Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Dupla Negativa

A dupla negativa se concebe como uma ocorrência linguística adequada consoante os padrões formais da linguagem.

A dupla negativam, em se tratando do padrão formal da linguagem, concebe-se como adequada
A dupla negativam, em se tratando do padrão formal da linguagem, concebe-se como adequada
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Antes de avançarmos nossa discussão acerca do assunto em pauta, retomemos alguns conceitos no que tange aos pronomes indefinidos, mais precisamente ao sentido que alguns deles expressam. Analisemos, pois, os páreos expressos por “algum e alguém” e “nenhum e ninguém”. Enquanto que esses últimos denotam sentido negativo, os primeiros expressam sentido positivo. Assim entendido, prossigamos analisando o enunciado que segue:

Não vi ninguém.

Quando analisado, há de se afirmar que o emissor acabou vendo alguém, ou seja, ninguém. Na verdade se trata de uma constatação equivocada, haja vista que o funcionamento da língua deve ser concebido de forma diferente, em se tratando desse caso em específico.

Mediante o caso em análise, a negativa aparece antes do verbo, razão pela qual inferimos que não temos de afirmar antes de negar, a menos que se trate de uma variante que normalmente ocorre na língua – as chamadas variações diatópicas, cujas mudanças se operam no nível da sintaxe.

Tais ocorrências assim se manifestam: “sei não”, “vi não”. Dessa forma, constata-se que a negação aparece depois do verbo. Cabe afirmar que essas construções estão corretas, mas decorrem do aspecto não convencional da língua, demarcado, sobretudo, pela oralidade, na qual podemos atestar o emprego enfático em que a segunda negativa prevalece sobre a primeira, como em: “não sei, não” / “não vi, não”.

Sendo assim, como afirmado anteriormente, no caso de a negativa anteceder o verbo (não vi ninguém), considera-se perfeitamente adequado aos moldes padrões da língua portuguesa – o que configura a dupla negativa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DUARTE, Vânia Maria do Nascimento. "Dupla Negativa"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/dupla-negativa.htm. Acesso em 29 de junho de 2022.

De estudante para estudante


Qual a diferença entre os “porquês”?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Qual a diferença entre frase e oração?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

PUBLICIDADE

Estude agora


Mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si

Os casos mais comuns de mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si ocorrem quando juntamos...

Cem anos de solidão | Análise Literária

Assista a nossa videoaula para conhecer um pouco mais da obra “Cem anos de solidão”, um dos romances mais...