Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

O pequeno príncipe

O pequeno príncipe é um clássico da literatura infantil. Foi escrito pelo autor francês Antoine de Saint-Exupéry e mostra a amizade entre um menino e um piloto de avião.

Capa do livro “O pequeno príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry, publicado pela Faro Editorial.
Capa do livro O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry, publicado pela Faro Editorial.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O pequeno príncipe é um famoso livro da literatura infantil europeia. Narra acontecimentos vividos por um menino originário do asteroide B 612. Após a queda de um avião no deserto do Saara, o piloto faz amizade com essa sábia criança, que consegue ver o que os adultos são incapazes.

A obra possui tempo cronológico e um narrador personagem. Apresenta personagens solitários em busca de um sentido para as suas existências. Publicado, pela primeira vez, em 1943, esse livro apresenta elementos fantásticos e procura valorizar as coisas simples da vida.

Leia também: Sítio do Picapau Amarelo — famosa série de livros infantis que faz parte da literatura brasileira

Tópicos deste artigo

Resumo sobre O pequeno príncipe

  • O pequeno príncipe é um clássico da literatura infantil que narra a amizade entre um menino e um piloto de avião.

  • O principezinho vem do asteroide B 612, e encontra o piloto no deserto do Saara.

  • A obra fala de amor, amizade e sobre a sabedoria infantil.

  • Esse livro infantil continua fazendo sucesso desde a sua publicação, em 1943.

  • Antoine de Saint-Exupéry, autor de O pequeno príncipe, nasceu em 1900 e faleceu em 1944.

Análise da obra O pequeno príncipe

Personagens da obra O pequeno príncipe

  • O piloto

  • O pequeno príncipe

  • A rosa

  • O rei

  • O vaidoso

  • O bêbado

  • O homem de negócios

  • O acendedor de lampiões

  • O geógrafo

  • A serpente

  • A flor do deserto

  • A raposa

  • O guarda-chaves

  • O vendedor

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tempo da obra O pequeno príncipe

O livro possui tempo cronológico. Quando o narrador começa a contar o seu encontro com o pequeno príncipe, ele informa que aquilo aconteceu cerca de seis anos atrás, mas não especifica a data do tempo da narração. Além disso, nos dias que passa ao lado do menino, o principezinho lhe conta fatos que antecederam sua chegada à Terra.

Espaço da obra O pequeno príncipe

A história do piloto se passa no deserto do Saara. Além disso, o pequeno príncipe conta fatos ocorridos em asteroides (ou planetas), antes de ele chegar à Terra.

Enredo da obra O pequeno príncipe

Quando tem seis anos, o narrador fica impressionado com uma gravura que ele vê em um livro. É de uma jiboia que está engolindo uma fera. Isso o inspira a fazer seu primeiro desenho. Mostra o desenho — uma jiboia que engoliu um elefante — aos adultos, mas nenhum deles consegue entender a imagem e veem apenas um chapéu.

Desenho da jiboia que engoliu um elefante, uma das imagens clássicas do livro “O pequeno príncipe”.
Desenho, feito pelo narrador, do interior da jiboia que engoliu um elefante. Os adultos, que viam apenas o lado externo do desenho, viam um chapéu.

O narrador, então, abandona o interesse por desenhos, já que os adultos dizem que o melhor é estudar geografia, gramática etc. Quando cresce, aprende a pilotar aviões. Um dia, seu avião sofre uma pane, e ele cai no deserto do Saara. A água que possui só durará oito dias, é o tempo que ele tem para tentar consertar o avião.

Depois da primeira noite no deserto, ao despertar de manhã, há ali um menino louro, vestido como um príncipe, o qual quer que o piloto lhe desenhe um carneiro. Como não sabe desenhar carneiro, o homem faz o mesmo desenho da jiboia de sua infância. E que surpresa quando o menino diz que não quer um elefante em uma jiboia, mas um carneiro.

Ilustração de vários carneiros e de uma caixa com três furos, desenhos da obra “O pequeno príncipe”.
O piloto desenhou vários carneiros antes de fazer um desenho que o pequeno príncipe aprovasse.

Só resta ao piloto desenhar várias vezes um carneiro, sem que o menino aprove. Até que o homem desenha uma caixa, com três furos e diz que o carneiro está lá dentro. É justamente o que o pequeno príncipe queria! O menino conta que o lugar onde morava era muito pequeno.

Apesar de ele não revelar o nome do seu planetinha, o piloto, mais tarde, concluirá que é o asteroide B 612. O menino quer um carneiro para comer baobás pequenos, pois, em seu planeta, há uma infestação de baobás. Como o planeta é pequeno, ele pode rachar se as raízes dos baobás crescerem.

Ilustração do pequeno príncipe, olhando o céu com um telescópio, próximo à rosa que exige todo o seu cuidado.
No planeta do pequeno príncipe, há uma rosa que exige todo o seu cuidado.

Depois o garoto quer saber se carneiro come flores, particularmente rosas, pois há uma rosa em seu planeta, a qual exige todo o cuidado do principezinho. É uma rosa vaidosa e manipuladora, que fazia muitas exigências ao menino, como se ele fosse obrigado a cuidar dela.

Sufocado por aquele amor, ele decidiu partir, com a ajuda de pássaros selvagens que emigravam. Até chegar à Terra, o pequeno príncipe conheceu alguns personagens. O rei do asteroide 325 se vestia de púrpura e arminho. Como o menino bocejava diante do rei, o monarca o advertiu de que aquele ato era contra a etiqueta e o proibiu de bocejar.

O menino disse que não podia evitar, já que não tinha dormido. Então o rei ordenou que ele bocejasse. Era um autoritário rei de um planeta minúsculo. Quando o menino quis partir, o solitário rei lhe ofereceu o cargo de ministro. Como o menino insistiu em ir embora, o rei, para não ser contrariado, declarou que o menino seria seu embaixador.

No próximo planeta, morava um solitário vaidoso, que achava que o pequeno príncipe estava ali para o admirar. Já o morador do seguinte planetinha era um bêbado, e esse contato fez o menino ficar melancólico. No quarto planeta, conheceu o homem de negócios, que vivia ocupado em acumular riquezas.

O quinto planetinha, o menor de todos, mal dava para o lampião e o acendedor de lampiões, que seguia obedientemente o regulamento de acender e apagar o lampião. O próximo planeta era maior e habitado por um geógrafo. Por conselho dele, o principezinho decidiu visitar o planeta Terra.

O primeiro ser que aqui encontrou foi uma serpente no deserto, que falava por enigmas e disse que podia ajudar o menino se ele quisesse voltar para casa. Em seguida, ele encontrou uma flor. Depois andou por montanhas, viu a neve e também encontrou algumas rosas em um jardim.

O pequeno príncipe sentado ao lado de sua amiga raposa, ambos admirando o pôr do sol.
Na Terra, o pequeno príncipe conheceu uma raposa, que se tornou sua amiga.

Ele então conheceu a raposa, que o ensinou o significado da palavra “cativar”. Assim, cativada pelo principezinho, a raposa quis chorar quando ele partiu. Então o pequeno príncipe conheceu o guarda-chaves de uma estação de trem e um vendedor. É no oitavo dia no deserto que o piloto ouve o menino contar a história do vendedor de pílulas que aplacam a sede.

O pequeno príncipe caminhando pelo deserto do Saara com o piloto (narrador).
O pequeno príncipe caminhando pelo deserto do Saara com o piloto (narrador).

Nesse dia, a água acaba. Sem conseguir consertar o avião, o piloto diz ao menino que vão morrer de sede, mas o principezinho parece não entender o que isso significa. Caminham em busca de um poço e, no final da noite, encontram um para matar a sede. É quando o piloto descobre que está fazendo um ano que o menino chegou à Terra.

E mais, ele está procurando a serpente que prometeu o levar para casa. Quando o pequeno príncipe a encontra, ele deixa que a serpente o pique e, assim, morre. Ele acreditava que, dessa forma, voltaria para o seu planeta. Por fim, o piloto consegue consertar o avião e também volta para casa, e jamais se esquece do principezinho que o cativou.

Narrador da obra O pequeno príncipe

A obra conta com um narrador personagem, um piloto que, após cair em um deserto, conhece o misterioso pequeno príncipe.

Características da obra O pequeno príncipe

Estrutura da obra O pequeno príncipe

O livro possui 27 capítulos, além de ilustrações feitas pelo próprio autor, mas atribuídas, na obra, ao piloto e narrador do romance.

Estilo literário da obra O pequeno príncipe

O pequeno príncipe é um livro infantil da literatura francesa. Portanto, ele não se encaixa em nenhum estilo de época. Apresenta, assim, características típicas da literatura infantil, tais como:

  • linguagem simples;

  • elementos fantásticos;

  • reflexões;

  • ilustrações.

Moral da história de O pequeno príncipe

Apesar de ser um livro infantil, a obra apresenta certa profundidade. Ela fala da dificuldade que os adultos têm de viver com simplicidade e da capacidade das crianças de enxergarem a realidade sem preconceitos. Portanto, não existe uma moral explícita na obra. Contudo, a frase mais famosa proveniente desse livro pode servir como uma moral da história:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

Acesse também: Qual é a história dos contos de fada?

Contexto histórico da obra O pequeno príncipe

Como o narrador não indica a data exata dos acontecimentos — o que dá à obra um caráter atemporal e, portanto, universal —, a narrativa não possui um contexto histórico.

Por sua vez, o contexto histórico de produção da obra é o início da década de 1940. Afinal, o livro foi publicado, pela primeira vez, em 1943, durante a Segunda Guerra Mundial (1949-1945).

Quem foi Antoine de Saint-Exupéry, autor de O pequeno príncipe?

O escritor Antoine de Saint-Exupéry nasceu na cidade francesa de Lyon, no dia 29 de junho de 1900. Ele é um dos mais famosos escritores europeus de literatura infantil, já que seu livro O pequeno príncipe é um sucesso editorial há décadas. O autor fez seu primeiro voo quando tinha aproximadamente 12 anos. Mais tarde, tornou-se piloto militar.

Nota francesa estampada com o rosto de Antoine de Saint-Exupéry, o autor de “O pequeno príncipe”.
Nota francesa estampada com o rosto de Antoine de Saint-Exupéry, o autor de O pequeno príncipe.

Em seguida, trabalhou em uma empresa de aviação, onde era responsável pelo correio aéreo. Também atuou como piloto de testes de hidroaviões. Chegou até a comprar um avião particular. Durante sua vida de piloto, sofreu vários acidentes. No dia 31 de julho de 1944, o avião que pilotava desapareceu durante uma missão de guerra.

Crédito de imagem

[1]Faro Editorial (reprodução)

Fontes

FONDATION ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY. La chronologie. Disponível em: https://www.antoinedesaintexupery.com/la-chronologie/.

SAINT-EXUPÉRY, Antoine de. O pequeno príncipe. Tradução de Ivone C. Benedetti. Porto Alegre: L&PM, 2015. 

Escritor do artigo
Escrito por: Warley Souza Professor de Português e Literatura, com licenciatura e mestrado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "O pequeno príncipe"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/o-pequeno-principe.htm. Acesso em 16 de junho de 2024.

De estudante para estudante