Topo
pesquisar

Polímeros biodegradáveis

Química

PUBLICIDADE
Você já ouviu falar da Bioespuma? Ela é um composto biodegradável que foi elaborado para substituir o isopor.
A obtenção da Bioespuma é feita a partir do óleo de mamona. O processo consiste em uma síntese que envolve reações químicas entre o óleo de mamona e amido, reações que são denominadas de esterificações. Veja o esquema de obtenção da Bioespuma e o seu processo de deterioração:


Observe que os produtos finais do processo de Biodegradação são: água (H2O) + gás carbônico (CO2).

O isopor por sua vez, possui desvantagens por ser derivado do petróleo, que é um recurso não renovável e, além disso, não é biodegradável, o que significa que pode levar anos para se decompor na natureza.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A deterioração da espuma é mais rápida, o tempo estimado é de oito meses a um ano para que desapareça completamente do meio ambiente. A ação da luz e do calor acelera a degradação da Bioespuma, fato este que explica porque no verão a decomposição é mais rápida (mais ou menos três meses).

Além de ser biodegradável, a Bioespuma é segura em caso de incêndios, pois não é tóxica e nem propaga chamas.

Por Líria Alves
Graduada em Química
Equipe Brasil Escola

Veja mais! Polímeros e poluição

Polímeros - Química Orgânica - Química - Brasil Escola


Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Líria Alves de. "Polímeros biodegradáveis"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/quimica/polimeros-biodegradaveis.htm>. Acesso em 17 de agosto de 2018.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA