Topo
pesquisar

Dicas de português

Gramática

Existem dicas de português que podem ser bastante úteis no momento de transferir as ideias para o papel. São dicas simples, mas que fazem toda a diferença.
Existem muitas possibilidades de erro na escrita. Por isso, é preciso aprender a afastar os deslizes gramaticais que tanto prejudicam os textos
Existem muitas possibilidades de erro na escrita. Por isso, é preciso aprender a afastar os deslizes gramaticais que tanto prejudicam os textos
PUBLICIDADE

  Você começa a escrever e, de repente, surge um milhão de dúvidas na sua cabeça! Essa, infelizmente, é uma situação frequente, que pode ser fruto da falta do hábito da leitura. Somos falantes habilidosos, sabemos como nos comunicar nas situações de oralidade, mas parece que toda a habilidade vai por água abaixo quando o assunto é a escrita.

É incontestável: quem lê mais escreve melhor. Isso acontece porque, durante a leitura, ficamos em contato com as regras da língua portuguesa e compreendemos na prática o funcionamento do código e de seu registro padrão. Mas se mesmo lendo bastante, você ainda tem muitas dúvidas sobre ortografia e semântica, não se desespere: o Brasil Escola preparou cinco dicas de português que vão te ajudar a afastar os tão temidos deslizes gramaticais. Boa leitura e bons estudos!

Cinco dicas de português:

Dica 1: Com certeza ou concerteza?

Quem nunca se deparou com as duas escritas para a mesma expressão que atire a primeira pedra! Com certeza, a forma correta é com certeza, escrita assim, separadamente. Trata-se de uma locução adverbial composta pela preposição com e pelo nome certeza. Em uma oração, a locução com certeza exerce função de advérbio, podendo ser substituída por outros termos equivalentes, como certamente, decerto e sem dúvida. Observe alguns exemplos:

Com certeza, Grande Sertão: Veredas é uma obra-prima da literatura.
Certamente, Grande Sertão: Veredas é uma obra-prima da literatura.

Com certeza nós iremos visitá-lo nas próximas férias.
Sem dúvida nós iremos visitá-lo nas próximas férias.

Que fique claro: concerteza não existe!

Dica 2: De repente ou de repente?

Novamente a dúvida diz respeito a uma locução adverbial. A escrita correta é de repente, já que se trata de uma expressão composta por duas palavras: a preposição de e o substantivo repente. A locução adverbial de repente pode ser substituída por outros termos cujos significados sejam equivalentes, entre eles, repentinamente, subitamente, abruptamente e imprevistamente. Observe os exemplos:

A tempestade começou de repente!
A tempestade começou repentinamente!

De repente a banda começou a tocar e todos foram para a pista dançar.
Subitamente a banda começou a tocar e todos foram para a pista dançar.

Dica 3: Hesitar ou exitar?

Essa é uma dúvida frequente, pois trata-se de um clássico exemplo de palavras homônimas. A homonímia acontece entre duas palavras que possuem a mesma grafia ou a mesma pronúncia, mas que apresentam significação distinta. Portanto, ambas, hesitar e exitar, estão corretas, basta apenas saber quando empregar adequadamente cada uma delas.

Hesitar é um verbo oriundo do latim haesitáre e significa “estar indeciso”, “mostrar receio”. Já exitar é um verbo formado pela junção do nome êxito com o sufixo -ar e significa “ter êxito”. Observe os exemplos:

Hesitou por alguns instantes antes de entrar no avião. (mostrou receio)
O aluno exitou na prova de matemática. (teve êxito)

Dica 4: Ao encontro de ou de encontro a?

As duas locuções existem, portanto, ambas estão corretas. Contudo, não são expressões sinônimas e, por esse motivo, devem ser empregadas em situações diferentes. Ao encontro de significa ir no sentido de alguma coisa ou alguém, na sua direção. De encontro a significa o oposto, isto é, ir no sentido contrário a alguma coisa ou alguém, chocando-se com ela, confrontando. Observe os exemplos:

A criança foi ao encontro de seus pais. (na direção de seus pais)
As ordens que recebi vão de encontro a meus princípios. (contra os princípios)

Dica 5: De novo ou denovo?

Outra dúvida sobre locuções adverbiais. A forma correta é de novo, escrita assim, separadamente. Ela nunca deverá ser escrita como se fosse uma só palavra, já que é formada por uma preposição de e o nome novo. Poderá ser substituída por expressões equivalentes, entre elas novamente, mais uma vez e outra vez. Observe os exemplos:

Ele cometeu o mesmo erro de novo.
Ele cometeu o mesmo erro novamente.

Vencemos a competição de novo!
Vencemos a competição mais uma vez!


Por Luana Castro
Graduada em Letras
  

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PEREZ, Luana Castro Alves. "Dicas de português"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/gramatica/dicas-portugues.htm>. Acesso em 16 de agosto de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA