Topo
pesquisar

Conferência de Teerã

História Geral

A Conferência de Teerã realizou-se no ano de 1943 e ficou caracterizada por ser a primeira das reuniões dos líderes Stalin, Roosevelt e Churchill para tratarem da guerra.
PUBLICIDADE

A Segunda Guerra Mundial, que teve início em 1939, além de ter a destruição e enormes números de mortos como algumas de suas principais características, também teve momentos de acordos e formação de alianças políticas e militares, que foram fundamentais para direcionar os rumos do conflito. Antes mesmo de a guerra ter início, Alemanha e URSS firmaram o Pacto Germano-Soviético de não agressão. Houve também a formação das chamadas “Potências do Eixo” (Roma-Berlim-Tóquio). Contudo, com o desenrolar da guerra, novas alianças e acordos foram firmados. A formação dos chamados “Aliados”, que se juntaram contra Alemanha, Itália e Japão, teve a sua primeira elaboração estratégica em 1943, na chamada Conferência de Teerã.

A Conferência de Teerã, que se realizou na cidade homônima (capital do Irã), reuniu os chefes de Estado dos Estados Unidos, da União Soviética e da Inglaterra: Roosevelt, Stalin e Churchill, respectivamente. A situação da guerra em 1943 exigia um empreendimento em conjunto entre as potências citadas e os demais países que a elas se associavam. Os principais temas discutidos em Teerã foram:

  1. o plano de ataque em solo europeu, que se efetivaria tanto pelo flanco ocidental (capitaneado pela Inglaterra e pelos Estados Unidos) quanto pelo oriental (capitaneado, por sua vez, pela URSS). Os alvos, evidentemente, eram as regiões dominadas por nazistas e fascistas;

  2. qual seria a situação geopolítica da Europa após a eventual vitória dos aliados, haja vista que os países ocidentais e a URSS possuíam projetos políticos diversos, apesar de o inimiggo ter se tornado comum a todos.

Todavia, a Conferência de Teerã, também conhecida pelo seu nome em código secreto “Eureka”, foi marcada, de início, pela animosidade entre Stalin e Churchill. O chefe da URSS insistia em uma estratégia militar que implicasse uma incursão pelo território francês, enquanto Churchill sugeria uma ação estratégica anglo-americana na região dos Bálcãs. Stalin desconfiava que Churchill pretendesse expor o Exército Vermelho soviético ao máximo de desgaste possível na luta contra os nazistas e manteve sua posição com relação à concentração das forças aliadas ocidentais na França e na Itália – estratégia que aliviaria a pressão sobre o Exército Vermelho.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Roosevelt, por sua vez, primava pelo acordo e, em dada medida, ajustava-se à opinião de Stalin. Um dos resultados da deliberação quanto à estratégia aliada na Europa foi o desembarque das tropas ocidentais na praia da Normandia, França. Com relação à situação no leste europeu, ficou também acordado que se daria apoio a Joseph Broz Tito, na Iugoslávia, e reconheceria-se a anexação, pela URSS, de boa parte das regiões fronteiriças com a Europa Ocidental, incluindo uma parte da Polônia. Houve ainda resoluções de impasses com relação a outros países, como a Finlândia, que era pró-nazista, e a Turquia, que não havia declarado ainda guerra contra a Alemanha.

A aliança entre esses três líderes resultou em uma das maiores mobilizações militares da história da humanidade, como diz o historiador Norman Davies: “Ao longo dos seis meses que se seguiram a Teerã, toda a atenção do campo aliado se concentrou nos planos para os desembarques na Normandia. A operação combinada implicou um esforço de preparação sem paralelo. O transporte de enormes quantidades de armas e de homens dos EUA por via aérea e marítima foi extremamente complexo.[1]

*Créditos da imagem: Freephotographer e Shutterstock

NOTAS

[1] Davies, Norman. A Europa em Guerra (1939-1945). Lisboa: Edições 70, 2008. p. 213.


Por Me. Cláudio Fernandes

Churchill, Roosevelt e Stalin reuniram-se em Teerã, em 1943, para tratar do destino da Segunda Guerra *
Churchill, Roosevelt e Stalin reuniram-se em Teerã, em 1943, para tratar do destino da Segunda Guerra *

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FERNANDES, Cláudio. "Conferência de Teerã"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/conferencia-teera.htm. Acesso em 13 de novembro de 2019.

Lista de Exercícios
Questão 1

(UFJF) Em dezembro de 1943, foi realizada por Roosevelt, Churchill e Stalin a Conferência de Teerã, que decidiu a abertura de um novo front da Guerra com a invasão da Normandia. Essa reunião assinala alteração na situação estratégica da Alemanha, que passa a atuar na defensiva. A inversão no quadro da guerra se deveu à:

a) ruptura do pacto germano-soviético pela URSS, que libertou a França.

b) unificação da Coreia e ao controle do petróleo romeno pelos norte-americanos.

c) aliança da URSS com o Japão, obrigando o Eixo a recuar na Ásia.

d) ofensiva soviética iniciada na Batalha de Stalingrado e à capitulação italiana frente aos aliados.

e) proclamação da República Social Italiana por Mussolini, que rompeu o pacto com a Alemanha e arrastou a Iugoslávia

Questão 2

A Conferência de Teerã ficou caracterizada também pela animosidade entre Churchill e Stalin. O clima hostil entre o líder do Reino Unido e o líder da URSS tinha como motivo principal:

a) o fato de Stalin não admitir fazer acordos com os ingleses, já que pretendia também invadir a Inglaterra.

b) o fato de Churchill não querer entrar em guerra com os adeptos de Mussolini, na Itália.

c) o fato de Stalin desconfiar da estratégia defendida por Churchill, que implicaria a exposição do Exército Vermelho ao ataque nazista por todos os flancos.

d) o fato de o Exército Vermelho não possuir mais estratégias de combate contra os nazistas.

e) o fato de o Reino Unido não estar disposto a fornecer o apoio aéreo da RAF (sua força aérea).

Mais Questões
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola