Topo
pesquisar

Emprego do hífen

Gramática

Palavras como "minissaia", "malsucedido", "infraestrutura" e "contracheque" não possuem hífen. Você sabe por quê?
PUBLICIDADE

O hífen é um sinal gráfico cujas funções estão associadas a uma infinidade de ocorrências linguísticas, Entre essas funções, podemos citar: ligar palavras compostas; fazer a junção entre pronomes oblíquos e algumas formas verbais; separar as sílabas de um dado vocábulo; ligar algumas palavras precedidas de prefixos etc.

 

Novo Acordo

Com o advento da Nova Reforma Ortográfica, houve algumas mudanças em relação à sua aplicabilidade. Sendo assim, dada a complexidade que se atribui ao sinal em questão, o presente artigo tem por finalidade evidenciá-las, procurando enfatizar, em alguns casos, o que antes prevalecia e o que atualmente vigora. Mediante tais pressupostos, constatemos, pois:

Casos em que o hífen é empregado:

  • O hífen é usado quando o prefixo termina em vogal e a segunda palavra começa com a mesma vogal. Anti-inflamatório

Anti-inflacionário

Micro-ondas

Micro-organismo

Nota importante:

Essa regra padroniza algumas exceções já vigentes antes do Acordo, como auto-observação, auto-ônibus e contra-atacar.

  • Tal regra não se aplica aos prefixos “-co”, “-pro”, “-re”, mesmo que a segunda palavra comece com a mesma vogal que termina o prefixo.

Coobrigar

Coadquirido

Coordenar

Reedita

Proótico

Proinsulina

  • Com prefixos, emprega-se o hífen diante de palavras iniciadas com “h”.

anti-higiênico

anti-histórico

extra-humano

pró-hidrotrópico

super-homem

  • Emprega-se o hífen quando o prefixo terminar em consoante e a segunda palavra começar com a mesma consoante.

inter-regional

sub-bibliotecário

super-resistente

  • Com o prefixo “-sub”, diante de palavras iniciadas por “r”, usa-se o hífen.

sub-regional

sub-raça

sub-reino

  • Diante dos prefixos -além, -aquém, -bem, -ex, -pós, -recém, -sem, - vice, usa-se o hífen.

além-mar

aquém-mar

recém-nascido

sem-terra

vice-diretor

bem-humorado

  • Diante do advérbio “mal” , quando a segunda palavra começar por vogal ou “h”, o hífen está presente.

mal-humorado

mal-intencionado

mal-educado

  • Com os prefixos “-circum” e “-pan”, diante de palavras iniciadas por “vogal, m, n ou h”, emprega-se o hífen.

circum-navegador

pan-americano

circum-hospitalar

pan-helenismo

  • Com sufixos de origem tupi-guarani, como “-açu”, “-guaçu”, “-mirim”, usa-se o hífen.

jacaré-açu

cajá-mirim

amoré-guaçu

 

Casos em que o hífen NÃO é empregado:

  • Não se usa mais o hífen quando o prefixo terminar em vogal e a segunda palavra começar com uma vogal diferente.
ANTES DEPOIS
auto-avaliação autoavaliação
auto-escola autoescola
auto-estima autoestima
co-autor coautor
infra-estrutura infraestrutura
semi-árido semiárido

Essa nova regra padroniza algumas exceções existentes antes do Acordo, como aeroespacial, antiamericano, socioeconômico etc.

  • Não se usa mais o hífen em determinadas palavras que perderam a noção de composição.
ANTES DEPOIS
manda-chuva mandachuva
pára-quedas paraquedas
pára-quedista paraquedista


Observação:

- O hífen ainda permanece em substantivos compostos que perderam sua significação individual para construir uma unidade semântica, como também naqueles que designam espécies botânicas e zoológicas.

bem-te-vi

couve-flor

guarda-chuva

erva-doce

pimenta-de-cheiro

  • Não se emprega mais o hífen em locuções substantivas, adjetivas, pronominais, verbais, adverbiais, prepositivas ou conjuntivas.

fim de semana

café com leite

Exceções:

O hífen ainda permanece em alguns casos, expressos por:

água-de-colônia

água-de-coco

cor-de-rosa

  • Quando a segunda palavra começar com “r” ou “s”, depois de prefixo terminado em vogal, retira-se o hífen e essas consoantes são duplicadas.
ANTES DEPOIS
ante-sala antessala
anti-rugas antirrugas
anti-social antissocial
auto-retrato autorretrato
extra-sensorial extrassensorial
supra-renal suprarrenal
contra-reforma contrarreforma
ultra-som ultrassom

Observações importantes:

- O hífen será mantido quando os prefixos terminarem com “r” e o segundo elemento começar pela mesma letra.

hiper-requintado

inter-regional

super-romântico

super-racista

  • Não se emprega o hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por consoante diferente de “r” ou “s”.

anteprojeto

autopeça

contracheque

extraforte

ultramoderno

  • O hífen não deve ser usado quando o prefixo termina em consoante e a segunda palavra começa por vogal ou outra consoante diferente.

hipermercado

hiperacidez

intermunicipal

subemprego

superinteressante

superpopulação

  • Diante do advérbio “mal”, quando a segunda palavra começar por consoante, não se emprega o hífen.

malfalado

malgovernado

malpassado

maltratado

malvestido


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DUARTE, Vânia Maria do Nascimento. "Emprego do hífen "; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/gramatica/emprego-do-hifen.htm>. Acesso em 24 de junho de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA