Coronavírus

Os coronavírus são uma família de vírus que causa infecções respiratórias graves. Eles são vírus zoonóticos, ou seja, que podem passar de outros animais para o homem.

Coronavírus são uma família de vírus conhecida há muito tempo e que é responsável por desencadear desde resfriados comuns a síndromes respiratórias graves, como é o caso da síndrome respiratória aguda grave (Sars) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers). A transmissão desses vírus pode ocorrer de uma pessoa para outra por meio de contato próximo com o doente. Recentemente, um novo tipo de coronavírus foi descoberto, o SARS-CoV-2, o qual tem causado mortes e também bastante preocupação.

Vale salientar que os coronavírus são vírus zoonóticos, ou seja, podem ser transmitidos entre o ser humano e outros animais. Porém, isso não ocorre com todos os coronavírus, sendo conhecidos alguns tipos que circulam apenas entre os animais. O nome coronavírus vem do latim corona, que significa coroa. Essa denominação é dada, pois, ao serem vistos no microscópio eletrônico, os coronavírus lembram uma coroa.

Leia também: Doenças que ocorrem tanto em homens quanto em outros animais

Coronavírus é uma família de vírus que apresenta tipos capazes de desencadear infecções respiratórias graves.

Sintomas de doenças causadas pelos coronavírus

Os coronavírus provocam desde um resfriado comum até síndromes respiratórias graves e de difícil tratamento. De maneira geral, podemos citar como sintomas das doenças causadas por coronavírus:

  • tosse;
  • dificuldade respiratória;
  • falta de ar;
  • febre.

Em casos de síndromes respiratórias mais graves, podem ocorrer insuficiência renal e até mesmo  morte.

Prevenção dos coronavírus

Os coronavírus são frequentemente transmitidos de uma pessoa para outra por meio de contato próximo com o doente ou com objetos contaminados e o posterior contato das mãos com as mucosas. Sendo assim, para se prevenir de doenças causadas por esses vírus, as principais medidas são:

  • evitar contato próximo com pessoas que apresentam infecções respiratórias;
  • lavar bem as mãos;
  • evitar tocar os olhos, nariz e boca sem ter higienizado as mãos;
  • evitar compartilhamento de objetos de uso pessoal, tais como copos e talheres;
  • evitar contato com animais doentes;
  • cozinhar bem ovos e carne.

Leia também: Influenza A (H3N2) — o vírus que causa ocorrências graves de gripe

Síndromes respiratórias agudas graves causadas por coronavírus

A síndrome respiratória aguda grave (Sars) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers) são duas ocorrências graves causadas pelo coronavírus.

A Sars foi identificada pela primeira vez na China, em 2002. Essa doença espalhou-se rapidamente e causou a morte de mais de 800 pessoas. A epidemia da doença foi controlada em 2003. Os sintomas da Sars são febre, tosse e dificuldade respiratória, evoluindo rapidamente para insuficiência respiratória. Não há casos da doença desde 2004. Hoje se sabe que a transmissão dela apresentava relação com gatos selvagens que continham o vírus.

A Mers foi identificada pela primeira vez na Arábia Saudita, no ano de 2012. Os sintomas são semelhantes aos de outras doenças causadas por coronavírus, ou seja, febre, tosse e falta de ar. Alguns pacientes também relataram sintomas gastrointestinais. Hoje se sabe que o vírus ligado à Mers tinha nos dromedários um importante reservatório. Esses animais eram, portanto, os transmissores da doença.

Leia também: 10 formas de se prevenir de gripes e resfriados

Covid-19 (SARS-CoV-2 )

O SARS-CoV-2 é o coronavírus mais recentemente descoberto. Inicialmente recebeu a denominação de 2019-nCoV, mas, no dia 11 de fevereiro de 2020, passou a ser chamado de SARS-CoV-2.

O vírus foi isolado no dia 7 de janeiro de 2020 e detectado primeiramente na cidade chinesa de Wuhan. Antes dessa identificação, a China já havia informado a Organização Mundial de Saúde, no dia 31 de dezembro de 2019, da ocorrência de uma pneumonia de causa desconhecida.

O SARS-CoV-2, identificado na China, é um novo tipo de coronavírus.

A primeira morte ocorrida em decorrência desse novo vírus aconteceu no dia 11 de janeiro de 2020. Rapidamente a doença, que ficou conhecida por covid-19, alastrou-se pelo planeta. Em março de 2020, todos os continentes já haviam sido afetados. Isso levou a OMS a declarar, no dia 11 de março de 2020, que a covid-19 é, sim, uma pandemia.

Até o dia 4 de março de 2021, foram registrados pela OMS 114.853.685 casos da doença no mundo e 2.554.694 mortes. No mundo, a letalidade do vírus é de cerca de 2%. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, até o dia 3 de março de 2021, havia 10.718.630 casos confirmados e 259.271 mortes.

Inicialmente, acreditou-se que a doença era transmitida apenas de animais para humanos. Entretanto, após o aumento do número de casos, descobriu-se que a transmissão poderia ocorrer também de uma pessoa para outra. Os sintomas da infecção causada pelo novo coronavírus são: febre, dificuldade respiratória, tosse e falta de ar. Os casos mais graves podem evoluir para insuficiência renal e síndrome respiratória aguda grave. Entre os grupos de risco para desenvolver a forma grave da doença estão os idosos.

A recomendação para se prevenir da doença é lavar as mãos regularmente com água e sabão ou fazer a higienização das mãos utilizando álcool em gel e evitar tocar nos olhos, nariz e boca sem que as mãos tenham sido limpas. Recomenda-se também evitar contato próximo com pessoas com sintomas de doenças respiratórias.

O uso de máscaras é também recomendado e deve ser feito por todos, independentemente de apresentarem ou não sintomas respiratórios. A covid-19 pode ser transmitida por pessoas assintomáticas, ou seja, pessoas com o vírus, mas que não apresentam sintomas, portanto é importante evitar aglomerações e permanecer a pelo menos dois metros de distância de outras pessoas.

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Coronavírus"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/coronavirus.htm. Acesso em 24 de julho de 2024.

De estudante para estudante


Vídeoaulas