Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Esquistossomose

Doenças e patologias

Esquistossomose é uma doença parasitária causada por um platelminto. A doença é também conhecida como doença do caramujo, xistose e barriga d’água.
O Schistosoma mansoni é o parasita responsável pela esquistossomose.
O Schistosoma mansoni é o parasita responsável pela esquistossomose.
PUBLICIDADE

A esquistossomose é uma parasitose provocada pelo Schistosoma mansoni, uma espécie de platelminto. A doença pode ser assintomática ou provocar sintomas como febre, diarreia e fraqueza. Alguns pacientes desenvolvem um aumento do volume do abdômen, motivo pelo qual a doença é conhecida como barriga d’água. O tratamento é feito com uso de medicamento disponibilizado gratuitamente. O não tratamento da doença pode levar a complicações e até mesmo à morte.

Leia mais: Verminoses – doenças provocadas por organismos genericamente chamados de vermes

Resumo sobre esquistossomose

  • Esquistossomose é uma doença causada pelo Schistosoma mansoni.

  • No ciclo da esquistossomose, dois hospedeiros estão envolvidos: o homem (hospedeiro definitivo) e os caramujos do gênero Biomphalaria (hospedeiro intermediário).

  • O homem contaminado elimina fezes que podem contaminar o ambiente aquático. Os ovos eclodem e liberam larvas, que contaminam os caramujos. No interior dos caramujos, novos estágios larvais são formados. As larvas abandonam o caramujo e podem infectar o homem ao entrar em contato com água contaminada.

  • A esquistossomose pode ser assintomática ou provocar sintomas.

  • O diagnóstico da doença pode ser confirmado por meio do exame de fezes.

  • O tratamento é disponibilizado gratuitamente.

  • O não tratamento da doença pode levar à morte.

O que é a esquistossomose?

A esquistossomose, também conhecida como barriga d’água, xistose ou doença do caramujo, é uma doença causada por um platelminto. A doença não escolhe sexo, raça ou idade, podendo ser contraída por qualquer pessoa. A esquistossomose é adquirida quando entramos em ambiente aquático que apresenta o hospedeiro intermediário do platelminto liberando cercárias. O hospedeiro intermediário do Schistosoma mansoni é o caramujo do gênero Biomphalaria.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Agente etiológico da esquistossomose

A esquistossomose é causada por vermes platelmintos da classe dos trematódeos da espécie Schistosoma mansoni. Esse verme apresenta coloração esbranquiçada, e há diferença entre o macho e a fêmea.

O macho mede entre 6,5 mm e 12 mm e apresenta o corpo achatado. Suas bordas se enrolam ventralmente e formam o canal ginecóforo. O enrolamento das bordas corporais dá a impressão que o verme apresenta corpo cilíndrico. A fêmea é mais fina e cerca de duas vezes maior que o macho. Apresenta corpo cilíndrico e as extremidades afiladas. A fêmea aloja-se no canal ginecóforo do macho, no qual é facilmente fecundada.

  • Videoaula sobre platelmintos

Ciclo da esquistossomose

A doença inicia seu ciclo quando pessoas com esquistossomose eliminam suas fezes em ambiente aquático ou próximo a ele. As fezes contêm ovos de Schistosoma mansoni, os quais eclodem quando entram em contato com a água e eliminam uma larva ciliada chamada de miracídio.

Os miracídios liberados na água penetram no hospedeiro intermediário do parasita, o caramujo do gênero Biomphalaria. Dentro do hospedeiro, os miracídios se multiplicam e passam por uma série de transformações. Eles dão origem a outra forma larval, chamada de cercária, que é liberada no ambiente. A maior liberação ocorre em momentos quando o calor e a luz solar são mais intensos (entre 10 h e 16 h). Esse momento coincide com o período em que uma maior quantidade de pessoas está em contato com a água.

A cercária é a forma infectante do parasita e se caracteriza por possuir uma cauda bifurcada. Essa forma larval penetra ativamente no corpo do ser humano por meio de pele e mucosas. Assim que atravessa a pele ou mucosa, ela perde a cauda e se transforma em esquistossômulo. Os esquistossômulos caem na circulação venosa e atingem órgãos como coração e pulmões. Do coração, eles são levados para diferentes partes do corpo por meio das artérias. O parasita é localizado preferencialmente na veia porta no fígado.

No fígado, as formas jovens se alimentam, crescem e diferenciam-se sexualmente. Elas migram então para o intestino, no qual adquirem a forma adulta. É nesse local que os vermes adultos se acasalam. Após o acasalamento, ocorre a liberação de ovos, os quais migram para a luz intestinal e são liberados com as fezes.

Representação microscópica de ovos de Schistosoma mansoni.
Os ovos de Schistosoma mansoni são liberados com as fezes.

Vale salientar que a doença não pode ser transmitida por meio do contato direto com o doente. Além disso, não se observa autoinfecção.

Leia mais: Teníase - doença causada por platelmintos das espécies Taenia solium e Taenia saginata

Sintomas da esquistossomose

A esquistossomose pode ser assintomática ou evoluir para formas clínicas graves. Na fase inicial da doença, que começa após o contato com a cercária, o indivíduo pode apresentar coceira e vermelhidão no local de penetração das cercárias. Na fase aguda, sintomas como febre, diarreia, dor de cabeça, calafrios, fraqueza, falta de apetite, dor muscular, suores e tosse podem surgir.

Os indivíduos que evoluem da forma aguda para a forma crônica podem observar uma diarreia mais constante, sangue nas fezes e períodos alternados entre diarreia e prisão de ventre. Tonturas, palpitações, emagrecimento e aumento do fígado são outros sintomas que podem ser observados. Nos casos mais graves, observa-se um aumento do volume do abdômen devido ao acúmulo de líquido, conhecido popularmente como barriga d’água.

O paciente pode apresentar também hemorragia digestiva e hipertensão pulmonar e portal. A doença pode levar à morte se não tratada adequadamente.

Diagnóstico da esquistossomose

O diagnóstico, geralmente, não é uma tarefa fácil em regiões onde a doença não ocorre com frequência. É fundamental, para a realização de um diagnóstico correto, saber os sintomas do paciente e também informações sobre onde o indivíduo vive e se ele se expôs a ambientes que possam estar contaminados. A realização de exames laboratoriais é essencial para a confirmação do caso. O exame de fezes permite a detecção de ovos do parasita causador da doença.

Tratamento da esquistossomose

A esquistossomose é tratada com uso do medicamento Praziquantel, distribuído gratuitamente pelo Ministério da Saúde, e só deve ser utilizado após prescrição médica. O medicamento apresenta baixa toxicidade e os efeitos colaterais são leves. Sua dosagem varia em crianças e adultos e relaciona-se com o peso corporal do indivíduo. Em casos mais graves da doença, a internação pode ser recomendada.

Prevenção da esquistossomose

A esquistossomose pode ser prevenida evitando o contato com águas onde existam os hospedeiros intermediários do parasita (caramujos). A atenção deve ser redobrada em locais onde não há saneamento básico adequado.


 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Esquistossomose"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/esquistossomose.htm. Acesso em 25 de setembro de 2021.

Assista às nossas videoaulas
Artigos Relacionados
Saiba mais sobre a ancilostomíase, uma doença causada por nematódeos. Conheça seus sintomas, tratamento e ciclo de vida dos vermes causadores.
Conheça a infestação que acomete aproximadamente 25% da população mundial.
Conheça mais sobre a cisticercose, uma das doenças provocadas pela tênia. Entenda como a doença é transmitida, seus sintomas e tratamento.
Amplie o que sabe a respeito dos platelmintos conhecendo mais sobre sua morfologia, fisiologia e formas de reprodução, clicando aqui!
Analisar os conceitos principais referentes ao saneamento básico, enfatizando a degradação dos recursos hídricos e a situação atual desse segmento no Brasil.
Aprenda mais sobre a teníase clicando aqui. Neste texto falaremos a respeito de sintomas, tratamento e prevenção dessa verminose.
Você já ouviu falar da tênia do peixe? Clique aqui e saiba mais sobre a difilobotríase, uma doença causada por um platelminto encontrado em peixes. Aprenda também as manifestações clínicas que esse problema causa, como é feito o diagnóstico, seu tratamento e formas de prevenção.
Entenda o que são verminoses e veja algumas dicas preciosas para evitá-las.