Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Popó

Popó é um ex-pugilista profissional brasileiro que teve uma carreira de grande sucesso no boxe. Ficou conhecido como mão de pedra e conquistou quatro títulos mundiais.

Popó, com a mão direita fechada, sorri para foto.
Popó é um ex-pugilista brasileiro e teve uma carreira de grande sucesso.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Popó é um ex-pugilista brasileiro que ficou internacionalmente conhecido por sua carreira de sucesso no boxe profissional. Conhecido como “mão de pedra”, conquistou quatro títulos mundiais em duas categorias: Super Pena e Peso Leve. Ele também ganhou grande parte de suas lutas por nocaute, ficando invicto por 35 lutas.

De origem humilde e nascido em Salvador, tornou-se um dos maiores nomes do boxe mundial. Teve uma breve carreira política por um período de quatro anos, quando atuou como deputado federal pela Bahia. Aposentou-se definitivamente dos ringues em 2017, com 41 vitórias em 43 lutas.

Leia também: Pelé — a biografia do maior nome do futebol brasileiro

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o Popó

  • Popó é um ex-pugilista brasileiro, sendo reconhecido como um dos maiores da história brasileira.

  • Iniciou a carreira no boxe amador, com 14 anos de idade, e, com 15 anos, conquistou o primeiro título.

  • Conquistou a medalha de prata no Pan-Americano de 1995.

  • Ingressou no boxe profissional em 1995, conquistando uma marca de 35 vitórias seguidas.

  • Conquistou quatro títulos mundiais no boxe profissional.

  • Perdeu apenas duas lutas na sua carreira e aposentou-se em 2017.

Biografia de Popó

Acelino Freitas nasceu na cidade de Salvador, capital da Bahia, no dia 21 de setembro de 1975. Veio de uma família muito humilde e residiu em um bairro muito pobre da capital baiana. Ele era filho de Niujalma Ferreira Jones, popularmente conhecido como Sr. Babinha, e de Zuleica Freitas.

Ainda na infância, o lutador recebeu o apelido de “Popó” de sua mãe. A vida de Popó durante a infância foi muito difícil, sendo marcada pela pobreza, falta de alimentos e o fato de ter que conviver com toda a sua família em um espaço muito pequeno. A pobreza que acompanhou a família de Popó era tamanha que ele dormiu no chão até os 23 anos porque não tinha condição de comprar um colchão.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Carreira de Popó no boxe

Popó, desde a infância, foi bastante incentivado a seguir a carreira no pugilismo, uma vez que seu pai praticava boxe, assim como três de seus irmãos. Esse incentivo fez com que Popó ingressasse no boxe amador com 14 anos de idade. Logo no início de sua carreira amadora, Popó demonstrou potencial, sendo campeão baiano e brasileiro.

O talento de Popó fez com que ele fosse convocado a disputar uma competição de boxe como parte do programa dos Jogos Pan-Americanos de Mar del Plata, em 1995. Nessa competição, ele chegou à final, sendo derrotado por um lutador cubano. A final com Popó foi a primeira que um pugilista brasileiro alcançou desde 1979.

Popó decidiu abandonar o box amador, ingressando no box profissional logo após conquistar a medalha no Pan de 1995. No box profissional, obteve uma das carreiras mais bem-sucedidas do pugilismo, sendo um dos maiores nomes do esporte no Brasil, alcançando feitos inéditos na história nacional desse esporte.

Ele realizou a sua primeira luta no boxe profissional em 14 de julho de 1995, vencendo-a por nocaute. A partir daí, deu início a uma longa série de vitórias antes de ser derrotado pela primeira vez. Ao todo, Popó lutou 35 lutas sem ser derrotado, período no qual conquistou três títulos mundiais de boxe.

Nesse período, Popó conquistou o primeiro título mundial ao derrotar um lutador do Cazaquistão em 1999. Nessa luta, Popó tornou-se campeão mundial Super Pena pela Organização Mundial de Boxe (WBO). Popó defendeu o seu título por seis vezes, vencendo todas as lutas, sendo então convidado a lutar contra o campeão do Super Pena pela Associação Mundial de Boxe (WBA).

A luta foi contra o cubano Joel Sotomayor, sendo realizada em 12 de janeiro de 2002. Novamente, Popó saiu como vencedor e, com isso, conquistou o seu segundo título mundial, unificando os títulos dele na WBO e WBA.

Popó obteve uma outra grande honraria quando foi nomeado supercampeão Super Pena em 9 de agosto de 2003, quando ele conseguiu defender o seu título da WBO pela décima vez consecutiva. Nessa ocasião ele derrotou o argentino Jorge Rodrigo Barrios por nocaute. Depois dessa luta, Popó decidiu mudar de categoria, passando para a categoria de Peso Leve.

Nesse categoria, ele conquistou o seu terceiro título mundial em 3 de janeiro de 2004. Na ocasião ele lutou contra o pugilista do Uzbequistão chamado Artur Grigorian, que sustentava uma marca de 16 defesas vitoriosas do seu título. Popó venceu essa luta por pontuação, recebendo decisão unânime dos árbitros.

O quarto título mundial de Popó veio em abril de 2006, mas em outra categoria: a de Pesos Leves. A luta foi realizada contra Zahir Raheem e ambos disputavam o título pela WBO. A luta foi acirrada e a decisão foi realizada pelos juízes, que decidiram que Popó foi o vencedor da luta pela pontuação.

A primeira derrota de Popó aconteceu em 7 de agosto de 2004, na sua 36ª luta. Ele lutou contra o pugilista norte-americano Diego Corrales e foi derrotado após decidir abandonar a luta. Além de sua primeira derrota, essa luta marcou a perda do cinturão da categoria Peso Leve da WBO. A segunda derrota de Popó aconteceu em 2007, marcando a sua primeira aposentadoria.

Depois dessa aposentadoria, Popó realizou mais três lutas, vencendo todas elas. Entre essas lutas, ele também anunciou sua aposentadoria por mais duas vezes, sendo que a última delas, em novembro de 2017, foi definitiva. Popó encerrou sua carreira com 43 lutas, das quais venceu 41, sendo 34 por nocaute. Ele também obteve a marca de 21 vitórias seguidas por nocaute, uma das maiores da história.

Popó na política

Em 2010, Popó decidiu ingressar na política, candidatando-se a deputado federal pela Bahia. Ele se filiou ao Partido Republicano Brasileiro (PRB), conquistando mais de 60 mil votos, sendo eleito para a primeira suplência de seu partido. Isso significa que ele não foi eleito de imediato, mas, caso fosse necessário, ele ocuparia uma vaga de deputado federal como suplente.

Popó assumiu como deputado federal em 3 de fevereiro de 2011, depois que um deputado da Bahia foi convidado para assumir o Ministério das Cidades. Durante o seu mandato, Popó foi marcado por ser o responsável por criar o projeto de lei que estabeleceu o Dia Nacional do Boxe, celebrado em 26 de março.

Popó também atuou diretamente em questões relacionadas ao esporte, participando, inclusive, de comissões de esporte, cultura e educação. Acompanhou, enquanto parlamentar, os preparativos para a Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016. Nas eleições de 2014, Popó tentou a sua reeleição, mas não teve sucesso.

Leia também: Ayrton Senna — a biografia de um dos ícones da história do esporte brasileiro

Principais lutas da carreira de Popó

As principais lutas da carreira de Popó foram aquelas que renderam a ele os quatro títulos mundiais de sua carreira. Vamos relembrar essas lutas:

  • 1º título mundial (WBO): venceu Anatoly Alexandrov por nocaute na categoria Super Pena (1999).

  • 2º título mundial (unificação WBO/WBA): venceu Joel Casamayor por pontos na categoria Super Pena (2002).

  • 3º título mundial (WBO): venceu Artur Grigorian por pontos na categoria Peso Leve (2004).

  • 4º título mundial (WBO): venceu Zahir Raheem por pontos na categoria Peso Leve (2006).

Títulos de Popó

Ao longo de sua carreira, Popó acumulou diversos títulos. Vejamos a lista de títulos do pugilista brasileiro:

  • Campeão WBC do Mundo Hispano na categoria Peso Leve (1996);

  • Campeão da IBF Latina de Peso Leve (1997);

  • Campeão Brasileiro de Peso Leve (1998);

  • Campeão WBO NABO de Super Pena (1998);

  • Quatro títulos mundiais WBO/WBA — dois Super Pena e dois Peso Leve — (1999, 2002, 204 e 2006);

  • Supercampeão por defender seu cinturão por dez lutas seguidas (2003).

Curiosidades sobre Popó

  • Popó fez uma luta de exibição contra o humorista Whindersson Nunes.

  • Teve nove anos de invencibilidade antes de perder a sua primeira luta.

  • Ficou conhecido pelo apelido de “Mão de Pedra”.

Créditos da imagem:

[1] Sintegrity / Wikimedia Commons

FONTES

REDAÇÃO. Popó perde invencibilidade e título para Corrales. Disponível em: https://www.uol.com.br/esporte/outros/ultimas/2004/08/08/ult69u942.jhtm.

FUCS, Daniel. A origem da denominação “supercampeão”. Disponível em: https://ge.globo.com/boxe/blogs/blog-do-daniel-fucs/post/2021/07/02/origem-supercampeao.ghtml.

REDAÇÃO. Popó Freitas. Disponível em: https://popo.com.br/site/sobre/.

REDAÇÃO. Popó: conheça os títulos e feitos de um dos maiores pugilistas da história do Brasil. Disponível em: https://www.lance.com.br/mais-esportes/popo-conheca-os-titulos-e-feitos-de-um-dos-maiores-pugilistas-da-historia-do-brasil.html

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Popó"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biografia/popo.htm. Acesso em 15 de abril de 2024.

De estudante para estudante