Whatsapp

O que é distribuição eletrônica?

O que é?

A forma como os elétrons estão distribuídos ao redor do núcleo, em camadas ou níveis de energia, é chamada de distribuição eletrônica.
PUBLICIDADE

A distribuição eletrônica refere-se ao modo como os elétrons estão distribuídos nas camadas ou níveis de energia que ficam ao redor do núcleo do átomo.

Segundo o modelo atômico de Rutherford-Böhr, os átomos dos elementos químicos conhecidos possuem no máximo sete camadas eletrônicas, que aumentam de energia no sentido de dentro para fora do núcleo (1 – 2 – 3 – 4 – 5 – 6 – 7). Essas sete camadas também podem ser designadas pelas respectivas letras K – L – M – N – O – P – Q, sendo que a K é a primeira, ficando mais perto do núcleo e sendo a de menor energia. Por outro lado, a camada Q é a sétima, sendo a mais afastada do núcleo e a de maior energia.

Visto que cada átomo possui um número atômico (quantidade de próton no núcleo) e um número diferente de elétrons, as camadas eletrônicas de cada átomo possuem energias diferentes que comportam os elétrons com aquela energia determinada.

Mapa Mental: Distribuição Eletrônica

Mapa Mental: Distribuição Eletrônica

* Para baixar o mapa mental em PDF, clique aqui!

Observe abaixo alguns átomos e os elétrons distribuídos em suas camadas eletrônicas:

Átomo de hidrogênio, hélio, berílio e oxigênio
Átomo de hidrogênio, hélio, berílio e oxigênio

Observe que a distribuição dos quatro átomos do berílio é: 2 – 2, e que a do oxigênio é 2 – 6. Só por meio desses exemplos já é possível ver que a distribuição eletrônica segue uma ordem. Por exemplo, a camada K (1) pode ter no máximo dois elétrons.

Abaixo temos uma tabela que especifica a quantidade máxima de elétrons que pode ser distribuída em cada camada eletrônica:

Quantidade máxima de elétrons nos níveis eletrônicos
Quantidade máxima de elétrons nos níveis eletrônicos

É preciso lembrar também que a última camada a ser preenchida, a chamada camada de valência, deve possuir no máximo oito elétrons. Então, se você distribuiu os elétrons e viu que a última camada ficou com uma quantidade maior que 8, mas menor que 18, então, deve deixar somente 8 elétrons nessa camada e acrescentar o restante na próxima camada mais externa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por exemplo, considere a distribuição eletrônica do átomo de cálcio. Olhando na tabela periódica, vemos que ele possui número atômico igual a 20, sendo que, no estado fundamental, há a mesma quantidade de elétrons. Então, temos que distribuir 20 elétrons nas suas camadas eletrônicas. Veja isso abaixo:

Distribuição eletrônica do cálcio no átomo
Distribuição eletrônica do cálcio no átomo

Veja que a camada M pode comportar até 18 elétrons, mas se colocássemos os elétrons restantes nela, ela ficaria com 10 elétrons, o que não pode ocorrer na camada de valência. Por isso, colocamos os outros elétrons (2) na próxima camada, que é a N.

Mas se a quantidade de elétrons na última camada estiver entre 18 e 32, deixam-se 18 elétrons e passam-se os demais para as camadas mais externas. Veja outro exemplo:

Distribuição eletrônica do bário no átomo
Distribuição eletrônica do bário no átomo

Observe que a camada “N” pode conter no máximo 32 elétrons, mas aqui ela ficaria com 28. Então, deixamos 18 elétrons e passamos o restante para a próxima camada. Mas a camada “O” ficaria com 10 elétrons, por isso, deixamos 8 e distribuímos os outros 2 elétrons restantes para a camada “P”.

No entanto, existe uma forma mais fácil de realizar essa distribuição eletrônica dos elétrons de um átomo. É por meio do Diagrama de Pauling (pois foi criado pelo cientista Linus Carl Pauling (1901-1994)), também conhecido como Diagrama de distribuição eletrônica ou, ainda, Diagrama dos níveis energéticos. Esse diagrama tem o seguinte aspecto:

A representação gráfica da distribuição eletrônica é dada pelo Diagrama de Pauling
A representação gráfica da distribuição eletrônica é dada pelo Diagrama de Pauling

Para entender como as distribuições eletrônicas dos elétrons e dos íons são feitas nesse diagrama, leia os textos abaixo:

* Distribuição eletrônica de elétrons;

* Distribuição eletrônica de íons.
 

* Crédito da imagem de Linus Pauling: Nobelprize.org

** Mapa Mental por Me. Diogo Lopes


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Linus Pauling criou um diagrama que facilitou a distribuição eletrônica dos elétrons em um átomo *
Linus Pauling criou um diagrama que facilitou a distribuição eletrônica dos elétrons em um átomo *

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "O que é distribuição eletrônica?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/quimica/o-que-e-distribuicao-eletronica.htm. Acesso em 17 de abril de 2021.

Artigos Relacionados
Aprenda aqui o que é, como é feita e quais as funcionalidades da distribuição eletrônica geométrica de um átomo.
Clique e aprenda o que é a hibridização e saiba como esse fenômeno está relacionado com o número de ligações covalentes realizado pelos átomos.
Clique e passe a saber o que é uma ligação iônica, forma de interação entre átomos que possuem a tendência de perder e ganhar elétrons, ou seja, uma ligação química que envolve átomos de elementos de elevado caráter metálico e elevado caráter ametálico.
Saiba o que é o modelo atômico de Rutherford e compreenda como esse cientista conseguiu descobrir algumas características importantes do átomo.
Entenda o que é um íon-fórmula por meio de exemplos práticos que preparamos para você!
Aprenda a realizar distribuições eletrônicas por meio do diagrama de Linus Pauling.
Aprenda a realizar a distribuição eletrônica de íons no diagrama de Linus Pauling.
Um dos mais importantes químicos do século XX.
Aprenda a distribuir elétrons no diagrama de Linus Pauling.
Niels Bohr, átomo de Bohr, física atômica, átomo estável, modelo atômico sistema planetário, camadas da eletrosfera, níveis de energia, camadas eletrônicas, energia dos elétrons, modelo atômico de Rutherford, átomo em estado excitado.
Clique e conheça as principais características do modelo atômico de Rutherford e o experimento que possibilitou a sua formulação.
Entenda como é feita a distribuição eletrônica e confira exemplos.