Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Milton Hatoum

Milton Hatoum é um romancista amazonense. Ele é um dos autores mais conhecidos da literatura contemporânea. Seu primeiro romance é o premiado “Relato de um certo Oriente”.

Milton Hatoum
Milton Hatoum em foto de catálogo do Grupo Companhia das Letras (divulgação).[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Milton Hatoum é um escritor brasileiro contemporâneo. Nasceu em 19 de agosto de 1952, na cidade de Manaus, no Amazonas. Mais tarde, morou em Brasília e depois em São Paulo, onde fez faculdade de arquitetura na USP. Na França, estudou literatura na Sorbonne. De volta ao Brasil, foi professor da Universidade Federal do Amazonas.

O autor é um dos principais nomes da literatura contemporânea brasileira. Seus livros valorizam a memória e os elementos regionais. Seu primeiro romanceRelato de um certo Oriente — foi publicado, pela primeira vez, em 1989. Assim, Hatoum ganhou seu primeiro Prêmio Jabuti.

Leia também: Luiz Alfredo Garcia-Roza — autor cujos romances policiais fazem parte da literatura contemporânea

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Milton Hatoum

  • O autor brasileiro Milton Hatoum nasceu em 1952.

  • Além de premiado escritor, ele foi professor universitário.

  • Seus livros pertencem à literatura contemporânea brasileira.

  • Suas obras são marcadas pelo monólogo interior e hibridismo cultural.

  • Relato de um certo Oriente é uma de suas narrativas mais conhecidas, bem como Dois irmãos.

Biografia de Milton Hatoum

Milton Hatoum nasceu em 19 de agosto de 1952, na cidade de Manaus. Sua família é de origem libanesa. Ele estudou no Colégio Amazonense D. Pedro II e viveu na capital do Amazonas até 1967. Foi quando se mudou para a cidade de Brasília, onde estudou no Centro Integrado de Ensino Médio da UnB.

Ainda como estudante do ensino médio, participou de passeata contra a ditadura e, por isso, foi preso, mas logo liberado. Então foi viver em São Paulo no ano de 1970. Nessa cidade, fez o curso de Arquitetura na USP e finalizou sua graduação em 1977. Em seguida, trabalhou como professor de História da Arquitetura na Universidade de Taubaté.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em 1980, mudou-se para a França, onde estudou literatura na Sorbonne. Quatro anos depois, voltou ao Brasil e passou a trabalhar como professor da Universidade Federal do Amazonas. Publicou seu primeiro romance — Relato de um certo Oriente — em 1989. Já em 1996, atuou como professor visitante na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos.

Dois anos depois, deixou o cargo de professor universitário e voltou a viver em São Paulo. Passou a se dedicar exclusivamente à escrita e começou a trabalhar como colunista do jornal O Estado de S. Paulo. Assim, tornou-se um dos mais importantes autores contemporâneos do Brasil e recebeu os seguintes prêmios:

  • Jabuti (1990, 2001, 2006 e 2009);

  • APCA (2006);

  • Portugal Telecom (2006);

  • Livro do Ano (2006);

  • Bravo! (2006).

Características literárias de Milton Hatoum

A literatura contemporânea brasileira é caracterizada pela diversidade de temas e estilos autorais. Assim, a obra de Hatoum é lembrada pelo seu aspecto memorialístico, já que valoriza a história dos antepassados do autor. E, desse modo, demonstra o hibridismo cultural tão típico do Brasil ao discutir a questão da imigração.

As narrativas do escritor possuem um tom melancólico e apresentam profundidade psicológica, demonstrada no fluxo de consciência de seus personagens. Também deixam em evidência as características regionais, além de fazer crítica social. Como em outras obras contemporâneas, é possível perceber também a fragmentação textual.

Leia também: Conceição Evaristo — grande expoente da literatura contemporânea

Principais obras de Milton Hatoum

  • Relato de um certo Oriente (1989) — romance

  • Dois irmãos (2000) — romance

  • Cinzas do Norte (2005) — romance

  • Órfãos do Eldorado (2008) — romance

  • A cidade ilhada (2009) — contos

  • Um solitário à espreita (2013) — crônicas

  • A noite da espera (2017) — romance

  • Pontos de fuga (2019) — romance

Relato de um certo Oriente

 Capa do livro “Relato de um certo Oriente”, de Milton Hatoum, publicado pela editora Companhia das Letras.[2]
 Capa do livro “Relato de um certo Oriente”, de Milton Hatoum, publicado pela editora Companhia das Letras.[2]

Relato de um certo Oriente conta a história de uma família descendente de libaneses em Manaus. Quase 20 anos depois de ir embora da cidade, uma mulher retorna ao local onde foi criada. Assim, as lembranças fazem com que ela, uma das narradoras da história, resgate o seu passado.

Ela chega a Manaus um dia antes da morte de Emilie, sua mãe adotiva. A morte dessa personagem coloca o foco da narrativa sobre a morta, de forma que todos os narradores têm algo a contar sobre ela. Além da filha adotiva, os outros narradores são:

  • Hakim, o filho mais velho;

  • Dorner, um amigo da família

  • O marido de Emilie;

  • Hindié, amiga de Emilie.

A principal narradora decide escrever uma carta para o irmão, que mora na Espanha. Nessa longa carta ou relato, ela ressignifica a sua história familiar. Assim, a narrativa é estruturada por meio do fluxo de consciência dos personagens, que narram e analisam o passado vivido. Como é possível perceber neste trecho narrado por Hakim:

Desde pequeno convivi com um idioma na escola e nas ruas da cidade, [...]. E às vezes tinha a impressão de viver vidas distintas. Sabia que tinha sido eleito o interlocutor número um entre os filhos de Emilie: por ter vindo ao mundo antes que os outros? Por encontrar-me ainda muito próximo às suas lembranças, ao seu mundo ancestral [...]? Mas isso não me sacudia o pensamento, me intrigava antes sua caminhada solitária quando nos despedíamos após as lições. Sem deixar vestígios, ela desaparecia naquele aposento que sempre me interessou pelo simples fato de ter sido um espaço inviolável, inacessível até mesmo ao meu pai, [...].|1|

A diversidade cultural está em evidência no romance. Os elementos da cultura brasileira se mesclam às diferenças culturais de Emilie e seu marido. Ela, católica. Ele, muçulmano. As diferenças estão impressas também na personalidade de cada filho, resultado vivo dessa mescla cultural.

Enquanto os filhos voltam, em suas memórias, à infância, a narrativa do marido de Emilie está centrada na vinda dele ao Brasil. Ele narra a sua chegada a Manaus, o seu “último impulso aventureiro”. Em seguida, ele se apaixona por Emilie, com quem vai se casar. Em suma, o romance busca descobrir de fato quem foi Emilie, que acaba se tornando a protagonista da história.

Dois irmãos

Capa do livro “Dois irmãos”, de Milton Hatoum, publicado pela editora Companhia das Letras.[3]
Capa do livro “Dois irmãos”, de Milton Hatoum, publicado pela editora Companhia das Letras.[3]

O livro tem como protagonistas os gêmeos Yaqub e Omar, nascidos em Manaus. Traz ainda uma temática clássica: a rivalidade entre gêmeos, assim como no livro Esaú e Jacó, de Machado de Assis (1839-1908). Ambos se apaixonam pela mesma mulher, Lívia. (No livro do escritor realista, a amada se chamava Flora).

Em um baile, Omar acredita ter conquistado a jovem, porém logo o irmão dá o troco e consegue um beijo de Lívia. Enfurecido, Omar corta o rosto do irmão com uma garrafa quebrada para esse fim. A cicatriz não vai deixar os irmãos se esquecerem do ódio que os separa.

Para tentar aplacar a rivalidade entre eles, os pais (Halim e Zana) obrigam Yaqub a fazer uma viagem ao Líbano, terra de seus antepassados. Na volta, logo após a Segunda Guerra Mundial, os desentendimentos continuam. Mas as diferenças entre os gêmeos estão também relacionadas às suas personalidades.

Yaqub é disciplinado e estudioso. Já Omar é caótico, indisciplinado e violento. Inclusive, é expulso do colégio por agredir um professor, e passa a conviver com boêmios e artistas. Já Yaqub, após um reencontro com Lívia, vai estudar em São Paulo. Nessa cidade, ele se torna engenheiro e se casa.

Omar também vai para São Paulo, onde é ajudado pelo irmão. Ali, descobre que Yaqub está casado com Lívia. Tempos depois, já no período da ditadura militar, o ódio entre os gêmeos só faz aumentar, com mais agressões. Omar é denunciado à polícia pelo irmão e, depois, é preso. Só quando Yaqub morre, acaba, enfim, a rivalidade entre eles.

  • Videoaula com a análise de Dois irmãos

Nota

|1| HATOUM, Milton. Relato de um certo Oriente. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

Créditos da imagem

[1] Grupo Companhia das Letras (divulgação)

[2] Grupo Companhia das Letras (divulgação)

[3] Grupo Companhia das Letras (divulgação)

 

Por Warley Souza
Professor de Literatura 

Escritor do artigo
Escrito por: Warley Souza Professor de Português e Literatura, com licenciatura e mestrado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Milton Hatoum"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/milton-hatoum.htm. Acesso em 24 de maio de 2024.

De estudante para estudante