Leste Europeu

O Leste Europeu reúne países que adotaram o sistema socialista na Guerra Fria. A região é marcada por conflitos territoriais até o presente e é a mais pobre do continente.

Leste Europeu é uma região histórica e cultural do continente europeu situada entre a Europa Central e a Ásia. Ela é formada por mais de 20 países, muitos dos quais adotaram um regime socialista durante a Guerra Fria, período do qual deriva a configuração dessa região.

Com o fim da União Soviética, muitas nações se tornaram independentes e iniciaram a transição para uma economia de mercado. A região concentra algumas das nações mais pobres e com menor índice de desenvolvimento da Europa, sendo marcada também por conflitos étnicos e territoriais.

Leia também: Mapas da Europa — as representações cartográficas do continente europeu

Mapa do Leste Europeu

Mapa com localização do Leste Europeu

Divisões do Leste Europeu

O Leste Europeu se configura como uma região tanto geográfica quanto histórica, econômica e cultural. Por essa razão, é possível encontrar diversas listagens de países e sub-regiões que fazem parte dessa área do continente europeu. As principais delas levam em consideração os países que durante quase todo o século XX fizeram parte de ou eram alinhados com a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Para fins estatísticos, a Organização das Nações Unidas (ONU) considera parte do Leste Europeu os seguintes países:

Belarus

Polônia

Bulgária

Romênia

Chéquia

Rússia

Hungria

Eslováquia

Moldávia

Ucrânia


Levando em conta fatores históricos e culturais, consideram-se também parte dessa região os seguintes países:

Albânia

Bósnia-Herzegovina

Croácia

Eslovênia

Estônia

Geórgia

Letônia

Lituânia

Macedônia do Norte

Montenegro

Sérvia

Turquia

O Leste Europeu é formado por diversas regiões históricas. Geograficamente, entretanto, os países que o compõem são também integrantes de outras importantes regiões da Europa, que compreendem o Nordeste, o Centro-leste e o Sudeste do continente, as quais estão listadas abaixo.

Região do Mar Báltico: Estônia, Letônia e Lituânia.

Bálcãs ou Península Balcânica: Albânia, Bósnia-Herzegovina, Bulgária, Croácia, Eslovênia, Macedônia do Norte, Moldávia, Montenegro, Turquia.

Cáucaso: Geórgia, parte da Rússia e da Turquia e outros países transcontinentais situados no Leste da Europa e na Ásia, como Armênia e Azerbaijão.

Europa Central: Eslováquia, Hungria, Polônia, Chéquia.

Nota-se que os países indicados para cada uma das regiões são aqueles que se encontram inclusos também no Leste Europeu, e não todo o conjunto de países que porventura façam parte das regiões citadas.

Dados gerais do Leste Europeu

Geografia do Leste Europeu

Leste Europeu é uma das regiões em que se divide a Europa, localizada na parcela oriental do continente e composta por mais de 20 nações. A região fica situada entre a Europa Central e o continente asiático, razão pela qual existem muitos países transcontinentais na sua configuração, como é o caso da Rússia, da Geórgia e da Turquia.

O relevo da região é marcado por terrenos planos e colinosos ao centro e no norte, áreas por onde se estende a planície do Norte da Europa. Essa unidade geomorfológica, que compreende também a planície russa, concentra os terrenos de menor altitude e menos acidentados do continente, o que favorece o desenvolvimento de atividades econômicas como a agricultura e a criação de animais.

A parcela mais oriental do Leste Europeu se limita com a Ásia pelos Montes Urais, cordilheira que se estende de norte a sul pelo centro-oeste da Rússia. Nesse mesmo país, se encontra outra área montanhosa do Leste Europeu, caracterizada pelas montanhas do Cáucaso, no sudoeste russo. A porção ocidental do Leste Europeu concentra também terrenos planálticos e montanhosos, os quais integram as formações dos Alpes, na região dos Cárpatos, e da Cordilheira dos Bálcãs.

O clima predominante no Leste Europeu é o temperado, que tem como principais características as estações do ano bem definidas, verões amenos e chuvosos e invernos muito frios e com precipitação na forma de neve.

Em algumas áreas do sul, mais precisamente na região centro-sul ucraniana, no sudoeste russo e partes da Turquia, predomina o clima árido. Ao longo das áreas costeiras, há ocorrência dos climas mediterrâneo e temperado oceânico. Seguindo a distribuição climática, a vegetação da região é formada pela taiga ao norte, pela floresta temperada na maior parcela do Leste Europeu e pelas estepes e pradarias onde o clima é mais seco.

Vista do mar Negro
O mar Negro é um dos mais importantes do Leste Europeu, sendo uma área de intensas disputas geopolíticas.

Ao norte, o Leste Europeu é banhado pelo Oceano Ártico, mais precisamente no noroeste do território russo, e também pelo mar Báltico. Ao sul, a região se limita com as águas do mar Mediterrâneo. Inseridos nessa área, no sul e no sudeste, respectivamente, estão o mar Negro e o mar Cáspio, que possuem uma grande importância estratégica (de proteção territorial e conexão com outros países e regiões) e econômica para os países por eles banhados.

Além disso, alguns dos maiores rios da Europa fluem pela região, dentre os quais têm destaque os rios Volga, Danúbio e Dniepre.

Confira no nosso podcast: Geopolítica das passagens marítimas estratégicas

Economia do Leste Europeu

A região do Leste Europeu reúne algumas das nações mais pobres da Europa, especialmente quando se considera o valor do Produto Interno Bruto (PIB) per capita. Destaca-se a Moldávia, país altamente dependente da sua produção agropecuária cujo PIB per capita gira em torno de 5,2 mil dólares (FMI, 2022). Integram essa lista também Ucrânia, Albânia, Bósnia-Herzegovina, Macedônia, Sérvia e Montenegro, com PIB per capita inferior a 10 mil dólares.

A economia dos países do Leste Europeu compartilham um processo semelhante de transição de um sistema planificado, centralizado nas ações e decisões do Estado, para o modelo de mercado, com maior atuação de empresas e instituições privadas. A transição ocorreu, para a maioria dessas nações, com o fim do regime político socialista e a dissolução da União Soviética, concretizada no ano de 1991.

O setor terciário tem grande força nos países da região, especialmente quando se considera o papel do comércio atacadista e das atividades como o turismo. O comércio internacional, especialmente as importações, é essencial para o abastecimento do mercado interno em muitas das economias do Leste Europeu.

Em relação ao setor secundário, a indústria manufatureira se expandiu muito na região nas últimas décadas, com destaque para a indústria automobilística (Chéquia, Polônia, Romênia e Hungria), alimentícia e de bens de consumo no geral. A metalurgia, siderurgia e as indústrias química e petroquímica também se desenvolvem em alguns países do Leste Europeu, notadamente naqueles em que há intensa exploração de recursos minerais.

Mesmo com o crescimento industrial, o setor primário segue sendo o mais importante no Leste Europeu, especialmente no que diz respeito à produção agrícola e extração mineral. Os países da região são grandes produtores de cereais e grãos, como trigo, cevada, semente de girassol e milho, além de batatas, beterraba sacarina e outros vegetais.

Quase todos os países são ricos em recursos naturais como petróleo e gás natural, cobre, carvão mineral, bauxita, zinco e minérios de ferro, cuja exploração desempenha papel central na economia, principalmente no comércio exterior.

Nem todas as economias da região estão integradas à União Europeia. Embora algumas delas possuam acordos de cooperação com o bloco, como é o caso da Turquia, ou se encontrem em fase de negociações, como a Ucrânia, somente fazem parte oficialmente da União Europeia:

Desses, somente os países da região do Báltico, a Eslováquia e a Eslovênia aderiram à área do euro, isto é, têm o euro como a sua moeda oficial.

Cultura do Leste Europeu

Vista da cidade de Praga
A cidade de Praga, capital da Chéquia, é um dos principais destinos turísticos do Leste Europeu.

Os países do Leste Europeu apresentam origens históricas e influências culturais semelhantes, ao mesmo tempo em que suas culturas nacionais se mostram bastante singulares e extremamente ricas em costumes, tradições e manifestações artísticas (literatura, música, pintura, dança, artesanato).

As línguas faladas nessa região variam consideravelmente de um país a outro, além de haver ainda dialetos regionais dentro dos limites de um mesmo território. Algumas nações, como a Bulgária, Rússia e a Ucrânia, adotaram o uso de um alfabeto diferente do ocidental, que é o alfabeto cirílico. Em termos religiosos, as tradições ortodoxas são aquelas que apresentam o maior número de adeptos.

Cidades dessa região, especialmente capitais de países, se encontram entre os destinos turísticos mais procurados da Europa. Isso se deve tanto a atrativos naturais quanto da própria paisagem cultural, a exemplo dos inúmeros castelos encontrados na Chéquia, das referências arquitetônicas russas, das construções que serviram de inspiração literária na Romênia e muitos outros. Dentre as cidades mais visitadas da região estão Praga (Chéquia), Moscou (Rússia) e Budapeste (Hungria).

Leia também: Kremlin — a história do complexo fortificado situado no centro de Moscou

Infraestrutura do Leste Europeu

Todos os países da Europa apresentam índices de desenvolvimento em patamares considerados altos. Aqueles com valores menores (abaixo de 0,800) estão concentrados no Leste Europeu, como a Moldávia, Macedônia do Norte, Ucrânia, Bósnia-Herzegovina e Albânia. O desenvolvimento econômico mais elevado alcançado nas últimas décadas proporcionou melhorias significativas na qualidade de vida na região, ainda que o aporte de infraestrutura no Leste Europeu seja menor que no restante do continente.

Estratégias nacionais e regionais de desenvolvimento socioeconômico incluem investimentos de origem estatal e privada no setor de infraestrutura, especialmente na construção de rodovias e ferrovias (principais vias de transporte na região), aeroportos, geração de eletricidade (com maior foco em energias limpas, já que hoje as fontes não renováveis são ainda predominantes) e conectividade, destacando-se a importância das redes de internet e de telefonia.

O termo Leste Europeu

O termo Leste Europeu é empregado mais no sentido histórico-cultural do que no sentido geográfico propriamente dito. Com relação à sua posição no continente, essa área é comumente referida como Europa Centro-Oriental ou Europa Oriental. A denominação Leste Europeu está associada à história política, ideológica e econômica dos países que integram essa região.

As nações que integram a região adotaram o regime socialista, alinhando-se ideologicamente à União Soviética em um período caracterizado pela Guerra Fria. Para além do regime político-econômico nacional, alguns territórios que hoje são países independentes fizeram parte da URSS à época, como Belarus, Ucrânia, Geórgia, Moldávia e outros.

História do Leste Europeu

A parcela oriental da Europa era habitada pelos primeiros povos eslavos orientais, que vieram do território russo e se dispersaram por todo o Leste Europeu, dando origem às diversas etnias que compõem o quadro populacional e cultural dessa região do continente. Suas terras foram incorporadas a uma série de pequenos reinos e até mesmo de grandes impérios que dominaram extensas áreas entre a Europa e a Ásia, dentre os quais estão os impérios Bizantino (395–1452), Otomano (1299–1923), Russo (1721–1917) e Austro-Húngaro (1867–1918).

Os países do Leste Europeu foram duramente afetados pela Primeira Guerra Mundial. O final desse conflito e o período imediatamente subsequente foram marcados pela reconfiguração territorial da região com o surgimento de uma grande nação, a União Soviética, e a intensificação de disputas por territórios em outras áreas desencadeadas por questões étnicas e nacionalistas, notadamente na região onde se constituiu a Iugoslávia e outros países, como Ucrânia, Polônia, Bulgária e Hungria.

A Segunda Guerra Mundial foi devastadora para o Leste Europeu. Não somente por conta dos conflitos e crises derivadas da guerra, mas sobretudo pelo genocídio nazista que ceifou a vida de milhões de pessoas conhecido como Holocausto. Os territórios saíram do conflito fragilizados, e os períodos subsequentes foram marcados novamente por disputas, desta vez ideológicas.

Com a Guerra Fria, o mundo se dividiu entre os blocos capitalista e socialista, com os países do Leste Europeu alinhados ao segundo bloco, alguns deles incorporados à União Soviética. A União Soviética chegou oficialmente ao fim no ano de 1991, dois anos após a queda do Muro de Berlim na Alemanha.

Os anos que seguiram foram marcados pela continuidade de uma crise econômica que havia se instalado na região, pela declaração de independência de países do Leste Europeu e pela fragmentação territorial e disputas de cunho separatista, como ocorreram na Iugoslávia e na Bósnia. O Leste Europeu é marcado até hoje pelos conflitos étnicos e territoriais, os mais recentes na região da Crimeia e no leste da Ucrânia, áreas reivindicadas pela Rússia.

Curiosidades sobre o Leste Europeu

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia


Fonte: Brasil Escola - https://brasilescola.uol.com.br/geografia/leste-europeu.htm