Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Oxalá

Oxalá é considerado o pai de todos os Orixás, criado por Olorum juntamente com Iemanjá para desempenhar esse papel.

Estátua de Oxalá, considerado o pai de todos os orixás e o esposo de Iemanjá.
Oxalá é considerado o pai de todos os Orixás. Ele foi criado por Olorum e é casado com Iemanjá. [1]
Crédito da Imagem: Commons
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Oxalá é considerado o pai de todos os Orixás, criado por Olorum juntamente com Iemanjá para desempenhar esse papel. Representado frequentemente como um homem idoso, negro, de barba e vestes brancas, Oxalá é o Orixá do céu, do ar e da paz.

Durante a escravidão, houve um sincretismo entre Oxalá e Jesus Cristo, como forma de preservar as tradições religiosas africanas diante da proibição e perseguição. Apesar das diferenças, as semelhanças entre Jesus e Oxalá, relacionadas à calma, paz e cuidado paternal, levaram à fusão de suas imagens.

As características principais de Oxalá são a paz e a serenidade, sendo considerado o Orixá da espiritualidade. Suas cores são branco leitoso e branco transparente, podendo haver a combinação de preto e branco para representar uma qualidade específica (visão). O símbolo de Oxalá é a pomba branca, e seus elementos são o céu e o ar.

Para compreender Oxalá de uma forma mais completa, fomos conversar com a sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá, Yalorixá da religião de matriz africana Nação Cabinda.

Leia também: Iemanjá — detalhes sobre a mãe de todos os Orixás

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Oxalá

  • Oxalá é o pai de todos os Orixás, criado junto com Iemanjá por Olorum para exercer esse papel.

  • É o Grande Orixá, o Rei do Pano Branco.

  • Representado frequentemente como um homem idoso, negro, de barba e vestes brancas, é dono do céu e do ar, estando presente em todos os lugares.

  • Oxalá é sincretizado com Jesus Cristo.

  • Suas cores são branco leitoso e branco transparente, podendo haver a combinação de preto e branco para representar uma qualidade específica (visão).

  • O símbolo de Oxalá é a pomba branca, e seus elementos são o céu e o ar.

  • A saudação a Oxalá é “Epa Oh Babá, Odu a Babá”.

  • Os filhos de Oxalá são descritos como pessoas remosas, lentas e perfeccionistas, com forte senso ético (procurando fazer as coisas corretamente), evitando práticas prejudiciais.

  • A oferenda a Oxalá consiste em canjica branca com mel, podendo incluir coco seco, uva-verde e canjica branca com feijão-miúdo branco descascado.

  • O dia dedicado a Oxalá varia conforme a tradição, sendo sexta-feira em algumas religiões de matriz africana, enquanto na Nação Cabinda é celebrado às quartas-feiras e domingos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quem é Oxalá?

Oxalá é considerado o pai de todos os Orixás, criado juntamente com Iemanjá para desempenhar esse papel. Para compreender Oxalá de uma forma mais completa, fomos conversar com a sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá, Yalorixá da religião de matriz africana Nação Cabinda.

Mãe Iná nos conta que Olorum criou Oxalá e Iemanjá para serem os pais dos Orixás, por isso todo o panteão tem origem em ambos aqueles. Oxalá possui várias representações, mas a mais comum é a de um homem idoso, negro, com a barba e as vestes brancas. Ele é também o Orixá do céu, do ar e da paz.

Sincretismo de Oxalá com Jesus Cristo

Mulher com uma vela acesa em direção a uma imagem de Jesus Cristo, associado a Oxalá, o pai de todos os Orixás.
Oxalá foi associado a Jesus Cristo.

A história do sincretismo começa com a escravização dos africanos, pois foi nesse processo que as religiões dos povos negros foram proibidas, perseguidas e tiveram as suas práticas duramente punidas pelos europeus. Para impedir que as suas tradições e crenças fossem extintas, os negros precisaram estabelecer relações simbólicas entre os Orixás e os símbolos cristãos e católicos.

Dessa forma, os colonizadores pensavam que os escravizados haviam aceitado o cristianismo e não impediam suas práticas religiosas. Foi dentro desse contexto que a imagem de Oxalá e a de Jesus Cristo se misturaram. Apesar de suas diferenças, Jesus foi o escolhido para Oxalá devido às semelhanças relacionadas à calma, à paz e à figura paternal de cuidado.

Características de Oxalá

A sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá nos conta que as principais características de Oxalá são a paz, a serenidade. De acordo com ela, “Oxalá é o Orixá da espiritualidade, ele vem para nós para trazer a paz, a paz de espírito”.

Cores de Oxalá

As cores de Oxalá são o branco leitoso e o branco transparente. A sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá ainda nos conta que, dentro da Nação Cabinda, também há a combinação das cores preto e branco para representar uma qualidade específica de Oxalá, o Oxalá Orunmilaia, o dono da visão.

Símbolo de Oxalá

Pomba branca, o símbolo de Oxalá, em um fundo preto.
O símbolo de Oxalá é uma pomba branca.

A sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá afirma que o símbolo de Oxalá é a pomba branca.

Domínios de Oxalá

Os domínios de Oxalá são a paz e a serenidade.

Elementos de Oxalá

Os elementos de Oxalá são o céu e o ar.

Saudação de Oxalá

A saudação de Oxalá é “Epa Oh Babá, Odu a Babá”.

Veja também: Exu — detalhes sobre um dos Orixás primordiais

Características dos filhos de Oxalá

Fotografia de Mãe Iná de Oxalá, uma das filhas de Oxalá, o pai de todos os Orixás.
Mãe Iná de Oxalá é uma das filhas de Oxalá. Ela tem 50 anos e é Yalorixá da religião de matriz africana Nação Cabinda. (Crédito: Mãe Iná de Oxalá)

A sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá conta que há várias características atribuídas aos filhos de Oxalá, mas que a mais recorrente é que são pessoas remosas, lentas, que fazem as coisas com perfeccionismo. Ela diz:

Tudo tem que ser muito certinho, tudo tem que ser muito correto. São pessoas muito corretas que não nasceram para “trambicagem”. Ou a gente faz o certo, ou a gente não faz. Se for para prejudicar alguém, a gente nem entra em nenhuma questão.

Oferenda a Oxalá

Tigela com canjica branca com coco seco, uma das oferendas que podem ser feitas a Oxalá.
A canjica branca com coco seco é uma das oferendas que podem ser feitas a Oxalá.

A sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá diz que a oferenda para Oxalá é muito simples, é a canjica branca com mel, que pode ser oferecida à beira do mar, à beira de um rio, entre outros lugares. Ela diz que dependendo da qualidade de Oxalá para a qual se quer oferendar, também se usa canjica branca com coco seco. Além dessas oferendas, há a uva-verde e a canjica branca com feijão-miúdo branco descascado.

Acesse também: Ogum — o Orixá que recebe como oferendas a feijoada (com feijão-preto), a farofa de feijão-fradinho e o inhame

Oração a Oxalá

A sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá diz que para sua religião as orações chamam-se rezas, elas podem ser feitas nos quartos de santo ou em qualquer lugar da natureza. Ela diz que se deve começar com a saudação “Epa ó Babá, que o senhor possa me ajudar!” e então fazer a oração. Ela diz que Oxalá é também o ar, então ele está em todo o lugar.

Dia de Oxalá

  • Na semana: o dia de Oxalá pode variar dependendo da tradição em que se está inserido. Para parte das religiões de matriz africana, o dia de Oxalá é a sexta-feira. Entretanto, a sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá nos conta que para eles, da Nação Cabinda, os dias de Oxalá são a quarta-feira e o domingo.

  • No ano: o dia consagrado a Oxalá, adotado devido ao sincretismo, é o dia 25 de dezembro, dia de Natal, uma vez que ele é associado a Jesus Cristo.

Crédito de imagem

[1] Alexandre Marino / Wikimedia Commons (reprodução)

Fontes

BENISTE, José. Òrun Àiyé: o encontro de dois mundos. Rio de Janeiro. 2008. Betrand Brasil.

Entrevista realizada com a sacerdotisa Mãe Iná de Oxalá, Yalorixá de Religião de Matriz Africana, Nação Cabinda.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. São Paulo. 2001. Companhia da Letras.

VERGER, Pierre Fatumbi. Orixás. Tradução: Maria Aparecida de Nóbrega. Salvador. 1997. Corrupio.

Escritor do artigo
Escrito por: Tiago Vechi Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VECHI, Tiago. "Oxalá"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/religiao/oxala.htm. Acesso em 13 de julho de 2024.

De estudante para estudante