Madeira

Química

PUBLICIDADE

A madeira pode ser definida como sendo o tecido lenhoso das árvores, ela é o principal produto mercantil florestal. É obtida do corte das árvores, é preciso que a extração seja feita em florestas controladas, onde apenas uma pequena fração das árvores é cortada para evitar o desmatamento em larga escala. Após o corte, as árvores têm seus galhos removidos e são cortadas novamente em diagonal antes de serem transportadas para tratamento adicional. Ao chegar à serralheria, os cortes de madeira são convertidos em pranchas de tamanho diversificado e recebem um tratamento com conservantes para prolongar sua vida útil.

A utilização da madeira em grande escala se deve à razão entre a sua resistência e o seu peso que são altos, por isso é um excelente material de construção. Possui propriedades como durabilidade e solidez que são essenciais para estruturas resistentes. Além disso, a madeira é muito fácil de ser trabalhada, objetos que exigem um trabalho artesanal como mobílias, instrumentos musicais, artigos de arte e painéis são trabalhados em madeira.

A madeira dá origem à matéria-prima da indústria do papel: a chamada polpa de celulose, que é o principal ingrediente do papel. A celulose é extraída da polpa da madeira, praticamente qualquer árvore pode ser utilizada para produzir celulose. Além do papel, é ainda usada na obtenção de produtos químicos como: rayon, alcatrão, tanino e acetato de celulose, produtos usados para fabricar tintas e no curtimento de couro.

Quando a celulose é tratada com ácido nítrico e sulfúrico, produz vários nitratos como, por exemplo, o trinitrato de celulose, também conhecido como algodão pólvora, utilizado na fabricação de explosivos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Líria Alves
Graduada em Química
 

Casa de madeira
Casa de madeira

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Líria Alves de. "Madeira"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/madeira.htm. Acesso em 31 de outubro de 2020.