Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Fiódor Dostoiévski

Fiódor Dostoiévski foi um escritor russo do século XIX vinculado ao realismo. Autor do romance “O idiota”, tornou-se uma grande influência para filósofos existencialistas.

Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Fiódor Dostoiévski, escritor russo, nasceu em 11 de novembro de 1821, em Moscou. Três anos após o sucesso de seu primeiro livro — Gente pobre —, publicado em 1846, foi preso, por questões políticas, e condenado à morte. A sentença, no entanto, foi revogada, e o autor, então, foi condenado a realizar trabalhos forçados, durante quatro anos, em uma prisão na Sibéria.

Suas obras estão vinculadas ao realismo russo e apresentam crítica sociopolítica, fluxo de consciência e personagens marginalizados. Assim, o autor, que morreu em 9 de fevereiro de 1881, em São Petersburgo, traz à tona elementos profundos da alma humana e, dessa forma, acabou influenciando filósofos como Nietzsche e Sartre.

Leia também: Liev Tolstói — principal representante do realismo russo

Tópicos deste artigo

Biografia de Fiódor Dostoiévski

Fiódor Dostoiévski nasceu em 11 de novembro de 1821, em Moscou, na Rússia. Era filho de um médico, um homem autoritário e exigente que estimulava Fiódor e seu irmão, Mikhail, a estudarem e lerem. Porém, quando, em 1837, a mãe do escritor morreu de tuberculose, o pai de Dostoiévski, desgostoso, entregou-se ao alcoolismo e se tornou ainda mais intratável.

Monumento a Fiódor Dostoiévski na Rússia. |1|
Monumento a Fiódor Dostoiévski na Rússia. |1|

No ano seguinte, o autor começou a estudar na Escola de Engenheiros Militares de São Petersburgo, por influência do pai, que foi assassinado em 1839. Assim, quando terminou os estudos, em 1843, o escritor passou a trabalhar no cargo de alferes. Mas após experimentar a vida boêmia da cidade, deixou o emprego, em 1844, para se dedicar à literatura.

Seu primeiro romance — Gente pobre — foi publicado em 1846. No ano seguinte, Dostoiévski se envolveu com um grupo de rapazes que faziam críticas ao czarismo. Por isso, em 1849, o romancista foi preso e condenado à morte. No entanto, na última hora, essa pena foi revogada, e o escritor foi condenado a realizar trabalhos forçados, em Omsk, na Sibéria, durante quatro anos, seguidos de mais quatro anos como soldado.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Após sair do presídio em Omsk, em 1854, passou a cumprir sua pena de soldado, em Semipalatinsk, onde conheceu Maria Dimítrievna (1824-1864), uma mulher casada. No entanto, ele pôde se casar com ela, em 1857, quando ficou viúva. Na noite do casamento, o escritor teve uma crise epiléptica. Era o início de um casamento infeliz, que terminaria sete anos depois, com a morte da esposa, vítima de tuberculose.

Pena cumprida, Fiódor Dostoiévski voltou à Rússia em 1859, com sua esposa e seu enteado. A princípio, viviam na cidade de Tver e, depois, voltaram a viver em São Petersburgo. Mais tarde, em 1862, publicou seu livro Recordações da casa dos mortos e, dessa forma, voltou a ser admirado como escritor.

Nesse ano, fez sua primeira viagem a países da Europa e se apaixonou por Paulina Súslova, uma jovem de 16 anos. Dois anos depois, com a morte do irmão, Dostoiévski decidiu manter o jornal criado por ele — Época. Além disso, ficou viúvo e, em 1865, viajou para países da Europa pela segunda vez, reencontrando a jovem Paulina, que rejeitou seu pedido de casamento.

Em 1866, conheceu a jovem estenógrafa Anna Grigórievna (1846-1918), e se casaram um ano depois. Ameaçado pelos credores, o escritor decidiu deixar a Rússia. Em companhia da esposa, ele viveu em países da Europa por aproximadamente quatro anos. Em 1868, sua primeira filha nasceu, na Suíça, e morreu no mesmo ano.

Em 1872, na Rússia, o romancista se tornou redator-chefe do jornal O Cidadão. Assim, viveu os próximos anos dedicado à escrita. Porém, as crises epilépticas eram recorrentes, e a saúde do escritor ficou mais frágil com os anos. Ele morreu em 9 de fevereiro de 1881, em São Petersburgo.

Características literárias de Fiódor Dostoiévski

As obras de Fiódor Dostoiévski — um dos principais autores do realismo na Rússia — apresentam as seguintes características:

  • crítica sociopolítica;

  • análise psicológica;

  • monólogo interior;

  • conservadorismo;

  • nacionalismo;

  • prolixidade;

  • caráter descritivista;

  • personagens marginalizados;

  • ausência de idealizações;

  • profundidade filosófica;

Leia também: Naturalismo — corrente mais extremada do movimento realista

Obras de Fiódor Dostoiévski

 Capa do livro O idiota, de Fiódor Dostoiévski, publicado pela Editora 34. |1|
Capa do livro O idiota, de Fiódor Dostoiévski, publicado pela Editora 34. |1|
  • Gente pobre (1846)

  • O duplo (1846)

  • Senhor Prokhartchin (1846)

  • Romance em nove cartas (1847)

  • A senhoria (1847)

  • Noites brancas (1848)

  • Coração fraco (1848)

  • O ladrão honrado (1848)

  • Uma árvore de Natal e um casamento (1848)

  • A mulher de outro e o marido debaixo da cama (1848)

  • Netochka Nezvanova (1849)

  • O pequeno herói (1849)

  • O sonho do tio (1859).

  • Aldeia de Stiepantchikov e seus habitantes (1859)

  • Humilhados e ofendidos (1861)

  • Recordações da casa dos mortos (1862)

  • Uma história desagradável (1862)

  • Notas do subterrâneo (1864)

  • O crocodilo (1865)

  • Crime e castigo (1866)

  • O jogador (1867)

  • O idiota (1869)

  • O eterno marido (1870)

  • Os demônios (1872)

  • Bobók (1873)

  • O adolescente (1875)

  • Uma criatura gentil (1876)

  • O Mujique Marei (1876)

  • O sonho de um homem ridículo (1877)

  • Os irmãos Karamazov (1881)

O livro O idiota é um dos mais conhecidos do autor. Nessa obra, o protagonista é o príncipe Liév Nikoláievitch Míchkin. Depois de viver alguns anos na Suíça, ele volta a São Petersburgo. O jovem de 26 anos tem epilepsia. A princípio, o título da obra se refere à suposta sequela da doença, isto é, à idiotice. Mas, no decorrer da narrativa, percebemos que o título possui um duplo sentido.

Afinal, esse adjetivo é usado, principalmente, para indicar a compaixão, generosidade e sinceridade do príncipe. A obra, portanto, critica a sociedade russa da época, na qual não havia lugar para um homem de bem. No entanto, a temática é atual e universal, pois, em qualquer parte do mundo, a discussão sobre o comportamento ético continua pertinente, além do fato de que algumas pessoas ainda são consideradas idiotas por agirem corretamente.

Míchkin é o herói ridicularizado por expressar bons valores humanos. Ele é uma alma superior, mas considerada fraca pelas pessoas corruptas que o cercam. Já Parfión Rogójín é o oposto do príncipe. Aparentemente, são amigos. No entanto, os dois se envolvem com a bela e sedutora Nastássia Filíppovna.

Veja também: Memórias póstumas de Brás Cubas — grande clássico do realismo brasileiro

Influência de Fiódor Dostoiévski

Fiódor Dostoiévski influenciou vários artistas e intelectuais.

  • Na literatura:

  • André Gide (1869-1951);

  • William Faulkner (1897-1962);

  • Georges Bernanos (1888-1948).

  • Na filosofia e política:

  • Jean-Paul Sartre (1905-1980);

  • Friedrich Nietzsche (1844-1900);

  • Martin Heidegger (1889-1976);

  • Mikhail Bakhtin (1895-1975);

  • Lev Shestov (1866-1938).

  • Na psicanálise:

  • Sigmund Freud (1856-1939).

Frases de Fiódor Dostoiévski

A seguir, vamos ler algumas frases de Fiódor Dostoiévski, extraídas de suas obras Os demônios, O idiota, Bobók e Recordações da casa dos mortos.

“O homem está infeliz porque não sabe que é feliz.”

“Não foi quando ele descobriu a América, mas quando estava prestes a descobri-la, que Colombo ficou feliz.”

“Vida e mentira são sinônimos.”

“Não existem preconceitos triviais.”

“Um ser que se habitua a tudo, esta é a melhor definição que podemos dar do homem.”

Créditos das imagens

|1| Pavel Sapozhnikov / Shutterstock.com

|2| Editora 34 (reprodução) 

 

Por Warley Souza
Professor de Literatura

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Fiódor Dostoiévski"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/fiodor-mikhailovitch-dostoievski.htm. Acesso em 06 de julho de 2022.

De estudante para estudante


Qual o nome do cachorro de Vidas Secas?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Capitu traiu Bentinho?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Videoaulas


PUBLICIDADE

Estude agora


Cem anos de solidão | Análise Literária

Assista a nossa videoaula para conhecer um pouco mais da obra “Cem anos de solidão”, um dos romances mais...

Êxodo rural

Assista à nossa aula e descubra o que é o êxodo rural. Conheça as causas e consequências desse fenômeno mundial....