Topo
pesquisar

O que é lógica?

Filosofia

A lógica é um campo de estudo da Filosofia que se dedica a entender as relações linguísticas que tornam uma proposição válida ou inválida no interior de um argumento.
Sem os estudos da lógica, Alan Turing, matemático britânico considerado “pai” da informática, não teria construído o primeiro computador*
Sem os estudos da lógica, Alan Turing, matemático britânico considerado “pai” da informática, não teria construído o primeiro computador*
PUBLICIDADE

Quando Aristóteles definiu o ser humano como o animal dotado da palavra (logos), ele quis dizer que somente nós conseguimos realizar um processo de abstração do mundo físico por meio da linguagem. A linguagem possibilita-nos a comunicação, o pensamento abstrato, a nomeação de coisas e objetos, o estudo científico, a criação das artes e toda a organização social e política de nosso mundo. Porém, para que funcione adequadamente, a linguagem também necessita de regras.

É a lógica linguística, campo de estudo inerente à Filosofia, que se debruça sobre a organização formal linguística, tentando estabelecer o modo necessário para que a própria linguagem possa funcionar adequadamente em cada caso específico. Não somente pela linguagem, a lógica como um entendimento e organização racional das formas também se dedica a estabelecer os nexos causais dentro da matemática. Ou seja, para que um resultado de um cálculo matemático esteja correto, o matemático ou a máquina que realiza a operação devem obedecer a um padrão formal que respeita as regras racionais, adentrando, assim, no âmbito da lógica matemática.

Aristóteles, discípulo de Platão, foi o primeiro filósofo da história a tentar entender e estabelecer de maneira clara os fundamentos da lógica linguística, deixando para a posteridade um conjunto de escritos conhecidos como lógica aristotélica ou lógica clássica. Nesses escritos, podemos encontrar formas de se entender os raciocínios dedutivos e indutivos na linguagem pelos silogismos, bem como encontramos o quadrado aristotélico, que é um quadro de exposição e qualificação de elementos linguísticos que, combinados de determinadas maneiras, provocam concordância ou discordância na fala, por exemplo.

A lógica, como estudo e identificação das formas válidas e corretas na linguagem, também se dedica a identificar e qualificar aquilo que não possui uma validade formal coesa e correta. A palavra que nomeia essas situações de não correção da forma daquilo que foi enunciado pela linguagem é falácia. As falácias são, grosso modo, proposições sem sentido, sem encadeamento lógico entre os fatos enunciados ou sem nexos causais que expliquem de maneira completa e correta os efeitos que constam nos enunciados das frases analisadas.

No século XIX, o filósofo alemão Gottlob Frege revolucionou a lógica já existente ao atentar para a necessidade de um maior entendimento matemático dos estudos de lógica. Ele desenvolveu um método chamado de cálculo de predicados, que analisa proposições linguísticas por meio de processos dedutivos matemáticos.

As contribuições de Frege para a lógica e para a filosofia da linguagem são consideradas importantes até hoje e, sem elas, não seria possível ter criado um código de programação de computadores capaz de traduzir dados criptografados por outras máquinas. Isso significa que, sem o aparato teórico lógico deixado por Frege, o matemático britânico Alan Turing, considerado o “pai” da informática e dos computadores, não poderia ter construído o primeiro computador da história.

* Crédito da imagem: Lenscap Photografphy / Shutterstock.com
 

Por Francisco Porfírio
Graduado em Filosofia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PORFíRIO, Francisco. "O que é lógica?"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/filosofia/o-que-logica.htm>. Acesso em 21 de abril de 2018.

Assista às nossas videoaulas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA