Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Artur Azevedo

Artur Azevedo foi um escritor maranhense mais conhecido por suas peças teatrais, mas também foi autor de poemas e contos. Suas obras são irônicas e têm caráter popular.

Artur Azevedo.
Artur Azevedo ficou conhecido como autor de peças teatrais.
Crédito da Imagem: commons
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Artur Azevedo foi um autor brasileiro. Ele nasceu em São Luís do Maranhão, no dia 7 de julho de 1855. Mais tarde, mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro, onde atuou como professor, funcionário público e jornalista. Apesar de escrever contos e poemas, ele ficou mais conhecido como dramaturgo.

O escritor, que faleceu em 22 de outubro de 1908, no Rio de Janeiro, escreveu peças de teatro, sobretudo cômicas, que visavam ao entretenimento. Grande parte de suas comédias e de suas narrativas se prestou a mostrar, de forma crítica, o cotidiano da burguesia carioca. Já sua poesia apresenta traços parnasianos, apesar de sentimental.

Leia também: Aluísio Azevedo — escritor maranhense e irmão mais novo de Artur Azevedo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Artur Azevedo

  • Artur Azevedo foi um escritor brasileiro, conhecido por escrever peças de teatro.

  • Nasceu em São Luís do Maranhão, em 1855.

  • Além de dramaturgo, foi professor, funcionário público e jornalista.

  • As obras do autor apresentam caráter popular, ironia e crítica de costumes.

  • Artur Azevedo era irmão do famoso escritor naturalista Aluísio Azevedo.

  • Ele faleceu no Rio de Janeiro, em 1908.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Biografia de Artur Azevedo

Artur Azevedo nasceu em São Luís, no estado do Maranhão, em 7 de julho de 1855. O pai do autor era vice-cônsul no Brasil, a serviço de Portugal. A mãe era casada legalmente com outro homem, do qual havia se separado. Portanto, os pais do escritor viviam maritalmente, o que era motivo de escândalo na época.

Com 13 anos de idade, Artur Azevedo deixou de estudar para trabalhar no comércio. Com 15 anos, já era autor de teatro. Em 1872, trabalhava no jornal O País e na Secretaria do Governo da Província, porém perdeu o cargo público em 1873. Nesse ano, saiu de São Luís para morar no Rio de Janeiro, então capital do Brasil.

Teatro Artur Azevedo, em São Luís do Maranhão.
Teatro Arthur Azevedo no centro histórico de São Luís do Maranhão, uma homenagem ao dramaturgo em sua cidade natal.[1]

Inicialmente, trabalhou como professor no Colégio Pinheiro e no jornal A Reforma. Em 1875, começou a trabalhar no Ministério da Viação e se casou com Carlota Morais, mas o casamento durou pouco. O autor também escreveu para diversos periódicos, como o Correio da Manhã e A Notícia.

Em seus textos, o escritor mostrava o cotidiano carioca e defendia a abolição da escravatura. Azevedo ficou bastante conhecido como popular autor de teatro. Em 1879, passou a dirigir a Revista do Teatro. Seu segundo casamento ocorreu 1895, com Carolina Adelaide Leconflé. O dramaturgo faleceu em 22 de outubro de 1908, no Rio de Janeiro.

Veja também: Gênero dramático — o texto literário feito para ser encenado

Artur Azevedo e a Academia Brasileira de Letras

Artur Azevedo foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras em 1897, ocupando a cadeira número 29, cujo patrono é Martins Pena.

Características da obra de Artur Azevedo

De forma geral, as peças teatrais e os contos de Artur Azevedo apresentam as seguintes características:

  • linguagem coloquial;

  • aspecto irônico;

  • visam ao entretenimento;

  • caráter popular;

  • elementos cômicos;

  • mescla de gêneros;

  • crítica de costumes;

  • cotidiano da vida burguesa;

  • foco na cultura carioca.

a poesia do autor apresenta traços parnasianos, mas também sentimentalismo e ironia.

Saiba mais: Graça Aranha — outro autor maranhense que está entre os fundadores da Academia Brasileira de Letras

Obras de Artur Azevedo

Artur Azevedo em ilustração da capa do livro “Contos em versos”, da editora Brasiliaris.
Capa do livro Contos em versos, de Artur Azevedo, publicado pela editora Brasiliaris.[2]
  • A capital federal (1859) — teatro
  • Carapuças (1871) — poesia

  • Amor por anexins (1872) — teatro

  • A filha de Maria Angu (1875) — teatro

  • Uma véspera de reis (1876) — teatro

  • Sonetos (1876) — poesia

  • Um dia de finados (1877) — teatro

  • A joia (1879) — teatro

  • A almanjarra (1888) — teatro

  • Contos possíveis (1889) — contos

  • Contos fora de moda (1894) — contos

  • Contos efêmeros (1897) — contos

  • Contos em verso (1898) — contos

  • O retrato a óleo (1902) — teatro

  • O mambembe (1904) — teatro

  • O dote (1907) — teatro

  • Rimas (1909) — poesia

Curiosidades sobre Artur Azevedo

  • Artur Azevedo era irmão mais velho do famoso escritor naturalista Aluísio Azevedo (1857-1913).

  • Em suas publicações em jornais, usou pseudônimos como Cósimo, Dorante, Frivolino, Gavroche, Juvenal, só para citar alguns.

  • Foi autor de mais de 4000 artigos, publicados em periódicos da época, sobre acontecimentos artísticos e teatro.

  • Durante quase 30 anos de sua vida, defendeu a construção do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que só foi inaugurado no ano seguinte à morte do autor.

Créditos das imagens

[1]R3 imagens/ Shutterstock

[2]Editora Brasiliaris (reprodução)

Fontes

ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Artur Azevedo: biografia. Disponível em: https://www.academia.org.br/academicos/artur-azevedo/biografia.

MORASCO, Cibele Cristina. Fora do palco, dentro da vida: o contista Arthur Azevedo e o Rio de Janeiro de sua época. 2008. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2008.

SICILIANO, Tatiana. “Ele amava o teatro”: a construção de Artur Azevedo no cotidiano das letras. Escritos, Rio de Janeiro, ano 6, n. 6, 2012.   

Escritor do artigo
Escrito por: Warley Souza Professor de Português e Literatura, com licenciatura e mestrado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Artur Azevedo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/artur-azevedo.htm. Acesso em 20 de julho de 2024.

De estudante para estudante


Artigos Relacionados


Academia Brasileira de Letras

Clique aqui, descubra o que é a Academia Brasileira de Letras e entenda como foi fundada, quantos membros a compõem e como eles são eleitos.
Literatura

Aluísio Azevedo

Saiba quem foi Aluísio Azevedo. Veja fatos de sua biografia, entenda suas características literárias, e leia um comentário sobre suas principais obras.
Literatura

Ferreira Gullar

Saiba mais sobre a vida e a obra de Ferreira Gullar, poeta que marcou a história da literatura brasileira com versos críticos à realidade e ousados na forma.
Biografia

Gonçalves Dias

Saiba quem é o escritor Gonçalves Dias e entenda as características de suas principais obras. Veja também uma análise do seu poema nacionalista Canção do exílio.
Literatura

Graça Aranha

Conheça detalhes da vida do escritor Graça Aranha. Saiba quais são as características de suas principais obras. Veja algumas curiosidades sobre o autor.
Literatura

Gênero dramático

Aprenda mais sobre o gênero dramático. Saiba onde ele surgiu, aprenda quais são as suas principais características e subgêneros, e conheça alguns autores e obras.
Literatura

Lima Barreto

Saiba quem foi Lima Barreto e conheça a sua importância para a literatura. Aprenda as características de suas obras e leia algumas de suas frases impactantes.
Literatura

Martins Pena

Clique aqui, saiba quem foi o dramaturgo Martins Pena e descubra quais são as principais características de suas obras.
Literatura

Parnasianismo no Brasil

Conheça o parnasianismo no Brasil. Descubra seu contexto histórico, suas características, principais autores e leia poemas desse movimento literário.
Literatura

Realismo

Saiba mais sobre o movimento literário realismo, veja como surgiu, quais são os principais autores na Europa e no Brasil e confira trechos de obras realistas.
Literatura