Topo
pesquisar

Alimentação interfere nos estudos?

Dicas de Estudos

Variedade de nutrientes presentes na dieta do estudante ajuda na concentração e memória. Logo, alimentação pode sim interferir nos estudos.
Alimentação pode ser uma aliada nos estudos*
Alimentação pode ser uma aliada nos estudos*
PUBLICIDADE

A rotina de estudos para o Vestibular e Enem exige atenção a detalhes para além da revisão do conteúdo e da resolução de exercícios. Entre os principais fatores do dia a dia de um estudante está o cuidado com a alimentação.

Os alimentos podem fazer bem ou mal para o estudante, e isso depende da quantidade ingerida, do tempo de consumo e do hábito alimentar de cada um. Para aproveitar os benefícios de algumas frutas, por exemplo, é preciso consumi-las com frequência, já que comer apenas uma vez não fará nenhum milagre para a concentração ou a memória.

Leia também: 10 dicas para melhorar a concentração nos estudos

Em seu cotidiano, o estudante costuma ter pausas para as refeições e lanches rápidos. Montar um plano de estudos faz com que não haja excesso ou falta de alimentação durante o dia.


Use o alimento a seu favor

Os alimentos possuem diferentes tipos de substâncias e nutrientes. É importante identificar qual tipo de comida ajuda o estudante e usar isso a seu favor durante os estudos. A nutricionista Alessandra Bahmad elenca alguns aliados. Confira!

Fornecedores de energia: banana, abacate, mel, cereais e alguns carboidratos fornecem energia para que o estudante se sinta mais disposto. O consumo vale tanto para o dia a dia quanto para o momento das provas.


Banana está entre os alimentos que fornecem energia e dão saciedade

Estimuladores da memória: o ômega 3 é o grande amigo da memória. A substância pode ser encontrada em peixes, castanhas e linhaça, por exemplo. De acordo com a nutricionista, o consumo prolongado do morango também auxilia na memorização, mas poucas pessoas se atentam à fruta como aliada.

Aliados da concentração: energéticos naturais são uma melhor opção em relação aos industrializados. Chás (principalmente chá-verde e de canela) servem como estimulantes e deixam o estudante mais concentrado. O uso moderado de café (de preferência sem açúcar) também ajuda os alunos. Outro aliado é o chocolate 70% cacau, que é saboroso e saudável, além de conter cafeína em sua composição.


Chá-verde é uma alternativa natural aos energéticos industrializados

Potencializadores do relaxamento e do prazer: chocolate com grande concentração de cacau, banana, alimentos com grão-de-bico na composição e castanhas atuam na liberação de serotonina, melhorando o humor e o bem-estar, diminuindo a ansiedade e relaxando o estudante.


Alimentos vilões

Assim como há alimentos que ajudam na concentração, no bem-estar e na memória, alguns fazem o efeito contrário.

Alimentos ricos em açúcares, gordura e conservantes podem aumentar o cansaço do estudante e diminuir a concentração, além de causar o efeito rebote, aumentando a sonolência.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Estão entre os alimentos e bebidas não recomendados:

 Fast-food

► Frituras em geral

► Produtos industrializados (ricos em conservantes e sódio)

► Refrigerantes

► Embutidos (salsicha, salame)

► Bebidas alcoólicas


Embutidos não são recomendados porque contêm grande quantidade de conservantes e sódio em sua composição

A nutricionista Alessandra chama a atenção para os energéticos encontrados no mercado. Ela ressalta que, apesar do efeito rápido que o produto desempenha, dando a sensação de energia e concentração, a queda da disposição também é rápida e a tendência é uma sonolência maior ainda. Outro ponto destacado pela profissional é a grande quantidade de açúcar presente nos energéticos.


O que comer em dia de prova?

Se a alimentação já requer cuidado ao longo do ano, nos dias de prova a atenção deve ser redobrada. Quem vai fazer o Enem ou vestibulares precisa planejar sua alimentação para não sofrer com nenhum imprevisto.

A ansiedade por si só já aumenta a atividade intestinal. Por isso, os estudantes devem tomar cuidado com a alimentação, a fim de que a comida não sirva como gatilho para um problema gastrointestinal. Alguns alimentos naturalmente aumentam a produção de gases, então é melhor evitá-los: repolho, feijão e couve. Há, ainda, frutas com efeito laxativo, como o mamão.

Outro aspecto a ser observado é o horário da prova. Se for de manhã, o estudante pode tomar um café reforçado com frutas, pães integrais e cereais, por exemplo. Caso seja à tarde, existe a possibilidade de um almoço leve que contenha proteína, ferro e carboidrato, entre outros.

Se você é uma pessoa ansiosa e acha que não comer é melhor, repense. Ficar sem comer por um longo período pode resultar em queda de glicose, fazendo você passar mal. Então, leve para a prova alimentos como castanhas, chocolate 70% cacau, barras de cereais, frutas (banana, maçã, uva, morango) ou sanduíche natural que não exija refrigeração.


Fique hidratado

Hidratação é fundamental para um bom funcionamento do organismo. Aproveite que os editais permitem que o estudante leve sucos, chás e água para se hidratar durante as provas.

Evite bebidas com muito açúcar, como o refrigerante, já que a agitação é momentânea e, depois do pico, o estudante fica mais cansado. Além disso, líquidos gaseificados aumentam o desconforto abdominal por conta da formação de gases.

*Crédito: garetsworkshop / Shutterstock

Por Lorraine Vilela
Equipe Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAMPOS, Lorraine Vilela. "Alimentação interfere nos estudos?"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/dicas-de-estudo/alimentacao-interfere-nos-estudos.htm>. Acesso em 17 de julho de 2018.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA