close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Cemitério de corais

O aumento de gás carbônico na atmosfera tem causado o aquecimento global e consequentemente as águas dos mares também estão mais quentes. Além disso, os oceanos ficam mais ácidos, o que afeta a vida de milhões de corais e das espécies que neles vivem.

Os corais do planeta estão ficando brancos e morrendo em razão do aumento de gás carbônico na atmosfera
Os corais do planeta estão ficando brancos e morrendo em razão do aumento de gás carbônico na atmosfera
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Os corais constituem colônias de animais e plantas do mundo marinho, abrigando extraordinárias biodiversidades e produtividades. O mundo sempre se fascinou com a sua variedade de cores e com as suas múltiplas formas espantosas.

Porém, uma notícia triste e preocupante para todo o planeta é que esses corais estão ficando brancos, ou seja, estão morrendo em uma velocidade alarmante. Das 1400 espécies de corais conhecidas, 231 estão em diferentes graus de risco de extinção. Há dez anos esse número era de apenas 13. Com isso, as mais de 2 milhões de espécies abrigadas por estes também sofrem as consequências e podem até desaparecer.

Mas o que está ocasionando isto? A resposta é simples e muito comentada nos nossos dias: o aquecimento global.

Os corais são afetados diretamente pela temperatura, pela radiação solar e pela química dos oceanos.

As águas dos mares estão ficando mais quentes, com isto os corais se contraem e começam a sufocar as algas dentro deles. Estas, por sua vez, soltam toxinas para forçar o coral a expulsá-las. Por isto eles ficam doentes e com a cor branca. Se a temperatura do mar não volta ao normal, eles, por fim, morrem.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Além de mais quentes, os mares estão mais ácidos. Com o aumento da poluição, principalmente o aumento da concentração de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, o oceano acaba absorvendo esses gases. Diluídos na água, é formado então o ácido carbônico, conforme a reação:

CO2(g) + H2O(l) → H2CO3(aq)

Isso afeta os corais porque o ácido “sequestra” os carbonatos da água que servem para calcificar o esqueleto dos corais. Os carbonatos (CO32-) reagem com ácidos liberando mais gás carbônico.

Os corais não são os únicos afetados, mas principalmente os crustáceos como ostras, mexilhões e caranguejos que têm as suas conchas corroídas. O plâncton calcário sofre também com isto e, uma vez que eles estão na cadeia alimentar marinha, servindo de alimento para organismos maiores, ocorrerá um desequilíbrio na cadeia inteira, inclusive em espécies que alimentam o ser humano.

É um processo químico inevitável. Por isso, medidas urgentes devem ser tomadas. Um exemplo é a Austrália que estabeleceu áreas de corais a serem protegidas de visitantes e passou a controlar o uso de fertilizantes nas plantações próximas.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química
Equipe Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Cemitério de corais"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/cemiterio-corais.htm. Acesso em 26 de maio de 2022.

De estudante para estudante


Calcule a energia de ativação (Ea) para a reação de decomposição do pentóxido de nitrogênio,

Por Rebeca Ciriaco
Responder
Ver respostas

Qual o nome dos compostos: CH3-CH2-CH3 e CH3- CH2- CH2-CH2-CH3, respectivamente:

Por ODETE PINTO ROCHA
Responder
Ver respostas

Estude agora


Função Modular

Nesta videoaula veremos como construir o gráfico de uma função modular.

Tarsila do Amaral

Nesta videoaula, você conhecerá um pouco mais sobre a vida de Tarsila do Amaral, uma das mais importantes artistas...