Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Polímeros de Rearranjo

Um polímero de rearranjo requer que um ou mais monômeros sofram um rearranjo em suas estruturas, na medida em que ocorre a polimerização.

O poliuretano é o representante mais comum dos polímeros de rearranjo
O poliuretano é o representante mais comum dos polímeros de rearranjo
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Os polímeros de rearranjo são aqueles em que pelo menos um de seus monômeros sofre rearranjos em sua estrutura química à medida que ocorre a reação de polimerização.

O exemplo mais importante desse tipo de polímero é o poliuretano ou poliuretana. O poliuretano é formado pela reação entre o di-isocianato de parafenileno e o etilenoglicol, conforme a reação abaixo:

Reação de polimerização do poliuretano

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Esse polímero é usado principalmente para dar origem às espumas rígidas e flexíveis, ao misturar seus monômeros com gás freon, que é um gás que tende a se desprender, expandindo o polímero e formando a espuma.

Porém, o poliuretano também é usado na produção de preservativos, fibras têxteis, isolantes, em assentos de automóveis, carpetes, calçados, etc.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Escritor do artigo
Escrito por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Polímeros de Rearranjo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/polimeros-rearranjo.htm. Acesso em 21 de junho de 2024.

De estudante para estudante


Videoaulas