Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Guerra da Caxemira

Um grupo de manifestantes contra os conflitos na Caxemira.
Um grupo de manifestantes contra os conflitos na Caxemira.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Durante o processo de descolonização dos continentes asiático e africano, muitos acreditavam que o retorno da soberania política para as mãos dos povos dominados pela ação neocolonialista seria um importante instrumento de ordem do contexto social, político e econômico afro-asiático. No entanto, a formação de várias nações independentes abriu precedente para que novas guerras surgissem na segunda metade do século XX.

No período colonial, a Coroa Britânica dividiu a Índia Britânica em duas regiões: o Paquistão, com população de maioria muçulmana; e a Índia com sua maioria de orientação religiosa hindu. Com processo de independência, dois partidos políticos se formaram com o intuito de resolverem as questões da partilha dos territórios independentes.

De um lado, a Liga Muçulmana pregava a criação do Paquistão, representando os interesses dos muçulmanos do sul da Ásia. Do outro, o Congresso Nacional Indiano desejava a criação de um Estado único e laico. Além dessa contenda, ambos os partidos divergiam sobre a situação da Caxemira. Essa região, durante a dominação britânica, foi controlada por governos relativamente independentes em relação à Inglaterra.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Os marajás, desde que não interferissem nos interesses econômicos britânicos na região, poderiam controlar seus principados de maneira independente. Com o fim da dominação colonial, a Inglaterra colocou ao marajá da Caxemira a escolha de incorporar-se à Índia ou ao Estado Paquistanês. Mediante o dilema político instalado, Paquistão e Índia reivindicam o domínio da região da Caxemira ao longo dos anos.

Os paquistaneses, alegando a existência de uma maioria muçulmana na Caxemira, exigem a incorporação da região como forma de proteger a integridade e os costumes dos islâmicos ali existentes. Em contrapartida, o Estado Indiano almeja a incorporação da região para assim demonstrar que a população da Caxemira prosperaria sob o controle do governo laico indiano. Alheio a essa disputa, os marajás que controlam a Caxemira esperavam manter sues governos independentes da dominação de ambos os governos.

Com impasse estabelecido, várias revoltas e conflitos ocorreram em torno dessa região. Ao longo da segunda metade do século XX, três grandes conflitos se deflagraram. Mesmo findada a dominação imperialista na Ásia, a reorganização política dos grupos étnico-religiosos é uma delicada questão ainda sem solução.
Escritor do artigo
Escrito por: Brasil Escola Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

ESCOLA, Brasil. "Guerra da Caxemira"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/guerras/i-ii-guerra-caxemira.htm. Acesso em 23 de junho de 2024.

De estudante para estudante