Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Palácio de Buckingham

O Palácio de Buckingham é conhecido como a residência do rei e da rainha do Reino Unido, além de ser um importante centro administrativo da monarquia britânica.

Fachada do Palácio de Buckingham
O Palácio de Buckingham, em Londres, foi construído em 1703 e transformado em residência real em 1837. [1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O Palácio de Buckingham, localizado em Londres, é a residência do rei e da rainha consorte da monarquia britânica. Além de residência real, o palácio também serve como centro administrativo, possuindo alguns órgãos de Estado em seu interior. Anualmente, o local também abriga importantes eventos e recebe delegações estrangeiras.

Essa estrutura foi construída em 1703, sendo adquirida como bem da monarquia britânica em 1761. Em 1837, durante o reinado da rainha Vitória, foi convertida em residência real, passando por inúmeras transformações. Costuma ser aberta para visitação durante o verão, janeiro, dezembro e durante a Páscoa.

Leia também: Quem são os membros da família real britânica?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o Palácio de Buckingham

  • O Palácio de Buckingham é a residência do rei e da rainha do Reino Unido.

  • Foi construído em 1703 e convertido em residência real em 1837.

  • Está localizado em Londres, tendo sido adquirido como posse da monarquia britânica em 1761.

  • Foi bombardeado por nove vezes durante a Segunda Guerra Mundial.

  • Estima-se que possua 77 mil metros quadrados.

Características do Palácio de Buckingham

O Palácio de Buckingham é conhecido como a residência oficial do monarca do Reino Unido, localizada em Londres. Assim, o rei Charles III e a rainha consorte Camilla residem nesse lugar. O palácio também é o centro administrativo do Reino Unido, sendo o local que recebe uma série de eventos importantes para a administração do Reino Unido.

Dentro do palácio existem cômodos dedicados à moradia do rei e da rainha consorte, mas muitos cômodos são dedicados a órgãos do Estado britânico. O Palácio de Buckingham é a residência oficial dos monarcas ingleses desde 1837, quando a rainha Vitória decidiu se mudar para lá.

Ao todo, o Palácio de Buckingham possui 775 cômodos, dos quais 19 são dedicados a assuntos do Estado, 52 são dedicados à própria família real e aos seus visitantes, 188 são usados pela equipe que trabalha no local, além de haver 92 escritórios e 78 banheiros. Ademais, há um jardim em sua área externa que é o maior jardim privado de Londres.

Vista do jardim do Palácio de Buckingham.
O jardim do Palácio de Buckingham é o maior jardim privado de Londres.

O palácio, além de ser moradia da família real e sede de assuntos do Estado, é também um local que reúne delegações estrangeiras para eventos diplomáticos. É bastante comum a realização de eventos para receber e entreter chefes de Estado que estão em visita oficial ao Reino Unido. Os eventos realizados pela família real no palácio reúnem milhares de pessoas todos os anos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O local também recebe turistas, embora a família real britânica limite as visitações para o verão na Inglaterra e também permita que algumas excursões no interior do palácio sejam realizadas durante os meses de dezembro, janeiro e durante a Páscoa.

O palácio foi construído no começo do século XVIII por um aristocrata britânico, sendo adquirido pela monarquia britânica no mesmo século. Ao longo do século XIX e do começo do século XX, o Palácio de Buckingham passou por algumas reformas de ampliação.

Leia também: Big Ben — a história desse famoso cartão-postal de Londres

História do Palácio de Buckingham

Durante a Idade Média, o local em que está o palácio era um feudo que ficava às margens de um córrego chamado Tyburn. O córrego foi canalizado e corre em túneis subterrâneos na atual cidade de Londres (inclusive o curso do rio passa debaixo do palácio). Esse local abrigou diversas personalidades, como o rei Eduardo, o Confessor.

No século XVI, a propriedade passou para as mãos do rei Henrique VIII, e uma série de aristocratas ingleses residiram lá. Décadas depois, o rei Jaime VI a vendeu, mas manteve a posse sobre uma área específica da localidade que compõe o atual Palácio de Buckingham. No final do século XVII, sir Hugh Audley ficou a cargo do palácio.

Ao longo do século XVII, a propriedade pertenceu a diversas pessoas até ser adquirida por John Sheffield, em 1698. Sheffield era um político e poeta inglês que decidiu, em 1703, construir uma grande residência no local, intitulando-a de Buckingham House. Ela levou esse nome porque Sheffield foi o primeiro duque de Buckingham e Normandia.

O palácio foi adquirido pela família real britânica em 1761, quando o rei Jorge III comprou a residência por cerca de 21 mil libras esterlinas. O rei Jorge III o fez com o intuito de utilizá-la como um retiro privativo de sua esposa, a rainha consorte Charlotte. As primeiras modificações no palácio começaram a ser realizadas logo em seguida.

  • Palácio de Buckingham enquanto residência real

Durante o reinado de Jorge IV, uma grande reforma foi iniciada para que o local fosse convertido oficialmente em um palácio. A obra foi finalizada durante o reinado de William IV. Em 1837, a rainha Vitória assumiu o trono britânico, e com a coroação dela o palácio foi convertido em residência real. Ela foi, portanto, a primeira monarca a residir no local.

A mudança da rainha Vitória para o palácio foi acompanhada de uma série de modificações na propriedade, pois ela foi considerada pouco luxuosa para abrigar a rainha e ainda possuía alguns problemas estruturais graves. Em 1840, a rainha casou-se com o príncipe Alberto, e a ele foi entregue a responsabilidade de reorganizar o local.

Em 1847, o palácio foi ampliado por ordem da rainha Vitória, e em 1861, a rainha abandonou o local depois que seu marido faleceu. Nessa ocasião, a rainha Vitória se mudou para o Castelo de Windsor, outra importante propriedade da família real britânica. A pressão pública fez com que a rainha retornasse para o palácio tempos depois.

Durantes os reinados de Eduardo VII e Jorge V, o local também passou por reformas na estrutura. Durante a Primeira Guerra Mundial, alguns itens foram levados para o Castelo de Windsor, mas o palácio não sofreu nenhum tipo de dano. Durante a Segunda Guerra Mundial, a história foi diferente, e a propriedade foi bombardeada nove vezes durante esse conflito.

O dano mais significativo que o palácio sofreu durante a Segunda Guerra Mundial foi a destruição da sua capela, em 1940. O local foi reconstruído durante o reinado de Elizabeth II e transformado na Galeria da Rainha, um ambiente que expõe para a população o acervo de objetos e obras de arte da Coroa inglesa.

Curiosidades sobre o Palácio de Buckingham

  • Desde 1914, pelo menos 12 pessoas conseguiram entrar no Palácio de Buckingham sem autorização.

  • A troca da guarda que acontece na frente do local é um evento que atrai milhares de turistas todos os anos.

  • Ao todo, o complexo que envolve o palácio possui cerca de 77000 m².

  • O Palácio de Buckingham tem 108 metros de comprimento e 24 metros de altura.

  • Diferentes levantamentos procuraram estimar o valor da estrutura, e os dados apontam que ela pode valer algo entre 1,5 bilhão a 7 bilhões de libras esterlinas.

  • O rei Jorge IV chegou a sugerir que o Parlamento fosse transferido para as dependências do palácio, mas a proposta foi recusada.

  • A rainha Vitória foi a primeira monarca a sair de lá para ir à Abadia de Westminster ser coroada.

Créditos da imagem

[1] HVRIS / Shutterstock

 

Por Daniel Neves Silva
Professor de História

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Palácio de Buckingham"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historia/palacio-de-buckingham.htm. Acesso em 18 de maio de 2024.

De estudante para estudante