Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Funcionamento do Motor de Combustão

Química

O motor de combustão ou de explosão funciona em quatro tempos: entrada da mistura combustível-ar, compressão dessa mistura, explosão e escape dos gases formados.
Motor de combustão de quatro tempos
Motor de combustão de quatro tempos
PUBLICIDADE

O motor que normalmente equipa os automóveis é o motor de explosão ou de combustão de quatro tempos. Ele é chamado assim porque seu funcionamento se baseia exatamente em quatro estágios ou tempos diferentes. Veja cada um deles:

1º Estágio: nesse estágio, o pistão do motor move-se para baixo e puxa a mistura de combustível (vapor) e ar atmosférico através da válvula de entrada.

Primeiro tempo do funcionamento do motor a explosão

2º Estágio: depois que a câmara de combustão foi preenchida, a válvula de entrada da mistura de ar e vapor de combustível é fechada e o pistão sobe, comprimindo essa mistura.

Segundo tempo do funcionamento do motor a explosão

É muito importante que o combustível aguente bem essa compressão, não explodindo antes do 3º tempo. Se o combustível explodir prematuramente durante a compressão, diminuirá a potência do motor e produzirá um ruído conhecido como batida de pino (knocking). Gasolinas com maior índice de octanagem são melhores por causa disso: quanto maior o índice de octanagem, mais resistente a gasolina será à compressão sofrida e melhor será o desempenho do motor.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

É por isso também que se adicionam antidetonantes à gasolina, como o etanol.

3º Estágio: quando o pistão atinge o ponto máximo, a vela de ignição emite uma faísca elétrica que provoca a explosão, deslocando o pistão para baixo. A energia cinética dos gases em expansão é transmitida para o pistão, que movimenta o eixo do virabrequim, fazendo o carro se movimentar.

Essa parte é muito importante, pois é nela que a energia química (proveniente da combustão) é transformada em energia mecânica (que vai mover o automóvel).

Terceiro tempo do funcionamento do motor a explosão

Uma imagem da faísca produzida pela vela de ignição é mostrada a seguir:

Faísca produzida pela vela de ignição no terceiro tempo

4º Estágio: o pistão sobe novamente e a válvula de exaustão ou de saída é aberta, permitindo que os gases formados na combustão sejam liberados. Quando essa válvula se fecha, a válvula de entrada é aberta e o processo recomeça.

Quarto tempo do funcionamento do motor a explosão


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Funcionamento do Motor de Combustão"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/funcionamento-motor-combustao.htm. Acesso em 24 de outubro de 2021.

Artigos Relacionados
Clique e acesse este texto para saber mais detalhes sobre a vida de Alberto Santos Dumont, conhecido como um dos grandes nomes da aviação no mundo.
Descubra porque se adicionam antidetonantes na gasolina e qual é o principal aditivo misturado à gasolina do Brasil.
Entenda a classificação e a qualidade da gasolina usada no Brasil, além da diferença entre as gasolinas A, C, comum, aditivada, premium e podium.
Entenda o que são os combustíveis fósseis e veja as particularidades de cada um.
A constituição, as classes, e a divivisão segundo a volatilidade em que cada combustível líquido se enquadra, são assuntos considerados nesse texto.
Conheça a história da Fórmula 1, a maior categoria do automobilismo mundial. Confira os principais pilotos e equipes, a evolução dos carros, e saiba o que esperar do seu futuro.
Conheça mais detalhes da constituição do combustível mais usado atualmente nos motores dos automóveis: a gasolina.
O que faz este combustível gerar energia?
Você sabe o que são máquinas térmicas, ciclos termodinâmicos e rendimento? Aprenda mais sobre esses importantes conceitos da Termodinâmica.
O que é número de octanagem, percentual de isoctano e de heptano, resistência de um combustível a auto-inflamar-se, índice de octanagem, chumbo tetra-etila, número de octano de um combustível.