Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Nomenclatura de alcanos com mais de dez carbonos

Química

PUBLICIDADE

Os conceitos de química orgânica começaram a se desenvolver a partir do século 19, a partir daí um número significativo de compostos orgânicos foram sendo descobertos, e diante da enorme variedade tornou-se necessário um método sistemático para nomeá-los.

A nomenclatura dos alcanos está diretamente relacionada ao número de átomos de carbono na cadeia, confira em Nomenclatura dos alcanos.

Os prefixos na nomenclatura de alcanos se baseiam em números gregos. O sufixo "ano" é adicionado ao final de cada nome para identificar a molécula como um alcano. Por exemplo, propano é um alcano com três átomos de carbono, hexano é um alcano com seis átomos de carbono, e assim por diante.

A nomenclatura dos alcanos serve de base para todos os outros compostos orgânicos. Portanto, se você compreende a regra para nomear os hidrocarbonetos mais simples saberá nomear também outros mais complexos.

Os nomes dos dez primeiros alcanos ficaram mais conhecidos por serem empregados constantemente. Conheça então a nomenclatura para alcanos com mais de 10 C (carbonos):


A nomenclatura exposta neste contexto foi sistematizada pela Internacional Union of Pure and Applied Chemistry (IUPAC - União Internacional de Química Pura e Aplicada).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Líria Alves
Graduada em Química
Equipe Brasil Escola

Veja mais!

Nomenclatura dos alcinos

Química Orgânica - Química - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Líria Alves de. "Nomenclatura de alcanos com mais de dez carbonos"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/nomenclatura-alcanos-com-mais-dez-carbonos.htm. Acesso em 14 de junho de 2021.

Artigos Relacionados
Aprenda passo a passo como realizar a nomenclatura das ramificações dos compostos orgânicos.
Conheça as regras da IUPAC da nomenclatura de hidrocarbonetos ramificados e cíclicos.
Passo a passo da nomenclatura dos ácidos carboxílicos de cadeias normais, ramificadas, saturadas e insaturadas, de acordo com as regras da IUPAC.
Regras segundo a IUPAC para determinar a nomenclatura dos éteres.