Pilhas de mercúrio

Química

As pilhas de mercúrio são compostas do ânodo de zinco, do cátodo de óxido de mercúrio II e da solução eletrolítica de hidróxido de potássio.
PUBLICIDADE

Estamos rodeados de equipamentos que, para funcionarem, precisam de pilhas ou baterias. No entanto, vários desses aparelhos portáteis estão ficando cada vez menores e com isso surge a grande necessidade de pilhas em miniatura.

Um exemplo desse tipo de pilha é a de mercúrio ou também denominada de pilha de mercúrio-zinco.

Toda pilha é formada por dois eletrodos, o ânodo (polo negativo) e o cátodo (polo positivo), e por um eletrólito. No caso da pilha de mercúrio, o ânodo é formado por uma cápsula de zinco metálico (Zn(s)) e o cátodo por óxido de mercúrio II (HgO(s)). Tanto o Zn como o HgO são transformados em pó e compactados para que a pilha fique o menor possível. O eletrólito é feito de uma solução de hidróxido de potássio saturada (KOH(aq)).

O Zn se oxida, doando seus elétrons para o HgO, conforme mostrado nas semirreações e na reação global dessa pilha a seguir:

Semirreação do Ânodo: Zn(s) + 2 OH1-(aq) → ZnO(s) + 2 H2O(l) + 2e-

Semirreação do Cátodo: HgO(s) + H2O(l) + 2e- → Hg(l) + 2 OH1-(aq) 

Reação Global: HgO(s) + Zn(s) → ZnO(s) +  Hg(l)

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Partes que compõem a pilha de mercúrio

As pilhas de mercúrio são utilizadas em relógios digitais, relógios de pulso, máquinas fotográficas, calculadoras, agendas eletrônicas, aparelhos auditivos e outros aparelhos elétricos portáteis que exigem um trabalho eficiente e durabilidade, já que essas pilhas possuem voltagem de 1,35 V.

As pilhas de mercúrio são bem pequenas

Infelizmente, o descarte incorreto dessas pilhas pode gerar sérios riscos para o meio ambiente, pois ela contém mercúrio, que é um metal pesado. O mercúrio pode contaminar o solo, águas subterrâneas, águas de lagos e de rios, e chegar até os animais e ao homem. Ele é tóxico mesmo em pequenas quantidades. Entre os problemas de saúde que o mercúrio pode causar estão: danos nas mucosas, na pele, aos rins, náuseas violentas, vômito, dor abdominal, diarreia com sangue, além de poder levar à morte.

Para saber mais por que as pilhas são um lixo tóxico, como se dá a contaminação por mercúrio e o que devemos fazer com as pilhas usadas, leia os textos citados logo mais abaixo.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

A pilha de relógio de pulso costuma ser a pilha de mercúrio
A pilha de relógio de pulso costuma ser a pilha de mercúrio

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Pilhas de mercúrio"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/pilhas-mercurio.htm. Acesso em 18 de janeiro de 2021.

Artigos Relacionados
Conheça a célula a combustível, que tem sido considerada por muitos cientistas a fonte de energia do futuro, pois não gera poluentes e produz água.
Entenda o que é uma pilha, por que ela recebeu esse nome, qual é o seu princípio de funcionamento e quais os tipos principais.
Perigo das baterias, contaminação por metais pesados, aparelhos eletrodomésticos e eletroeletrônicos, baterias recarregáveis, Composição Química das baterias de níquel-cádmio, descarte correto das baterias de telefones celulares, volume global de baterias
Conheça mais sobre as pilhas recarregáveis.
Como proceder perante um lixo tóxico.
Saiba sobre os perigos desse material em sua casa.
Veja a definição e exemplos desses circuitos elétricos.
Saiba como evitar a contaminação com metais pesados.
Clique aqui e conheça as diferenças entre as pilhas alcalinas e as pilhas ácidas!
O que faz de uma pilha recarregável ou não?