Topo
pesquisar

Castro Alves

Biografia

PUBLICIDADE

Poeta abolicionista brasileiro nascido em Muritiva, próximo a Curralinho, hoje Castro Alves, BA, que apesar de uma vida efêmera tornou-se um dos poetas de maior popularidade do Brasil. Morando inicialmente na fazenda das Cabaceiras, perto de Curralinho, foi estudar em Salvador, BA (1852), e começou a aparecer como autor de versos e orador exaltado na Faculdade de Direito do Recife, quando assumiu sua posição em defesa da causa abolicionista e de seus ideais republicanos. Data desse tempo e desse meio sua amizade com Tobias Barreto, que acabaria em polêmica. Apaixonou-se (1866) pela atriz portuguesa Eugênia Câmara, que exerceria importante influência em sua vida, e escreveu seu único texto teatral, Gonzaga ou A Revolução de Minas, encenado em Salvador (1867). Atacado pela tuberculose (1867), transferiu-se para a Faculdade de Direito de São Paulo, mas não conseguiu terminar o curso. Passando pelo Rio de Janeiro teve seu trabalho tratado com entusiasmo por José de Alencar e Machado de Assis. De volta a Bahia publicou seu mais famoso e único em vida, Espumas flutuantes (1870). O seu retorno à Bahia foi causado por um acidente de caça, no qual um tiro lhe feriu o pé, chegou a ser operado, mas seu organismo debilitado pela tuberculose não teve condições para resistir e morreu em Salvador, aos 24 anos de idade. Todo o restante de sua obra, que se encontrava esparso em manuscritos ou impresso em jornais e revistas, foram publicados em livros póstumos. Entre seus poemas mais notáveis citam-se O navio negreiro, Vozes d,África, O livro, América, Mocidade e morte, Ahasverus e o gênio, O sibarita romano, O São Francisco, A queimada, A tarde, Crepúsculo sertanejo, Lucas, Tirana e A canção do violeiro, publicados em livros como A cachoeira de Paulo Afonso (1876) e, mais tarde, reunida em Os escravos (1920). Pertencente à terceira geração de românticos, é considerado o mais genuíno representante brasileiro do condoreirismo, comportamento artístico e poético característico da última fase do romantismo brasileiro.

Fonte: Biografias - Unidade Acadêmica de Engenharia Civil / UFCG

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Biografia C - Biografia - Brasil Escola

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola