE

Estude agora


Como fazer a inscrição no Enem 2021

Vai fazer o Enem 2021 neste ano e quer tirar todas as suas dúvidas sobre a forma de se inscrever no exame mais...

Direitos das crianças no Brasil

Veja nesta videoaula o histórico dos direitos das crianças no Brasil, percorrendo o período colonial até a...